3 histórias bizarras por trás de tradições comuns

Por , em 10.09.2013

Você aperta as mãos dos seus amigos para cumprimentá-los, dirige pela pista da direita e cobre a boca quando boceja – e provavelmente nunca pensou porque faz isso. Tradições como essas estão tão enraizadas que é difícil encontrar alguém que as conteste. Mas por trás desses gestos comuns existem lendas e histórias muito antigas. Quando essas tradições começaram, elas normalmente tinham apenas uma razão: proteger a própria vida.

Descubra o que está por trás de tradições comuns do nosso dia a dia:

Aperto de mãos

1
Apertar as mãos de amigos e desconhecidos é um gesto cortês que mostra educação. Mas você já parou para pensar porque fazemos isso?

Essa tradição é muito antiga, e vem diretamente de uma época em que todos eram extremamente paranoicos com a possibilidade se ser assassinado por qualquer um. No passado, estender uma mão vazia era mais do que um gesto amigável – era a indicação de que a pessoa não estava segurando uma faca ou pedra para te atacar.

Quando os antigos romanos se reuniam, eles eram ainda mais desconfiados: apertavam os braços um dos outros para checar até os cotovelos da outra pessoa e descobrir se não havia nenhum punhal escondido nas mangas.

E você já reparou que os apertos de mão sempre envolvem as mãos direitas? Essa escolha não foi feita ao acaso. Em algumas culturas, isso era feito para evitar ataques surpresas de outras pessoas destras. Em outras sociedades, quando ainda não havia o papel higiênico, a mão esquerda era usada para esse tipo de limpeza… e não pegaria bem estender essa mão para um estranho apertar.

Tráfego pela direita

2
A menos que você seja britânico, australiano ou um infrator no trânsito, você deve conduzir pelo lado direito da pista. Ninguém contesta isso, porque é algo que simplesmente funciona, mas o tráfego nem sempre foi assim – na verdade, costumava ser exatamente o contrário.

Na Roma antiga, o tráfego era sempre pela esquerda. O motivo? Se proteger de inimigos, claro. Como a maioria das pessoas sem superpoderes é destra, se elas estivessem viajando pela direita e aparecessem inimigos à esquerda, seriam grandes as chances de acabar preso em um acostamento com um cavalo sem cabeça. Ao invés disso, pela esquerda as pessoas estavam mais bem preparadas para lutas com espadas. Por sinal, o hábito de viajar pela esquerda se tornou algo tão arraigado na Europa que foi transformado em lei em 1300 pelo Papa Bonifácio.

Então, por que é que as coisas mudaram? Diz a lenda que Napoleão inverteu tudo, supostamente porque era canhoto. E bem, com a criação das armas de fogo, não fazia sentido para os destros ficarem na esquerda, pois teriam que fazer algumas contorções para atirar. Apesar de o tempo ter passado, parece que muita gente ainda é paranoica e tem medo de ser assassinada a qualquer momento.

Cobrir a mão ao bocejar e dizer “saúde” quando alguém espirra

3
Em algum momento da história da humanidade, parece que se tornou importante nos preocuparmos com o ar que entra ou sai da boca dos outros. Afinal, quando bocejamos (aposto que você ficou com vontade de bocejar só de ler essa palavra) automaticamente cobrimos a boca, provavelmente porque desde que você era criança sua mãe dizia que era educado fazer isso. E quando alguém espirra sempre dizemos “saúde” para sermos simpáticos – a não ser que alguém espirre diretamente no nosso rosto – aí você provavelmente dirá outra coisa.

Culturas islâmicas antigas viam os bocejos como um convite para demônios entrarem no seu corpo. Enquanto isso, na Índia, bocejar podia ser perigoso por dois motivos: espíritos poderiam entrar no seu corpo e fazer travessuras, ou sua alma poderia escapar. Felizmente, os seres humanos vêm equipados com bloqueadores de espíritos satânicos nas extremidades de cada um de seus braços. Basta cobrir nossas bocas com as mãos para ficarmos protegidos de qualquer mal.

Já na Europa Medieval, cobrir os bocejos não era um ritual espiritual, mas uma necessidade física. Com a peste bubônica correndo solta pelo continente, essa era uma forma de tentar evitar a transmissão da bactéria.

Falar “saúde” quando alguém espirra também pode ter tido sua origem na peste negra. Quem adoecia nesse período dificilmente vivia por muito tempo, por isso espirros começaram a significar sentenças de morte. Durante a grande peste, o Papa Gregório instruiu que toda a população abençoasse quem espirrasse. Em países de língua inglesa, até hoje quando alguém espirra se diz “God bless you” (Deus te abençõe, em inglês). Por aqui, ficamos com o nosso tradicional “saúde”. [Cracked]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Bruno Mendes Albino:

    Eu bocejei haha

  • Pamela Azevedo:

    Show!
    “…por isso espirros começaram a significar sentenças de morte.”
    Que loucura e.e

  • Fernando de Jesus:

    first

  • Luiz Fernando:

    A história que ouvi sobre o aperto de mão era um pouco diferente: Antigamente, antes de um duelo, os duelistas davam um abraço um no outro. Mas acontecia muitas traições por apunhalada pelas costas, então “inventaram” o aperto de mão para evitar isso.

  • Thaís Schulz:

    ótimo texto!

Deixe seu comentário!