17 naufrágios vistos pelo Google Earth

Por , em 16.10.2017

O naufrágio mais famoso do mundo pode ser o Titanic, mas seus restos não estão visíveis para todo mundo, dado que se encontram no fundo do mar.

Inúmeros outros naufrágios são muito mais acessíveis, no entanto, e nem é preciso ir até eles: você pode simplesmente usar o Google Earth.

Confira 17 naufrágios misteriosos com imagens de seus cascos apodrecidos e enferrujados em águas rasas de todo o mundo:

1. Navio Altair Naufragado


Este navio naufragado, conhecido como Altair, fica na costa do sul do Brasil, na praia do Cassino, na cidade de Rio Grande-RS. Uma forte tempestade o afundou no inverno de 1976, e ele foi abandonado e saqueado. O navio agora é um habitat para muitas espécies.

2. Navio capotado em Shatt al-Arab


Este navio gigante afundou em Basra, no Iraque. Ele tombou em Shatt al-Arab, também conhecido como Arvand Rud, um rio que atravessa o sul do país na fronteira entre o Irã e o Iraque, perto do Golfo Pérsico. O local parece ser um tipo de cemitério de navios: de acordo com estimativas da Companhia Geral de Portos do Iraque (GCPI), há cerca de 36 naufrágios neste rio.

3. USS Utah


Os japoneses bombardearam o USS Utah durante o ataque de Pearl Harbor em 7 de dezembro de 1941. 64 tripulantes morreram, 58 dos quais foram sepultados no navio quando ele tombou. O USS Utah não era um navio de guerra ativo, mas sim um auxiliar. Os japoneses sabiam disso, mas um piloto pensou que era um navio ativo e o bombardeou por engano. Seus superiores ficaram furiosos porque os bombardeiros tinham apenas 40 torpedos, e foi uma grande perda usar erroneamente dois.

4. SS Maheno


Durante a Primeira Guerra Mundial, a Nova Zelândia converteu um navio de passageiros – o SS Maheno – em um hospital flutuante. Mais tarde, em 1935, o SS Maheno foi vendido para uma empresa de sucata de Osaka, no Japão. Ele nunca chegou lá, no entanto: um ciclone cortou o reboque que conectava o SS Maheno ao navio que o rebocava, o Oonah. Três dias depois, o Maheno e sua pequena tripulação foram encontrados encalhados em uma praia na Ilha Fraser, ao largo da costa de Queensland, na Austrália.

5. Cemitério de navios Donjon Recycling


Este cemitério de navios em Staten Island, Nova York, nos EUA, se converteu em um museu marinho sem querer. Fundado na década de 1930, seu proprietário, John J. Witte, não queria desmantelar nenhum dos navios a menos que ele tivesse um comprador. Assim, eles continuaram a se acumular. Depois de um tempo, a Witte Marine Equipment Co. tinha mais barcos do que conseguiria desmantelar. Desde então, os destroços tornaram-se um habitat para a vida marinha subaquática, e leis ambientais exigem que as centenas de cascos permaneçam intactos no local, agora conhecido como Donjon Recycling.

6. SS Palo Alto


Este famoso petroleiro de concreto foi feito para lutar durante a Primeira Guerra Mundial, mas a guerra terminou antes que ele pudesse entrar na batalha. Ele é de concreto porque, nesse período, havia preocupações com a escassez de aço, de forma que o presidente americano Woodrow Wilson pediu que navios fossem construídos a partir de concreto armado e reforçados com aço. Em 1930, um cais foi construído para chegar ao barco e ele tornou-se um popular destino turístico. No entanto, o navio também representa um perigo ambiental. Em janeiro de 2017, uma tempestade na costa da Califórnia rasgou a popa do SS Palo Alto.

7. SS Francisco Morazan


O SS Francisco Morazan está hoje no fundo do lago Michigan, depois que encalhou durante uma tempestade de neve em 1960. O navio da Holanda deixou Chicago em 27 de novembro de 1960, com 940 toneladas de carga. Ventos fortes trouxeram água a bordo do navio, e neve e névoa pesada cegaram a tripulação, de forma que o navio acabou encalhando na Ilha South Manitou. A tripulação abandonou o Francisco Morazan e ele continua no lago até hoje, onde agora abriga pássaros, incluindo corvos e gaivotas.

8. Half Moon


The Half Moon Underwater Archaeological Preserve é o túmulo de uma escuna-iate de aço de 366 toneladas. O navio de 1908 se chamava Germania e acelerava pelas águas do mundo como um iate de corrida. No entanto, Germania foi capturado pela Inglaterra durante a Primeira Guerra Mundial, vendido e renomeado Half Moon. Mais tarde, em Miami, foi reaproveitado como um cabaré flutuante durante a era da Proibição. O iate afundou em 1930, quando uma tempestade o encalhou, e agora é visitado por snorkelers e mergulhadores que visitam a reserva arqueológica.

9. St. Christopher


O St. Christopher provavelmente irá passar o resto de seus dias no porto de Ushuaia, no sul da Argentina. A embarcação é um navio de resgate construído pelos Estados Unidos que serviu na Marinha Real Britânica durante a Segunda Guerra Mundial. Ele foi vendido em 1947 a um homem em Buenos Aires, que utilizou o navio para operações de salvamento. Problemas no motor e danos no leme fizeram o St. Christopher ser abandonado em 1957. Para evitar desastres ambientais, o combustível restante do barco foi drenado em 2004.

10. Naufrágio da Costa dos Esqueletos


Este naufrágio enferrujado fica na Costa dos Esqueletos, ao norte de Luderitz, na Namíbia. Com 1.570 quilômetros de extensão, o local está repleto de naufrágios. Quando as correntes frias do Atlântico se misturam com o ar seco e quente do deserto da Namíbia, isso cria uma névoa fria e densa que pode atrapalhar até os capitães de navio mais cuidadosos. Os Khoisan, uma tribo de caçadores-coletores, aparentemente chamam a Costa dos Esqueletos “a terra que Deus criou com raiva”, um lugar cheio de “grandes baleias brancas encalhadas, cascos de naufrágios, plantas mortas e pegadas de raras criaturas do deserto em uma busca desesperada por sustento”.

11. MS World Discoverer


O MS World Discoverer fica nas Ilhas Salomão no Oceano Pacífico. O navio de cruzeiro dinamarquês foi construído em 1974 e atingiu uma rocha durante um cruzeiro em 2000. A tripulação enviou um sinal de socorro e providenciou que todos os passageiros fossem escoltados com segurança para uma balsa. Mais tarde, o barco foi saqueado e danificado durante a Guerra Civil das Ilhas Salomão. Ainda fica na Baía Roderick, onde turistas fotografam a vegetação tropical crescendo em seu convés.

12. Barco quebra-mar


O Point San Pablo Yacht Harbour, em Richmond, Califórnia, contém um navio afundado que foi propositalmente colocado ali como um quebra-mar – uma barreira para proteger o porto das ondas intermináveis da Baía de São Francisco. O capitão Raymond H. Clark, que fundou a marina, não tinha dinheiro para construir um dique, então teve a ideia não convencional de usar navios afundados, criando uma paisagem pitoresca na área.

13. Naufrágio de Oakland


As águas em torno de Oakland e São Francisco estão cheias de naufrágios. Este fica em San Leandro Bay, não muito longe do Aeroporto Internacional de Oakland.

14. Naufrágio do rio Tamisa


Esses barcos sentam-se no rio Tamisa, ao lado da Academia da Guarda Costeira dos Estados Unidos, em New London, Connecticut.

15. Desastre na Groenlândia


Este naufrágio está localizado na costa sudoeste de Nuuk, na Groenlândia.

16. Esqueleto de navio em Cape Cod


O contorno de um naufrágio ainda pode ser visto no Long Point, em Cape Cod, nos EUA.

17. Naufrágio em Baja California Sur


Este enorme navio apareceu naufragado em uma praia na Baja California Sur, no México. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,00 de 5)

Deixe seu comentário!