A África está se dividindo em duas partes, e esta é a prova

Por , em 2.04.2018

Um pedaço da África Oriental pode se separar do resto do continente em dezenas de milhões de anos.

A evidência disso é o Vale do Rift, no Quênia, um complexo de falhas tectônicas onde uma fenda gigante abriu-se após fortes chuvas e atividade sísmica.

A enorme rachadura apareceu em 19 de março, chega a mais de 15 metros de largura, tem vários quilômetros de comprimento e continua crescendo.

Duas Áfricas

A ruptura é provavelmente um sinal do que está por vir quando as placas tectônicas sob a África se reorganizarem.

A maioria do continente fica em cima da placa Africana. No entanto, um pedaço longo e vertical da África Oriental fica em cima da placa Somali.

O local onde as duas placas se encontram é conhecido como Rifte do Leste da África, ou Rifte Africano Oriental, e se estende por impressionantes 3.000 quilômetros.

Em essência, as placas Africana e Somali estão se dividindo em duas. Isso significa que, provavelmente em algum momento no futuro distante, dois pedaços do continente africano vão se separar totalmente.

Como isso acontece?

A litosfera, que é quebrada em placas tectônicas, é feita da crosta terrestre e da parte superior do manto terrestre. Quando forças são exercidas sobre ela, a litosfera se torna mais fina até que se rompe. Esse tipo de ruptura já levou à formação do Vale do Rift.

O processo de ruptura é frequentemente acompanhado por atividade sísmica e vulcanismo. No caso do Rifte do Leste da África, uma grande pluma do manto sob a litosfera está enfraquecendo-a, permitindo que ela se estique.

Fendas levam a formações terrestres reconhecíveis – isto é, uma série de depressões cercadas por terrenos mais altos. O Rifte do Leste da África possui uma série de vales que podem ser vistos do espaço.

No entanto, nem todas essas fendas se formaram ao mesmo tempo. Em vez disso, começaram no norte da Etiópia há cerca de 30 milhões de anos e se espalharam, continuando a se formar em direção ao sul a uma taxa média entre 2,5 e 5 centímetros por ano.

Terremotos

Enquanto as placas Africana e Somali se separam, a região pode experimentar terremotos, como aconteceu no sudoeste do Quênia na semana passada. A rachadura gigante rasgou a movimentada rua Mai Mahiu-Narok e partiu casas. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (30 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!