Videogame pode piorar ou causar doenças mentais

Por , em 19.01.2011

Segundo um novo estudo, uma em cada dez crianças são “viciadas” em videogame, e a maioria não consegue mudar isso. Essas crianças já são mais propensas a ter problemas de comportamento, mas o jogo excessivo parece para causar problemas mentais adicionais.

O estudo contou com mais de 3.000 crianças em idade escolar de Cingapura, e durou 2 anos. Quando as crianças se tornaram viciadas, sua depressão, ansiedade e fobias sociais pioraram, e suas notas caíram. Quando alguns se livraram do vício, os mesmos sintomas melhoraram cada vez mais.

Os pesquisadores alertam que nem os pais nem os profissionais de saúde estão prestando atenção suficiente para o efeito de videogames sobre a saúde mental.

Porém, outros especialistas dizem que o estudo atual tem falhas importantes. Por exemplo, pesquisas mostram que o jogo excessivo não é necessariamente comportamento viciante e que muitas crianças podem jogar por longos períodos sem que haja efeitos negativos.

Parte do problema pode ser que o novo trabalho mediu preocupação, em vez do vício. No estudo, os professores entregaram questionários aos estudantes do terceiro, quarto, sétimo e oitavo grau, incluindo perguntas sobre seus hábitos de jogo, habilidades sociais, desempenho escolar e depressão.

As crianças também responderam a dez questões para descobrir se elas eram viciadas em jogos. Se elas responderam metade das questões positivamente, eram consideradas jogadores “patológicos”. As perguntas incluíam coisas como negligenciar tarefas domésticas e gastar mais tempo com videogames, ir mal em um trabalho escolar ou teste como resultado, ou jogar videogame para escapar de problemas ou sentimentos ruins.

Em média, as crianças disseram que jogavam cerca de 20 horas semanais. Entre 9 e 12% dos meninos se qualificaram como dependentes, em comparação com 3 a 5% das meninas.

Entre as crianças que começaram como dependentes, mais de 8 em cada 10 permaneceram assim durante o estudo. Os pesquisadores descobriram que aqueles que jogavam mais horas, eram mais impulsivos ou tinham habilidades sociais mais pobres apresentavam maior risco de ficar “viciado” no período de 2 anos. Os que se tornaram viciados relataram sintomas crescentes de depressão, ansiedade e fobia social.

Pode ser que os hábitos não saudáveis de jogo alimentem os problemas mentais das crianças, que, em seguida, as leva a aumentar seu tempo de tela e assim por diante. Porém, os pesquisadores reconhecem que o estudo não prova esse ponto.

A Academia Americana de Pediatria recomenda limitar o tempo das crianças em frente a computadores ou televisores a duas horas diárias. Ou seja, os pesquisadores lembram que isso é o normal, e mais tempo do que isso pode ser prejudicial.

E mesmo que o estudo seja controverso, uma pequena minoria de crianças provavelmente sofre de dependência de videogame, assim como algumas pessoas são viciadas em jogos de azar.

Segundo os pesquisadores, para ajudar os pais devem tentar dar aos filhos jogos educativos em vez de violentos, incentivar brincadeiras em grupo e seguir as instruções dos fabricantes de jogos, como se sentar a pelo menos 60 centímetros da tela e não jogar quando se está cansado. [MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 3,20 de 5)

31 comentários

  • Pedro Gomes:

    Video games are sucks!

  • Gamer:

    Se eu sou viciado em videogame os politicos em brasilia sao viciados em roubar nossos dinheiros?

    • Ana Maia:

      nao seja besta criatura, o erro deles nao justifica o teu… os estudos mostram que um ser como voce pode ter a vida arruinada por causa de uma m… de jogo eletronico

  • Nanda:

    isso é lenda, sou viciada em games desde novinha e já passei 2x na universidade federal daqui, estou quase me formando e trabalho em um projeto de extensão dando aula na própria universidade. e continuo jogando video game sempre 🙂 todo final de semana jogo xbox360 junto com o meu namorado. Acho que essas crianças já sofriam de algum outro problema que levou elas a isso, o video game em si não deve ser a causa principal…

    • enoq12:

      Sou um aluno muito exemplar e jogo deis de 10 anos (já tenho 14),adoro história e vou ser professor,me esforço muito pra tirar boas notas,no último boletim foi de sete pra cima,e ó que eu joga 3 horas por dia!concordo plenamente, Nanda.

  • [HHBR]**Cavalero***:

    Tenho 40anos. Tenho computador desde os 15anos, jogo praticamente ha 25anos, se isso fosse verdade, nem estaria aqui, ou teria terminado minha faculdade de bacharel em sistemas de informação, nem ganharia o que ganho, graças a informática. Jogo praticamente 3 vezes por semana, com uma média de 2h por cada dia jogado. Pelos estudos eu talvez estivesse vegetando. Entendam que pesquisas e fazem parte obrigatória de um acadêmico, então se acham uma pesquisa interessante ela pode vir a público. Atrelado a isso imaginem a quantidade de universidades que existem pelo mundo, some a isso a quantidade de alunos que, obrigatoriamente, tem que executar suas monografias. Então pesquisas só servem para “encher linguiça”. VIVA a EAGames, Gray Matter Interactive, Spark Unlimited, Pi Studios, Amaze Entertainment, Rebellion Developments e n-Space e outras!!! vamos de BF2?? See U there!!

  • Luciana SN:

    Adoro video-game,e acho que deve ser usado moderadamente,mas a questão social,acredito eu não ser diretamente ligada a video-games,as pessoas acabam julgando as outras pessoas com base em outros pontos,ficar longe de video-games não garante melhorar a vida social!

    • lucas:

      concordo!!

  • luciana:

    Procede, levando em consideração o isolamento, o sedentarismo, e a falta de contato com a realidade. Com equilibrio, com os pais controlando pode ser admitido como fonte alternativa de lazer.

    • enoq12:

      amo convívio social e adoro meus amigos,mas o videogame continua sendo parte do meu lazer

  • JapanLover:

    Ser diferente não tem mal nenhum, por vezes até é bom! Sair um pouco do esteriotipo desenhado pela sociedade. Eu já fui viviada, mas hoje em dia controlo-me mas não consigo deixar de ser louca por animes e pelo mundo animado do Japão!Por enquanto só tenha mangás e animes, mas quem sabe venha a ter um grupo de objectos e roupas de anime também! 😀 Pena que os Cosplays aqui em Portugal não são muito bem encarados e aceites…

    Abraço

  • rodolfo:

    videogame é uma parte importante da minha istória, sempre fui mais chegado aos games que as brincadeiras convencionais, porém tenho uma vida razoável na questão social, apesar de me achar meio anti-social, vou a faculdade, trabalho o dia todo, e se sobra tempo, eu jogo, e os games me influenciaram bastante, tanto como os animes japoneses, tenho até uma espada e roupas de anime, simplesmente sou mais um diferente cara normal.

  • eduardo:

    Se isso for verdade então 90% dos jovens de hj são retardados….. e não só os jovens…. conheço n pessoas da minha idade (30 anos) que são viciadas em games….
    Essas pesquisas vivem em conflito… é igual akela velha história do café…. uns dizem q faz mal outros q trazem benefícios à saúde…

    • Ana Maia:

      tudo o que é exagerado é ruim meu bem…

  • othons:

    bbb é vício o povo Brasileiro..

    mas , eu não gosto ver lixo BBB..

  • luciana:

    Prezados
    A fonte é citada entre colchetes no final do texto.

  • holiday:

    admito! sou viciada!

  • edson nemoto:

    Já os enlatados,as comidas indústrializados,os cigarros,refrigerantes,remédios,etc e tal e mais essa…..apesar disso achei interessante e uma novidade,não é?!

  • vinicius:

    Eu era um viciado, mas depois encontrei Jesus e tudo mudou.

    Sessão aberta: viciados em videogames anônimos.

  • Kerensky:

    Eu era bastante viciado em video game. Mas comecei enjoar aos poucos. Deve ser uma fase que todos passam (ou não!). Hoje meio que tenho que me forçar a jogar quando nada tenho além do tédio.

  • Médium:

    eu era viciado em jogo, depois que deixei até minha percepção mudou pra melhor.

  • Senhor SabeTudo:

    Tudo em excesso é prejudicial…

  • vinicius:

    Calúnia!

  • CRC:

    Este é o grande defeitos deste site: raramente fornece detalhes sobre a pesquisa. Muitas vezes já fui atrás e, facilmente, encontrei as fontes, trabalho este que deveria ser feito pelo mantenedores do site.

  • Attaide:

    Lamentável publicar uma matéria dessa sem dizer a fonte da qual provém, videogame causar doenças mentais ? Piada isso, pode até causar vício, mais doença mental não, e um vício pode muito bem ser controlado, até entendo que existe pessoas que deixam de ter uma vida social “normal” para jogar videogame, mas isso é minoria, a grande maioria que joga videogame consegue tranquilamente controlar a vontade de jogar, quando há outro “programa” para se fazer.

  • phelipe:

    bom eu sou um gamer e achei o que quizer fico mais de 5 horas jogando video game fazendo de tudo na internet e assistindo televisao mas nao me considero dependente disso quando viajo fico até meses sem entrar na frente de um computador e nao fico só pensando nisso eu acho que fico com o computador por que meus pais nao se preocumpam em jogar jogos iterativos de tabuleiro e etc comigo… mas emfim é logico que meus amigos sao todos gamers otakas e etc mas me dou bem sei lidar socialmente normal com todo mundo independente de cor raça religiao e abtos acho q o video game altera um pouco a vida mas nao a problemas como os postados aqui ou talvez este problema nao tenha acontecido comigo…

  • Rodrigo Paim:

    Jogar por longos periódos pode ser vicío, mas pode ser também falta de algo melhor para fazer

    Eu por exemplo passo bastante tempo jogando, mas consigo ficar dias sem jogar se tiver algo melhor para fazer, coisa que viciado não faz.

    Jogo muito porque eu gosto não porque sou viciado, quando tenho a oportunidade de fazer coisas que gosto mais do que jogar eu faço

    Deviam levar em contas nessas pesquisas

  • Master:

    A vida é um jogo.

  • JP Radaeli:

    Se a fonte do estudo não aparecer, vou abrir um protesto por calúnia e difamação. Eu não sou débil mental, nem meus filhos.

    Para provar que não estou de brincadeira basta visitar o link do meu site “S.O.S Brasília, Extraterrestres no Senado”
    E verá que estamos nos empenhando em desmontar teorias tendenciosas e leis ridículas á esse respeito. Aguardo pelo link da fonte da notícia ou informações sobre entidade responsável pelo estudo.

    Me sinto ofendido, como jogador e criança que fui jogadora.

  • JapanLover:

    Eu j+á fui viciada em jogos de video! E garças a isso hoje tenho uma epilepsia inoperavél! :S Quando era mais pequena tive meningite que deixou uma sequela adormecida. Essa sequela foi acordada por causa de estar completamnete viciada nos jogos! Não comia, não bebia, não dormia, chegava mesmo ao ridiculo de quase urinar no sofá para não ter que ir á casa de banho! Foi uma fase muito má! :S Hoje posso dizer que estou “curada” pois jogo mas não tanto, nem com tanto frequencia como naquela fase! Hoje sei parar quando devo!

    Abraço

  • Lima:

    Que estudo é este? Que conduziu este estudo? Quem são os pesquisadores? Qual a universidade responsável? onde foi publicado?… sem essas informações, tudo não passa de especulação!

Deixe seu comentário!