Novo telescópio fará a primeira imagem de um buraco negro

Publicado em 23.01.2012

Um grupo de astrônomos está planejando algo ambicioso e sem precedentes – capturar a primeira imagem de um buraco negro.

Os pesquisadores querem construir um instrumento virtual do tamanho da Terra, o Telescópio “Event Horizon”. Ele será uma rede mundial de telescópios de rádio poderosos o suficiente para fazer a primeira imagem de um buraco negro massivo no centro da Via Láctea.

“Ninguém até hoje tirou uma foto de um buraco negro”, comenta Dimitrios Psaltis, da Universidade do Arizona. Psaltis foi um dos organizadores de uma conferência para organizar esse projeto.

Os buracos negros são estruturas exóticas com um campo gravitacional tão poderoso que nada escapa – pelo menos é o que diz a opinião comum entre os cientistas.

Sobre a ideia de fotografar um buraco negro, Sheperd Doeleman, o principal cientista do projeto, afirma que “mesmo há cinco anos esse propósito não seria credível. Agora temos tecnologia para isso”.

Doeleman e sua equipe querem criar uma rede com até 50 telescópios de rádio, espalhados pelo mundo, que vão trabalhar em conjunto para conseguir o desejado.

“Na realidade, estamos fazendo um telescópio virtual com um espelho do tamanho da Terra”, comenta Doeleman. “Cada telescópio de rádio vai funcionar como uma pequena porção de um grande espelho. Com pedaços de prata suficientes, podemos ter uma imagem”.

A equipe planeja apontar o super telescópio para o buraco negro no centro da nossa galáxia, que está a cerca de 26 mil anos-luz e tem a massa de quatro milhões de sóis.

Isso é muito grande, claro. Mas, de acordo com os pesquisadores, focalizar esse objeto, a tanta distância, é equivalente a localizar uma fruta na superfície da lua.

“Para ver algo tão pequeno e tão longe, você precisa de um telescópio muito grande, e o maior que você pode ter é transformando a Terra em um”, comenta Dan Marrone, do Observatório Steward.

Os pesquisadores esperam capturar a imagem do contorno do buraco negro, ou sua “sombra”.

“Como poeira e gás ficam circulando em volta do buraco negro, antes de serem sugados, uma espécie de trânsito cósmico acontece”, afirma Doeleman. “Isso circula em volta do buraco negro como água em uma banheira, então a matéria é comprimida e a fricção resultante se torna plasma aquecido a bilhões de graus – que é energia que radia e pode ser detectada na Terra”.

A relatividade geral prevê que a sombra desse corpo celeste deve ser um círculo perfeito. Por isso, o projeto poderia ser um teste da venerada teoria de Einstein.

“Se encontrarmos a sombra do buraco negro oval, ao invés de circular, isso quer dizer a que a teoria geral da relatividade de Einstein é furada”, afirma Psaltis. “Mas mesmo que nós não encontremos nenhum desvio da teoria, todos esses processos vão nos ajudar a entender muito melhor os aspectos fundamentais dela”.

A equipe espera conseguir adicionar mais instrumentos com o tempo, o que iria oferecer uma imagem maior ainda do buraco central.

Cada telescópio vai gravar suas observações em discos rígidos, que serão enviados para uma central no Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

Os telescópios de rádio, e não os ópticos, são as ferramentas certas para esse trabalho, porque as ondas de rádio conseguem penetrar na escuridão das estrelas, poeira e gás entre a Terra e o centro galáctico. [LiveScience]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

16 Comentários

  1. esse projeto concerteza vai custa uma grama preta, tanta gente precisando de alguns trocados para garantir sua sobrevivencia ai esse cientitas vão gasta muito dinheiro em um projeto que se quer vai ter uma ação significativa na vida pratica, esse caras deveria esta procurando uma forma de acaba com a fome em vez de fotografa um buraco negro. que perda de tempo e recusos.

    Thumb up 0
  2. Pela primeira vez será possível estudar um buraco negro pela sua real forma e imagem, ao invés de apenas estudar as pertubações gravitacionais que ele causa. Essa ideia de conectar a Terra inteira para construir um telescópio pode deixar muitos exagerados com medo de que essa conecção crie uma inteligência artificial e domine o planeta, mas para fazer um estudo desse porte vai valer apena. Espero realmente que não seja encontrado nenhum motivo para duvidar de Einstein.

    Thumb up 1
  3. Carl Seagan ficaria entusiasmado. Bem que esse projeto poderia receber seu nome.

    Thumb up 5
  4. Realmente um projeto ambicioso! Espero que seja um sucesso, pois vai significar muito para a evolução da astronomia!

    Thumb up 7
  5. Acho qe seria mais interessante usar esse super-telescópio para encontrar sinais de vida extraterrestre, com um telescópio desses deve ser possível detectar um sinal de rádio qe esteja em qualqer lugar da galáxia.

    Thumb up 8
    • Telescópios identificam luz, não ondas de rádio.

      Thumb up 2
    • Corrija qem escreveu a matéria primeiro, para depois me corrigir.

      Thumb up 7
    • A principio, caso vc tenha lido a matéria , os cientistas estão querendo usar um telecópio de rádio, um não,vários, e tanto as ondas de rádio e a luz , são ondas eletromagnéticas, então é possivel sim, que esses telescópios de “rádio” possam captar ondas de rádio.

      Thumb up 5
    • Tolo, Luz e Ondas de Rádio são o mesmo conceito: Onda Eletromagnética. O que vulgarmente é chamado de luz é a faixa visível a olho nu, e rádio é a faixa VLF-EHF.

      Thumb up 6
  6. Que incrível, não vejo a hora de ver um numa foto real
    Tirando o buraco negro, o segundo objeto com maior força gravitacional são as estrelas de neutrons certo? , será que já existe uma foto real de alguma ?

    Thumb up 1
    • Acredito que, na verdade, sejam os Magnetares os objetos de maior força gravitacional… ao menos são eles os que possuem os maiores campos magneticos do Universo.

      Thumb up 0
  7. Já começaram pensando grande… Fotografar um buraco negro estelar já seria difícil, mas agora um galáctico a 30.000 anos luz encoberto por grandes massas nebulares? Tomara que dê certo, vou torcer pra poder ver essa fascinante façanha. Uma rede telescópica integrada é uma ideia antiga, pode ajudar também a encontrar exoplanetas e fotografa-los.

    Thumb up 5
    • Jonatas, esperando pelo futuro para poder olhar para o passado.

      Thumb up 2

Envie um comentário

Leia o post anterior:
orcam-thumb-550xauto-81418
Como fazer cópias 3D perfeitas de coisas do mundo real

Um foto digital deix...

Fechar