Garotas de 17 anos escrevem manual para pais sobre como educar seus filhos e são publicadas

Publicado em 18.04.2012

Adultos até costumam discutir suas habilidades paternais, e muitos podem até ler livros com instruções sobre como educar seus filhos, mas uma coisa que poucos fazem é perguntar as próprias crianças e adolescentes o que eles têm a dizer sobre o assunto.

As garotas de 17 anos, Megan Lovegrove e Louise Bedwell, não esperaram sentadas pela oportunidade. Elas foram pró-ativas e escreveram logo de cara um livro sobre como educar os adolescentes, através da visão dos próprios.

As meninas se basearam em suas próprias experiências e em entrevistas com 100 outros adolescentes e criaram o guia de 200 páginas “Teenagers Explained: A Manual for Parents by Teenagers” (em português, “Adolescentes Explicados: Um Manual para pais feito por Adolescentes”), que fornece conselhos aos pais de como lidar com seus filhos adolescentes, abordando questões que vão desde a limpeza de um quarto a drogas e sexo.

Megan e Louise estudam no sul de Londres. Elas foram escolhidas para escrever o livro depois de participarem de um concurso de escrita criativa organizado por uma editora para 50 escolas da área. “Nós queríamos que fosse um verdadeiro manual, para ‘dizer as coisas como elas são’, a partir da perspectiva dos adolescentes”, disse Louise. Megan acrescenta: “Mas nós também aprendemos muito sobre como os adultos pensam, para também sabermos como manter a vantagem”.

A contracapa do livro diz: “Os autores de outros livros sobre como educar seus filhos são praticamente ANTIGOS. Se você realmente quer saber o que seu filho está pensando e fazendo, quem melhor para falar do que os próprios adolescentes?”.

O livro está disponível para compra na Amazon (somente em inglês), caso você tenha ficado interessado.

Particularmente, eu acho interessante para os pais lerem algo do tipo. Mesmo que você não pretenda educar seu filho da maneira como ele prefere ser educado, afinal, essa decisão cabe a você, é bom saber o que ele pensa sobre o assunto, para dar espaço a mais diálogo e saber lidar melhor com ele.

Os resultados desse tipo de educação tendem a ser bem melhores, criando adultos mais bem resolvidos e gerando mais confiança na família.

Através do livro, Megan e Louise ajudam pais desinformados em todo tipo de assunto, até a “convencer o adolescente de sair de casa e passar um tempo com a família”.

Há mais dicas úteis sobre coisas mundanas. De acordo com as meninas, os pais precisam dar a seus filhos, pelo menos, 3 horas para limpar seu quarto, e não vir checar isso até o tempo ter acabado. Para reduzir as contas de telefone, o conselho é simples – incentivar seu filho a usar mais aplicativos do celular, como aplicativos de smartphones. Tenho certeza de que muitos adolescentes não reclamarão disso, pois significa que ganharão smartphones.

O livro certamente parece oferecer uma série de conselhos práticos. Todos têm a ver com a psicologia adolescente. Mas alguns são realmente bons, como “não dar muita importância sobre a sua própria aparência, pois isso pode passar para seu filho e torná-lo sensível sobre sua própria aparência”. E, então, pais? Será que a culpa de toda essa cultura junk de hoje é mesmo só da nova geração?[OddityCentral]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 25 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

4 Comentários

  1. Não podemos negar que foi uma iniciativa bastante interessante, porém, temos que lembrar que cada pessoa é um universo, é como o amigo assim respondeu, como adolescente pensamos de uma forma e como pais de outra.
    Mas a dura verdade é que não se tem fórmula para criar um filho, educar e passar tudo que se quer.
    Quando tivermos filhos acontecerá que não iremos querer que eles passem pelas mesmas frustrações que passamos. Isso pode gerar conflitos, por estarmos tentando evitar o inevitável.
    A minha opinião como adulto recém chegado é que devemos deixar o filho “quebrar a cara”, mas estar lá para dar o suporte que ele precisa.
    Não sei se me expressei claramente, costumo dar voltas tentando dizer o que formulei =S

    Thumb up 12
    • Do mesmo jeito que os pais delas cuidam delas, porque quando somos adolescentes sempre vemos as coisas de uma forma, mais quando viramos pais a coisa toda muda e passamos do mesmo jeito que os nossos pais são superprotetores, com certeza seremos com nossos filhos.

      Thumb up 17

Envie um comentário

Leia o post anterior:
_59639317_59639315
Rússia cria reserva para leopardos-de-amur e tigres siberianos, criticamente em extinção

Especialistas acredi...

Fechar