10 inacreditáveis usos para controle remoto

Por , em 16.12.2012

Modernos sistemas de controle de rádio oferecem-nos uma maneira de controlar qualquer coisa à distância com um alcance quase ilimitado, sem interferência, com câmeras de visão em primeira pessoa, sentados confortavelmente onde quer que estejamos. A tecnologia, ainda por cima, é barata.

Por conta de tantos “superpoderes” da tecnologia de controle remoto, é surpreendente que contrabandistas, policiais, militares, não estejam explorando tanto esta potência. Confira alguns usos chocantes e incríveis do controle de rádio – para o bem e para o mal:

1 – Tráfico internacional de drogas

Por US$ 400 (cerca de R$ 800), um modelo de avião elétrico silencioso pode ser comprado, com envergadura de 1,83 m e um raio de ação de quase 5 km. Ele é capaz de alcançar as nuvens em menos de 60 segundos, e pode transportar cargas de até 230 g. Com tempo de voo de 20 minutos por bateria e com mais US$ 200 (cerca de R$ 400) para equipamento de vídeo em primeira pessoa, o avião pode ser habilmente voado para longe de vista, e pousado em um pequeno espaço aberto. Com o mínimo de esforço, essas máquinas poderiam ser enviadas e recebidas através de fronteiras internacionais para entregar quantidades consideráveis de drogas em segredo, tornando batidas policiais muito mais desafiadoras.

2 – Cobaia pra bombas de estrada

Relatos trágicos de soldados ou pacificadores sendo mortos por bombas de beira de estrada são frequentes em zonas de guerra. Tipicamente, a bomba é detonada quando um carro passa por cima dela. Ao invés de arriscar vidas humanas, um carro controlado remotamente pode ir à frente para checar o caminho. Um servo de US$ 200, um receptor de US$ 50 (cerca de R$ 100) e baterias de 12 volts são suficientes para dirigir este veículo estilo videogame, checando quaisquer bombas ou minas terrestres na estrada e poupando vidas.

3 – Inteligência policial aérea

Esqueça o avião contrabandista. Com US$ 200 pelo Electric Motor Glider, controlado remotamente, um oficial poderia voar a aeronave por até 5 km longe da vista, e inspecionar a terra abaixo através da tecnologia de visualização em primeira pessoa. A máquina pode ficar por mais de 2 horas circulando em alturas de até 1.524 m. Tudo isso enquanto se disfarça de avião modelo. Acrescente uma câmera de zoom e um GPS, e os oficiais poderiam checar qualquer atividade suspeita vista de cima.

4 – Distração para resgate de reféns

Com uma capacidade razoável para apontar, US$ 600 (cerca de R$ 1200) e um quilo de explosivos, uma equipe especializada poderia dirigir um pequeno caça controlado por rádio comprado em uma loja de aviões modelo capaz de atingir 240 km/h com um alcance de 3,22 km diretamente em uma situação hostil. O impacto de tal máquina poderia criar uma enorme explosão, mas controlada, a fim de apenas criar choque e perturbar uma situação delicada. Este ataque momentâneo permitiria que as autoridades tirassem proveito da situação para garantir a libertação de reféns. Essas máquinas podem circular por mais de 5 minutos antes de atacar seu alvo.

5 – Pegadinha do monstro do lago Ness

Esqueça barco com controle remoto: com um submarino controlado remotamente, toda uma nova série de pegadinhas pode entrar em ação. Ao longo do século passado, fotografias e relatos de testemunhas oculares têm perpetuado lendas de monstros marinhos em todo o mundo. Com um submarino de US$ 300 (cerca de R$ 600), o esqueleto de um monstro do mar está garantido. Adicione uma cabeça realística de um plesiossauro ou monstro do lago Ness, manobre o veículo perto de agrupamentos humanos, e aguarde pelos avistamentos de monstros nos jornais e mídias sociais.

6 – Assistência cinematográfica

Em vez de alugar aviões caros de tamanho real para cenas aéreas, ou usar aeronaves animadas que às vezes parecem falsas demais em filmes de ação, modelos habilmente voados que custam menos de US$ 700 (cerca de R$ 1400) poderiam ser muito melhores. Os modelos podem fazer imagens aéreas estáveis, passar debaixo de pontes, estradas e bater em trens para cenas de ação que nem James Bond poderia sonhar. Os modelos aguentam muito, passam nos mais estreitos desfiladeiros, e trazem de volta imagens estabilizadas pela tecnologia de giroscópio integrada. Tudo isso possível graças a avanços incríveis nas tecnologias elétrica, de rádio e de câmera.

7 – Enganando seus amigos com teorias da conspiração

Qual seria a melhor pegadinha de todos os tempos? Que tal enviar uma máquina voadora remotamente equipada que poderia aparecer na propriedade de um amigo, realizar manobras impossíveis sem nenhum piloto visível, e soltar uma mensagem estilo governamental, em seguida desaparecendo de vista? De preferência, faça isso com um amigo que tende a acreditar em teorias da conspiração. Por menos de US$ 300 (R$ 600), uma máquina voadora desta natureza poderia ser criada. Controlada a partir de mais de um quilômetro de distância, os espectadores ficaram completamente perplexos com o evento todo.

8 – Defesa naval contra contrabandistas

Em situações de perigo envolvendo contrabandistas em barcos com drogas, há um desafio em como intervir e parar o veículo sem ter de matar ou ser morto pelos ocupantes. Com um submarino controlado por rádio carregando uma câmera remota ou bandeira de orientação, juntamente com um dispositivo de roca para perfuração, pequenos barcos que transportam fugitivos armados poderiam ser habilmente perfurados e afundados, sem o uso de armas de fogo. Submarinos básicos podem ser comprados por cerca de US$ 400 (R$ 800). Uma máquina policial personalizada com um alcance de 4 km ou mais, câmeras de bordo e outros elementos poderia provavelmente ser construída por cerca de US$ 4 a 6 mil, ou R$ 8 a 12 mil (esse custo pode ser reduzido se a máquina for produzida em massa).

9 – Veículo policial remoto

Toda polícia deveria ter um veículo terrestre elétrico remoto, que pode ser comprado e personalizado por cerca de US$ 300 (R$ 600). Eles são capazes de manobras precisas, podem viajar sobre todos os tipos de obstáculos, e podem alcançar velocidades de até 65 quilômetros por hora. A distância do controle pode ser de até 300 metros, e câmeras remotas podem ser montadas por um preço razoável. Ao invés de prosseguir em confrontos de alto risco com suspeitos potencialmente letais, a polícia poderia enviar o veículo à frente para investigar a situação e até mesmo pedir que o suspeito se renda. A ameaça de uma possível bomba no dispositivo poderia convencer o suspeito a obedecer.

10 – Se livrando de bombas letais

Quando uma bomba é descoberta, especialistas de desarmamento ou até mesmo robôs podem tentar neutralizar a ameaça. Isso cria um risco muito real para as equipes de resposta. No entanto, uma combinação de veículo controlado a rádio (helicóptero elétrico de alto desempenho com uma pinça em forma de gancho), custando entre US$ 500 e US$ 1000 (R$ 1000 a 2000), poderia levantar a bomba com um mínimo de vibração. O veículo pode ser operado a partir de até 5 km de distância com uma câmera remota. A bomba poderia, então, ser transportada pela máquina para um local remoto, pré-evacuado, tal como um poço, para uma eliminação ou desarmamento robótico de maior segurança.[Listverse]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Marlon Henrique:

    Matéria interessantíssima e de grande valia para um projeto que tenho em mente. Vocês poderiam postar os endereços de onde se encontra esses brinquedinhos pelos preços sugeridos.

  • David:

    Que matéria interessante!
    Falta apenas inventarem um controle remoto para nos teletransportarmos de um lugar a outro! Seria a invenção de todas as eras!

Deixe seu comentário!