Descoberta da astronomia poderia levar a tratamento eficaz de câncer

Por , em 31.07.2011

O que astronomia e medicina têm em comum? Aparentemente, a possível cura para uma das piores doenças que já existiram.

Astrônomos fizeram uma descoberta no estudo de estrelas e buracos negros que pode levar a tratamentos mais seguros e efetivos de câncer no futuro.

Os cientistas notaram que metais pesados emitem elétrons de baixa energia quando expostos a raios-X com energias específicas.

Isso levanta a possibilidade de que implantes feitos de ouro ou platina poderiam permitir aos médicos destruir tumores com elétrons de baixa energia, expondo o tecido saudável à radiação muito menor do que é possível hoje.

Simulações de computador sugerem que atingir um único átomo de ouro ou platina com uma pequena dose de raios-X em uma estreita faixa de frequências produz uma avalanche de mais de 20 elétrons de baixa energia.

Os cientistas explicam que esses elétrons ejetados podem matar o câncer, destruindo seu DNA. Assim, os médicos podem incorporar muitas nanopartículas de metal pesado dentro e ao redor de tumores e, em seguida, atingir-lhes com radiação adaptada.

O chuveiro de elétrons resultante poderia destruir um tumor, e o processo reduziria grandemente a exposição à radiação do paciente, em comparação com métodos de tratamento mais atuais de radiação.

A equipe construiu um protótipo que mostra que frequências específicas de raios-X podem liberar elétrons de baixa energia a partir de nanopartículas de metais pesados. Enquanto a máquina ainda precisa ser desenvolvida, já existe prova de que a técnica tem potencial para o tratamento do câncer.

Em resumo, o estudo poderá eventualmente levar a uma combinação de radioterapia com quimioterapia, com a platina sendo o agente ativo.

Esse potencial novo tratamento surgiu com o estudo dos céus. Especificamente, os pesquisadores estavam tentando entender do que diferentes estrelas são feitas, com base em como a radiação flui através e emana delas.

A equipe construiu modelos de computador complexos para simular esses processos. Os modelos deram pistas de como metais pesados como o ferro se comportam quando absorvem diferentes tipos de radiação.

O ferro desempenha um papel dominante no controle do fluxo de radiação através de estrelas. Mas também é observado em alguns ambientes como buracos negros, que produzem alguns tipos de raios-X que podem ser detectados da Terra.

Foi quando eles perceberam que as implicações iam além da astrofísica atômica: raios-X são usados o tempo todo em tratamentos de radiação e de imagem, bem como metais pesados. Se fosse possível alvejar nanopartículas de metais pesados em certos locais do corpo, seria possível também reduzir a exposição à radiação e ser muito mais preciso.

“Como astrônomos, aplicamos física e química básicas para compreender o que está acontecendo nas estrelas. Estamos muito animados em aplicar o mesmo conhecimento para tratar o câncer”, disse o astrônomo Sultana Nahar.[LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

10 comentários

  • Gilberto:

    Consegui 1 voto positivo no meu comentário, apesar de sermos minoria fico feliz em saber que existem pessoas preocupadas com a fome que assola o nosso planeta e preferem resolver as coisas aqui ao invés de ficar olhando pro espaço.

  • José Calasans.:

    Acho que toda pesquisa em qalquer área,é bem vinda,pode ser aqui na terra ou fora dela,o conhecimento de um modo em geral leva o homem ao desenvolvimento.

  • xd:

    Fisica,Astronomia,ciencia em geral e muito importante !
    um dia os seres humanos vao possuir technologia suficiente para explorar o espaco! Pessoas que faam que isso e uma perca de tempo ou nao possuem nenhum conhecimento ou elas nao possuem nenhuma visao sobre o futuro ! Nada!

  • Gilberto:

    Temos que parar de olhar para as estrelas e cuidar do nosso próprio quintal, gastar em pesquisas espaciais é desperdício de dinheiro, esse dinheiro poderia ser usado para ajudar as pessoas famintas na África.

    • Jean P. Carvalho:

      Gilberto, vc leu a matéria??

      Foi justamente a observação espacial q. permitiu descobrir um possível e + efetiva cura p/ todo tipo de câncer… e isso talvez possa influenciar na descoberta de novas curas p/ outras doenças tbém… e vc acha isto “desperdício de dinheiro”??
      O q. falta p/ ajudar as pessoas na África não é dinheiro… é falta de interesse mesmo – basta lembrar q. há comida estocada no mundo mais do q. suficiente p/ abastecer várias Áfricas, por um bom tempo…

    • Anderson Thiago:

      Se você não gasta seu dinheiro ajudando as pessoas famintas da África, por que os EUA, ou Europa, ou qualquer outro lugar, gastaria???

  • Maikon:

    Só um exemplo de muitos que já existiram, mais um tapa na cara de quem prefere criticar os investimentos em estudos do que criticar a corrupção do governo.

  • Alex:

    Cadê os trollers agora para falar que gastar com Pesquisas Espaciais é perca de tempo?

  • Marcos:

    Cadê aquelas mulas tapadas de plantão pra falar que temos que parar de olhar pras estrelas e olhar nosso próprio quintal? A próposito perdão a esses lindos animais que são as mulas, elas não merecem tal comparação. Um dos grandes trunfos da nossa ciência é a DIVERSIDADE do conhecimento. Isto que dizer que o João nasceu com talento pra medicina, a Joana pra Biotecnologia, o Pedro para física de partículas. E isto também quer dizer que apesar de tão diversas, todas se complementam, e o que uma área do conhecimento descobre acaba beneficiando as outras e por conseguinte a humanidade. E ainda quero dizer mais uma coisa. Esta é apenas uma, das centenas descobertas que a ciência aeroespacial e astronômica já trouxe para outras áreas do conhecimento, incluindo aí a medicina.

  • Jack:

    Essa matéria é um tapa na cara dos críticos que atacam incansavelmente os gastos das pesquisas em fisica/astronomia, etc. Essa é uma pequena amostra de tantos outros benefícios em pesquisas.

Deixe seu comentário!