Viajar no tempo é totalmente possível; saiba como

Por , em 19.05.2020
Máquina de viagem no tempo do seriado Dark, do Netflix

Talvez você não goste muito do que eu vou falar, mas é a mais pura e literal verdade: viajar no tempo não só é completamente possível, como você faz isso o tempo todo.

Na verdade, está fazendo agora mesmo: você está viajando para o futuro, coisa que faz a cada segundo de cada dia.

Já parou para pensar nisso? Você avança para seu futuro o tempo todo. É um ponto importante a se considerar, não é mesmo? Com essa reflexão, nossa existência adquire uma outra perspectiva.

Mas, para você não ficar bravo comigo por essa lição filosófica, vamos conversar um pouquinho sobre ciência. Sabe por que viver cada segundo é uma viagem no tempo para o futuro?

Porque estamos nos movendo através do espaço, o que é também um movimento através do tempo.

E há como acelerar esse movimento com a ajuda da engenharia, o que significa que, sim, é possível avançar para o futuro a uma taxa diferente do que as pessoas que você em tese largaria para trás aqui na Terra.

Como?

A teoria da relatividade especial de Albert Einstein nos ensinou que podemos fazer algumas relações entre movimento no espaço e movimento no tempo.

Mesmo quando estamos perfeitamente parados, ainda nos movemos através de uma dimensão do tempo a uma velocidade específica – a da luz.

Conforme começamos a nos movimentar pelo espaço também, no entanto, desaceleramos essa taxa de movimento pelo tempo. Ou seja, quanto mais rápido nos movemos pelo espaço, mais devagar nos movemos pelo tempo.

Por exemplo, um segundo para uma pessoa dentro de uma nave espacial dura um pouco mais do que um segundo para alguém parado na Terra.

Acontece que isso não tem um efeito muito notável. Esse “dura mais” é meio que pouco demais para percebemos – a título de perspectiva, os astronautas que orbitam a Terra a dezenas de milhares de quilômetros por hora estão “atrasados” por apenas um microssegundo em relação aos nossos relógios terrestres.

Mas…

Infelizmente, com nossas tecnologias atuais, não chegamos nem mesmo a um décimo de um por cento da velocidade da luz.

Mas, se pudéssemos de alguma forma passar muito tempo viajando próximos a esse limite incrível de velocidade pelo universo, aí assim viajaríamos muito devagar em relação à Terra e, caso voltássemos, provavelmente encontraríamos pessoas vivendo em um futuro “distante”.

Nada iria parecer diferente para quem viajou; no entanto, depois de uma jornada de dois anos, por exemplo, o indivíduo retornaria para uma Terra que avançou milhares ou dezenas de milhares de anos, dependendo da velocidade alcançada.

Já imaginou? [Phys]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!