Via Láctea pode abrigar mais de 50 bilhões de planetas

Por , em 2.03.2011

A sonda Kepler, lançada em março de 2009, é o observatório mais sofisticado do mundo dedicado a estudar planetas alienígenas. Segundo uma atualização dos cientistas sobre as conclusões da espaçonave este mês, nossa galáxia pode ser o lar de 50 bilhões de planetas.

Embora a Kepler não tenha encontrado “muitos” planetas (1.235 candidatos a planetas), o registro cósmico é o melhor palpite dos pesquisadores, estimado a partir de dados preliminares.

O objetivo principal de Kepler não é apenas descobrir planetas individuais, mas construir um retrato de quão comum são esses planetas. Segundo os cientistas, a nave descobriu, de fato, que aproximadamente a cada duas estrelas há um planeta ou candidato a planeta. O número de candidatos por estrela é de cerca de 44%.

Essa aparente abundância de planetas estava longe de ser uma conclusão precipitada quando a missão iniciou. O primeiro planeta extra-solar foi descoberto no início de 1990, e o ritmo das descobertas voltou a aumentar desde então. Mas os astrônomos estão apenas começando a ter uma visão ampla do número destes planetas agora.

A sonda analisa uma grande área de estrelas próximas para procurar sinais de planetas. Embora seja possível identificar candidatos a planetas, a confirmação só vem através de observações de acompanhamento.

E os dados obtidos até agora são encorajadores: dos 1.235 possíveis planetas que Kepler apontou, 54 parecem estar em uma “zona habitável”, ou seja, à distância certa de suas estrelas, onde as temperaturas seriam ideais para a água líquida.

Na Via Láctea como um todo, os pesquisadores prevêem que pelo menos 500 milhões dos 50 bilhões de planetas possíveis residem na zona habitável. Kepler também identificou 68 candidatos a planetas do tamanho da Terra.

Os cientistas acreditam que planetas rochosos como a Terra são as melhores apostas para abrigar vida extraterrestre. Isso e os números abundantes certamente dão esperança para a existência de vida fora da Terra.

No entanto, para encontrar um planeta como verdadeiramente a Terra – ou seja, um planeta do tamanho da Terra na zona habitável em torno de sua estrela – a Kepler terá de procurar por muito mais tempo.

A sonda detecta um possível planeta através da observação do leve obscurecimento da luz de sua estrela quando o planeta passa, ou transita, na frente dela. Para planetas com órbitas de cerca de um ano, como a da Terra, o trânsito poderia ocorrer apenas uma vez por ano, assim Kepler teria de observar essa estrela por pelo menos alguns anos para notar o efeito. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

22 comentários

  • Erlem Miranda:

    ainda tem pessoas que acham que só existe vida aqui… muito convencidas…

  • camila regel masedo:

    Bem legal a via lactea

  • Kássio:

    É inconcebível que entre 50.000.000.000 de planetas não haja alguma forma de vida, e se você acha que algumas formas de vida terrestres são bizarras imagine como seriam os “habitantes” de um planeta com 1/4 da gravidade da terra e um teor 10 vezes maior de oxigênio na atmosfera, uma baleia azul seria pequena se comparada com esses “habitantes”.

  • renata:

    O universo é infinito em tempo e espaço. É claro que há planetas habitados. Numa extensão tão incompreensível dessas, é claro que há outras formas de vida. E seu sistema orgânico pode perfeitamente seu parecido ou totalmente diferente do nosso. Um ser de outro planeta pode NÃO necessitar de oxigênio e água para sobreviver.

  • Ailson Borges:

    Eu acredito piamente que o universo tem ciclos e eventos repetitivos e para cada matéria existe um par da mesma. Seguindo esta teória, estou 100% seguro que existem planetas em perfeitas condições de albergarem outros tipos de vida ou seres

  • lucas:

    Ou vai ver que os ETs pensaram em ter contato com os seres humanos mais mudaram de ideia quando viram o Restart kkkk
    zoera
    mais falando serio , naum importa o que a gente possa encontrar no espaço , o que importa eh que o ser humano está tentando evoluir…

  • 01AQUI:

    Se nós se desenvolvemos por que algum tipo de vida (minima que for) em algum lugar MUITO longe não pode se desenvolver ? talvez aja pessoas “semelhantes” a nós procurando outros planetas, vidas. um dia se realmente isso existir encontraremos.

  • VNSS:

    Acredito que se o homem achará vida em algum ponto da galáxia terá que ir MUITO longe ainda, explorar lugar mais distantes e nunca visto e nem se quer falados ainda é uma questão de tempo muito tempo!

  • josé gilvar gonzaga:

    Disse JESUS na casa do meu pai ha muitas moradas.

  • Cristiano:

    1 – Em teoria é possível viajar mais rápido do que a luz, isso aconteceu no início do big bang, mas é necessário muita energia. Seria necessária a quantidade de energia equivalente a massa de Júpiter para acelerar uma nave espacial acima da velocidade da luz.

    2 – Acho que ainda é cedo para o homem pensar em viagens longas no espaço, uma vez que o nosso sol ainda tem 5 bilhões de anos de vida. Se a nossa espécie não for destruída por algum sentimento nobre humano, esses que causam guerras, terrorismo, mortes, acho que daqui a alguns milhares de anos nós começaremos a explorar outras estrelas da galáxia.

  • JESSÉ HESPANHA DA CRUZ:

    Como nós evoluímos, pode ser que a vida está evoluindo em algum lugar do universo, além é claro, de civilizações já evoluídas que não conseguem comunicação conosco, devido as distancias.

  • carmem oliveira:

    como pode falar em bilhoes de planetas se nao tem nem certeza se a agua na lua que comparada a esses bilhoes de planetas existentes na via lactea e como se atravessasse a rua acho tudo muito lindo mas tambem muito fantasioso deveriam comemtar menos mas so a verdadeok..

  • Marcio:

    gsg, burro é quem acha que os padrões para a vida estabelecidos por nós seja o unico aceitável para a vida…
    O universo é muito mais que isso…

  • gsg:

    XRikimaruX vc eh muito burro msmo um planeta tem centenas de vezes mais chances de ter vida se tiver agua se ñ for o unico meio

  • josé ricardo:

    1235 possíveis planetas, certo.Agora imaginem a quantidade de possíveis ETs!

  • Jaime Silva:

    A descoberta de novos planetas, no estado actual da tecnologia pouco adiantará, pois a observação é debil, e não é possivel alcança-los, devido ás grandes distâncias, uma vez que é impossivel ultrapassar a velocidade da LUZ, muito menos aproximar-se dela.Assim, este entusiasmo tem apenas importância cientifica e só uma revolução na abordagem no conhecimento do universo e na natureza da materia poderia tornar esta tematica interessante.

  • Jardel:

    Eu, Fielmente, acredito sim que haja vida em outros planetas/sistemas solares/galaxias, enfim. Talvez, em algum dia de exploração espacial, possamos presenciar algum tipo novo de vida, mesmo que engatinhando (evoluindo) assim como aconteceu na Terra. Que também possa haver vida extraterreste com uma tecnologia vastamente superior à nossa, e que possam estar nos observando, talvez avaliando (por que não?).

    O universo é grande demais para se pensar pequeno.

  • astronomo-mirim:

    Me encanto com essas materias, minha professora de ciencias me indicou este site, quiz ver se tinha artigos de astronomia, entao logo fiquei curioso, adorei o site vou ver ele todos os dias!
    Seria bom se existisse planetas habitaveis com vida humana…

  • criancinha:

    Otima notícia, quando mais planetas existirem no universo melhor….a chance de existir vida vai aumentando….

  • willian:

    São muitas vidas espalhadas por ai.

  • XRikimaruX:

    enquanto esses cientistas acharem que só tem vida se tiver água, eles não vão encontrar nada !

    • José Pires Neto:

      Hã…

Deixe seu comentário!