A máquina de relâmpagos que derrete diamantes

Por , em 6.08.2012

Dentro dos Laboratórios Nacionais Sandia em Albuquerque, Novo México (EUA), está um aparelho com capacidades extremas: ele pode gerar pressão suficiente para derreter diamantes, um pulso eletromagnético que pode matar e uma corrente elétrica suficiente para acender 100 milhões de lâmpadas.

Com um nome menos imponente do que se esperaria de um equipamento tão poderoso, a Máquina Z foi desenvolvida para auxiliar em pesquisas de fusão nuclear e pode, além disso, mostrar como um material se comporta em condições extremas de pressão e temperatura.

Quando ligada, ela envia uma corrente elétrica para centenas de pequenos filamentos de tungstênio. A corrente é tão forte que o metal evapora e forma uma nuvem de partículas carregadas (plasma). O campo magnético gerado por essa nuvem força as partículas a se alinhar no centro da máquina, colidindo e emitindo raios-X de alta intensidade.

Usando o campo magnético da Máquina Z, o pesquisador Marcus Knudson conseguiu movimentar placas de metal e fazê-las aplicar em um diamante uma pressão 5 milhões de vezes maior do que a atmosférica. Mesmo esse material quase indestrutível não foi capaz de suportar a força aplicada e derreteu.

Na foto que ilustra a matéria, você pode ver o brilho dos filamentos de tungstênio gerado pela corrente no momento em que o aparelho é ligado. Além de rápido (dura uma fração de segundo), o processo é perigoso: “É gerado um enorme pulso eletromagnético que poderia matar qualquer um que estivesse observando a máquina”, avisa Knudson.[New Scientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • Alberto Carvalhal Campos:

    Parece mais com um buraco negro artificial.

  • Gustavo Túlio:

    Criar diamantes com carvão e depois derreter pra gerar energia? Sustentável? Entropia? D: tomara

    • Gustavo Túlio:

      Nossa, li totalmente errado….. Pensei que era um gerador de energia.

Deixe seu comentário!