Um segredo para viver mais? Filhos

Por , em 10.12.2012

Para a surpresa de muitos, estudo recente mostrou que ter filhos pode aumentar sua expectativa de vida. “Aposto que nenhum desses pesquisadores teve que acordar às 4h da manhã para amamentar a filha recém-nascida”, pensou uma leitora.

O pesquisador Esben Agerbo, da Universidade de Aarhus (Dinamarca), porém, afirma com segurança: “Casais que não têm filhos têm um risco maior de morrer cedo por diversas causas”.

Crianças em casa, vida longa

Para chegar a essa conclusão, Agerbo analisou dados de mais de 21 mil casais que não tinham filhos e buscaram tratamento de fertilização in vitro entre 1994 e 2005. Ele acompanhou a história desses casais desde o início do tratamento até o final de 2008 – ou até eles morrerem, saírem do país ou serem diagnosticados com alguma doença mental. Nesse período, nasceram mais de 15 mil bebês, e outras 1.564 crianças foram adotadas.

Até o final de 2008, 96 mulheres e 220 homens do grupo morreram. Ao correlacionar os dados, Agerbo concluiu que mulheres com filhos biológicos tinham quatro vezes menos chances de morrer precocemente; homens com filhos biológicos tinham duas vezes menos chances de morrer cedo; homens com filhos adotados tinham cerca de metade das chances de morrer cedo, em comparação com aqueles que não tinham filhos; e que a adoção não teve um efeito significativo na longevidade de mulheres.

O pesquisador ressalta, porém, que encontrou apenas um vínculo, não uma relação comprovada de causa e efeito. “Meu melhor palpite é de que, quando as pessoas têm filhos, tendem a viver de forma mais saudável”, diz. Por exemplo, ao saber que terão que acordar cedo (ou no meio da noite) para cuidar dos filhos pequenos, muitos pais vão dormir mais cedo. Há aqueles que deixam de fumar, para não prejudicar a saúde dos filhos, ou adquirem hábitos saudáveis para servir de exemplo.

Infertilidade?

Os resultados encontrados por Agerbo condizem com os de uma pesquisa anterior, publicada em 2011, que mostrou que homens casados, mas sem filhos, têm um risco maior de morrer de doenças cardíacas após os 50 anos do que homens com com dois ou mais filhos. De acordo com o líder da equipe de pesquisadores responsável por essa análise, o médico Michael Eisenberg, o grupo “aposta em um vínculo biológico”: infertilidade, comum entre casais que não têm filhos, pode ter a mesma origem de outros problemas de saúde.[WebMD]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • Sam Puckett:

    Não sei se tem alguma coisa a ver,mais conheci senhoras com mais de 80 anos que tiveram mais de 10 filhos.

  • JMax:

    Ha ha ha ha – Se isso é verdade, gostaria de saber porque minha esposa teve de mostrar a identidade para uns amigos ontem para provar que ela tem 36 anos, sendo que eles juravam que ele tinha, no máximo, 28 anos?
    Na academia onde pratico musculação, meus amigos mais novos pensavam que eu tenho a idade deles, sendo que eu já tenho 41 anos.
    Nós somos casados a 18 anos e não temos filhos. Ai vem esse estudo falar uma asneira destas.
    Vamos ser sensatos, crianças são uma benção. Acredito que ter um filho deve ser uma das maiores alegrias na vida de uma pessoa. Mas a carga dantesca de preocupações que acompanha essa alegria não colabora com a juventude de ninguém.

    • Cesar Grossmann:

      Quem falou asneira foi você. E duas vezes.

      Primeiro, o estudo relaciona longevidade com ter filhos. Tem gente que tem filhos e morre jovem, e tem gente que não tem filhos e morre velho, o estudo é estatístico, procura o caso mais comum, o que acontece mais. Você e sua esposa podem viver até os 120 anos, sem ter filhos, e ainda assim o estudo pode ser verdadeiro, simplesmente por que se trata de uma ESTATÍSTICA.

      Segundo, a ideia de se cuidar mais é uma hipótese que o cientista levantou para explicar os resultados, ele não testou a mesma. Mesmo que a hipótese seja verdadeira, ainda assim não significa que não existam pessoas sem filhos que se cuidam mais, e pessoas com filhos que não se cuidam. Novamente, mesmo que você e sua esposa não tenham filhos e se cuidem, isto não significa que o estudo falou asneira. Mais uma vez, não dá para usar UM CASO como evidência de que um estudo ESTATÍSTICO esteja errado.

      É preciso ter cuidado, estudos científicos não são feitos em cima de casos pontuais ou “evidências anedóticas” (algo tipo “meu vô fumava e morreu aos 90 anos de causas naturais, por isto todos os estudos que dizem que o cigarro faz mal à saúde estão errados”). Ou seja, ninguém vai estudar você e tua esposa, e chegar à conclusão que quem não tem filhos é mais saudável (se alguém fizer isso, é por que não entende de ciência, e terá seu trabalho justamente rejeitado). Não é assim que funciona a ciência.

  • Yuri Caetano:

    é por isso que tem tanta gente “fabricando” crianças,principalmente aqui no brasil,e ainda com bolsa família

  • Saprugo:

    Então com certeza quero e vou viver menos!

Deixe seu comentário!