Invenção permite que humanos respirem como peixe

O inventor israelense Alan Izar-Bodner desenvolveu uma forma para os mergulhadores respirarem debaixo d’água sem tanques de oxigênio pesados: seu novo aparelho faz uso de ar que é dissolvido em água, do mesmo jeito que os peixes fazem.

O sistema utiliza a “Lei Henry”, que afirma que a quantidade de gás que pode ser dissolvida em um líquido é proporcional à pressão sobre o líquido. Se você aumentar a pressão, mais gás pode ser dissolvido no líquido.

Já se você diminuir a pressão, o gás dissolvido no líquido é liberado. Isso é exatamente o que acontece quando você abre uma lata de refrigerante; o gás dióxido de carbono é dissolvido no líquido e está sob pressão na lata. Ao abrir a lata, você libera a pressão, e o gás.

O novo “Sistema Bodner” aparentemente usa uma centrífuga para reduzir a pressão na parte de uma pequena quantidade de água do mar. Assim, o gás dissolvido é extraído.

O aparelho é adaptado para fornecer ar respirável. Ele tem um meio de entrada para extração de uma quantidade de água, um separador para separar o ar dissolvido a partir da quantidade de água, obtendo assim o ar respirável. O aparelho inclui ainda uma saída para expelir a água separada de volta ao corpo de água, e uma saída para remover o ar respirável depois que você o utilizou (a ar é fornecido de modo a permitir que seja expulso de volta para o corpo de água depois de ter sido respirado).

Muitos filmes e histórias já pensaram em meios do homem respirar debaixo d’água. Desde que começamos a nadar, há muito tempo atrás, esse tem sido um grande desafio. Agora, podemos dizer que temos um aparelho digno de ficção científica para realizar tal desejo. [LiveScience, Foto]

Por: Natasha RomanzotiEm: 25.12.2011 | Em Principal, Tecnologia  | Tags: , , ,  
Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

57 respostas para “Invenção permite que humanos respirem como peixe”

  1. Senhor editor,
    Não é correto, do ponto de vista jornalístico, um profissional assumir a autoria de um texto quando na verdade o que aconteceu foi uma mera tradução. Veja bem, alguém se deu o trabalho de pesquisar, apurar, redigir e revisar a matéria, não é correto (não é ético com certeza) que outra pessoa assine o texto como se fosse o autor.

    • Olá Marcelo, tudo bem ?
      Na minha opinião, a Natasha apenas postou a matéria, mesmo porque ela citou a fonte, o que descaracteriza qualquer idéia de se apossar da autoria do texto.
      Abraços

  2. Vô não, Quero não, Posso não…

    Esse negocio de energia com agua não vai dar certo, sem falar que vai ficar um motorzinho rodando o tempo todo, vai fazer barulho, vai atrair tubarão, sei não…

    Mais é assim mesmo, com certeza deve ter um monte de gente tentando melhorar essa coisa ai, e vão conseguir, logo vamos estar sabendo de melhorias nele.

    • Se na imagem mostra uma fonte de oxigénio de emergência, acho que ainda deve faltar um tempo para podermos andar ai pelos fundos do oceano com esse aparelho. Mas espero que seja para breve e que seja de custo acessível

  3. Um grande avanço para o mundo com certeza, mas ainda há o que contestar, as baterias, mas, se ainda não inventaram um novo jeito para isso funcionar sem um tempo limitado, é porque a tecnologia de hoje não possibilita, mas com certeza ainda vão inventar =D

    • Esse que votou negativo com certeza ficou com invéja da tua criatividade.

  4. Muito legal os comentários pessoal, aprendi mais com vocês com certeza. Estou até com curiosidade de experimentar o mergulho em alto mar, estudando e treinando antes, é claro, algo que ainda não tive oportunidade de fazer. Deve ser muito bom.

    • Não sabes o que perdes. Experimenta que vais adorar. O mar é lindo. Como já li que praticas meditação, vais ver que não deve ficar muito atrás, se não passar à frente. Força aí

    • É! Geralmente, numa empresa tem alguns peixes que não dá para encarar, não!

  5. Para mergulho autônomo não adianta muita coisa, O cara simplesmente conseguiu trocar 6 por meia duzia, para quem ainda não percebeu no esquema aparecem as [ B A T E R I A S ] ou seja não adiantou em nada a invenção, continua o mergulhador precisando voltar a tona para reabastecer.

    PS: Como eu disse, “para mergulho autônomo não adianta muita coisa” mas talvez, como qualquer outra invenção, a tecnologia possa ser aplicada em outras áreas.

    • Trocando 6 por meia duzia, ou 6 ateh por menos, acho q ‘e assim q as tecnologias comecam se desenvolvendo. Quem sabe da proxima vez seja meia duzia por 7, depois 8 e assim vai indo at’e conseguir 1 desenvolvimento completo do aparelho… isso ‘e o q eu espero!

    • o cara, “trocar 6 por meia dúzia” é uma expressão que quer dizer que nao muda nada pq 6 = meia duzia
      mas mesmo assim vc disse ali: “seja meia duzia por 7, depois 8 e assim vai indo até conseguir 1 ” como que se troca meia duzia por 7 e depois 8 (9,10,11,12…) até conseguir 1 ? se tá doidjão?

    • Que esperto você hein ‘erick’, parabens, -1 pra vc… kkkkkkk

      Entenda primeiro antes de criticar!

      Quanto a matéria, tambem acredito que é um grande passo (de muitos) para o desenvolvimento de uma tecnologia importante.

    • Verdade, a nao ser que essas baterias possam ser recarregadas dentro da agua, com movimento ou algo assim. Ou mesmo com o ar ja respirado saindo poderia gerar algum energia que recarrega as baterias. nao seria possivel isso?

    • A invenção, pelo que se nota, não é para o homem “viver” dentro d’agua.

    • a questão também é que , o cara não precisara de um tanque de oxigênio, menos peso é claro, mas eu só não sei dizer se o conjunto do aparelho todo ficaria tão pesado quanto a forma tradicional que nós conhecemos!!!! e também se a bateria a qual o elemento fará uso dure mais do que um cilindro de oxigênio!!!

    • Nossa cara, com certeza a tecnologia para consturção de uma bateria eficaz e de grande duração supera a quantidade maxima de ar comprimido que um mergulhador vai levar nas suas costas.

      Se você dissesse que trocou 6 por meia dúzia pelo fato de não haver a possibilidade de fuiicar a eternidade na água você estaria correto, mas com certeza essa invenção possibilita, ao menos parece, uma grande cuqantidade de tempo a mais dentro daagua sem necessidade de voltar a superficie.

    • Olá Guilherme !
      Voce disse o que eu ia dizer: o tempo ganho dentro d’água talvez seja maior desta forma do que na forma tradicional.
      Abração

  6. Outra:

    “…uma forma para os mergulhadores respirarem debaixo d’água sem tanques de oxigênio…”

    Não é seguro não ter um tambor de oxigênio…

    Se a máquina “der pau” debaixo d’água, dependendo da profundidade, não dará tempo de subir à superfície e o mergulhador morrerá.

    De qualquer maneira, é necessário um cilindro de oxigênio para emergências…

    • Mergulhadores não usam “tanques” de OXIGÊNIO: Prá quem não sabe, o O2 é tóxico se respirado a partir de 6m de profundidade….

      Normalmente se usa AR COMPRIMIDO nos mergulhos rasos (até 30m) e O2 puro é usado apenas para aceleração de descompressão em mergulhos técnicos (profundos)…

    • Não sabia disso!!!Mas para mergulhos em geral, utiliza-se o gás Hélio misturado ao oxigênio!!! Não sei bem explicar pra que serve, mas eu acho que tem a ver com a sua rápida dissolução com o sangue, a fim de evitar transtornos causados pela rápida descompressão que causava males ao mergulhador em uma rápida emersão, haja visto que acontecia muito isso porque nos tanques de antigamente utilizavam o gás nitrogênio misturado ao oxigênio, que não é tão solúvel ao sangue!!

    • Dá uma olhada na imagem com o esquema do equipamento: no abdomem do mergulhador tem uma parte do invento – Emergency air supply que é para o caso da máquina “der pau”.
      Vamos com calma nas agulhadas hein Emerson ;).

    • Exatamente, mas na imagem ilustrativa tem um “Emergency Air Supply”.

  7. Texto da matéria:

    “…a ar é fornecido de modo a permitir que seja expulso de volta para o corpo de água depois de ter sido respirado…”

    Se a intensão é reutilizar o ar ao retornar para a água, não dará certo…

    O ar expelido pelo pulmão não serve mais ser utilizado, pois a concentração de oxigênio é mínima, sendo muito rico em gás carbônico.

    Se está debaixo d’água, porque se preocupar em jogar de volta ao “corpo de água”, se tem água em abundância por todos os lados?

    • O ar ja utilizado é expelido de volta para a agua pq nao tem como ficar armazenando ele, nao é pq pretende utilizar novamente, simplesmente nao tem como armazenar ele.

    • Foi exatamente o que eu quis dizer…

      O texto aparenta dizer que esse gás retornaria à câmara onde é separado da água…

    • O “corpo de água” se refere ao meio onde o mergulhador está, ou seja, não vai ser mais possível capturar o ar expelido e sim mais água ao redor vai ser centrifugada para gerar mais ar. A câmara de centrifugação só capta separa o ar da água e manda pro mergulhador que expele o ar de volta para o “corpo de água”.

    • Estou começando ter fé que estamos a principiar uma nova era de descobertas científicas. Sempre entendi que a ciência estava adormecida nos últimos 50 anos.
      Esta invenção é o Maximo, mormente para mim que quase feneci asfixiado.
      E tem mais, já para os adjacentes cinco anos como estas: Em 2016 será cada um de nós produzirá a sua própria energia, não necessitaremos de palavras-chave (passwords), ler a mente já não será ficção científica, a exclusão digital e o lixo eletrônico deixarão de existir.
      Vamos nessa, gente que modifica este mundo, que o senhor da sabedoria os clarifiquem. Chega de usarmos somente 2% do cérebro que Deus nos abonou.

  8. É… Resolveram o problema da limitação da quantidade de oxigênio nos cilindros, mas e limitação na fonte de energia, são mesmo baterias? Quanto tempo as baterias duram neste sistema?

    • Há duas maneiras de ver as coisas: o copo pela metade ou o copo meio vazio. Penso que você precisa reavaliar seu ponto de vista.

  9. Por acaso eu já havia pensado nisso, desenvolver um sistema de respiração que n necessitasse de garrafas grandes e pesadas, e o pior ainda é q esgota muito rapidamente, o q n possibilita o navegador ter maior tempo de exploração.

    • Cara, eu compartilho da mesma sensação… kkkkkkkk
      É como se pulasse de bungee jump e não sentisse mais adrenalina….

    • Já vi em vídeo e fotos, o Tietê no interior do Estado paulista é limpo e até paradizíaco, bem diferente da poluição na área metropolitana.

    • Só qe tem um detalhe o Pokémon é um desenho animado, kkkkkkkkkk ri muito.

Deixe uma resposta