Agrotóxicos: é possível lavá-los dos alimentos?

Por , em 21.05.2014

Se você se preocupa bastante em tirar todos os agrotóxicos de sua comida, nós temos uma boa e uma má notícia. A má notícia é que isso não é possível. A boa é que você não deve se preocupar tanto com isso. Se há qualquer resíduo de pesticida na parte de fora de seu alimento, a sua melhor aposta para remover o máximo possível é lavá-lo vigorosamente sob água corrente – não use sabão, ou você realmente pode adicionar produtos químicos no produto.

Por que não dá para lavar todos os agrotóxicos?

Mas você não vai conseguir lavar tudo. Alguns dos resíduos dos pesticidas estão provavelmente no interior dos alimentos. No entanto, você não precisa se assustar com isso.

Se os agricultores estão usando um pesticida de acordo com os requisitos que constam na embalagem – que é o que eles são legalmente obrigados a fazer – então há algo chamado “intervalo de pré-colheita”.

“Um intervalo de pré-colheita é o período de tempo após um pesticida ser aplicado que o agricultor tem que esperar antes de colher a safra – e esse intervalo é especificado na etiqueta de cada pesticida”, explica Chris Gunter, pesquisador da Universidade Estadual da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, especialista em agricultura vegetal.

O objetivo é que os restos do pesticida sejam destruídos, lavados ou evaporados pela ação da luz solar, da água ou de outros fatores ambientais durante este período de tempo. Isto significa que qualquer resíduo de pesticida em cima (ou dentro) dos alimentos está dentro dos limites de tolerância estabelecidos pelos órgãos responsáveis para proteger a saúde humana.

“Com a melhoria da tecnologia e da metodologia, podemos agora detectar níveis mínimos de pesticidas. Mas ser capaz de detectar um pesticida não significa que isso é um problema de saúde pública”, afirma Gunter.

Outra razão para que você não possa lavar todos os traços de um pesticida é que alguns pesticidas são concebidos para serem incorporados à planta em si, absorvidos através da “pele” da planta ou através de suas raízes. Mas esses pesticidas também estão abrangidos pelos requisitos de intervalo de pré-colheita exigido.

“Contanto que os agricultores estejam seguindo a etiqueta, os pesticidas utilizados não representam um risco significativo para os consumidores”, diz o especialista.

Campanhas educacionais mostrando aos agricultores como utilizar o produto, portanto, são recomendadas para garantir que nenhum risco chegue até os consumidores e nem às próprias pessoas que manuseiam estes produtos. [Phys]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

15 comentários

  • Lilian C:

    Eu acho que muitas pessoas desenvolvem câncer e analisando o caso não se sabe como foi que isso aconteceu.
    Muitas coisas na medicina são mistérios.. Eu vou confiar que existe quantidade segura de consumo de agrotóxico?
    Estou mudando meus hábitos para consumir orgânicos.
    É mais caro mas existem feiras mais baratas….
    Eu quero consumir o máximo de orgânicos que foi possível.

  • Valdeir:

    E como limpar a natureza?

    As 04 grandes corp. do veneno Monsanto, Syngenta, Bayer, e Dupont, já conseguiram apagar toda o conhecimento de 10.000 anos de agricultura, para nos expor a uma que só é possível com o uso maciço de pesticidas.

    Estas cias do veneno que nasceram das tecnologias da guerra para envenenar humanos nos campos de concentração nazista ou para desmatar florestas como no vietnam, encontraram mercado nos “alimentos” com o fim dos grandes conflitos mundiais…

    • Cesar Grossmann:

      Não é tanto assim.

      http://redeglobo.globo.com/tvcabobranco/noticia/2014/05/sementes-da-paixao-produzidas-na-paraiba-sao-destaque-no-globo-rural.html

    • Valdeir:

      Obgdo Cesar pelo link. Conheci um desses trabalhos de agroecologia na PB. No RS também tem agricultores se reunindo para resgatar sementes. Já que as cias do veneno se apoderam de quase todas as sementes do mundo.
      Hoje não posso passar num aeroporto na Europa com semente pois posso ser preso. Tenho que alegar que é para artesanato. Loby das cias na lei.
      A minha esposa tem um sítio para produção de orgânicos, e a nossa luta é para obtenção de sementes.

    • Cesar Grossmann:

      Valdeir, existe o problema da biopirataria e também o problema da bio-sabotagem. Imagine que você coloque algumas sementes que contém uma doença que dê uma quebra na lavoura de mais de 50%. O pessoal da alfândega não está protegendo os interesses de alguma multinacional.

      A passagem de produtos ‘in natura’ pode trazer problemas sérios, como o caso da formiga lava-pés, que se tornou uma praga nos Estados Unidos, e que provavelmente veio com uma carga de alimentos ‘in natura’.

    • Valdeir:

      O discurso é só daqueles que detêm o poder.
      Uau. Biopirataria. Mas pirataria por parte de quem?
      De quem se roubou (“patentiou”) para sí quase todas as plantas do mundo, ou da gente que quer apenas plantar aquilo que já era naturalmente de todos.
      Um simples tomate, uma laranja, ou qualquer outra planta, todas são de propriedade da Monsanto, da Bayer, da Dupont, da Syngenta.

      A sabotagem existe, e já vem na semente comprada destas cias para depois vender veneno. Quem se envenena somos…

  • wilson l c chaves:

    Meu caro Cesar Grossman:
    Existem metais pesados nos agrotóxicos ???
    Se sua resposta for positiva,estamos no vinagre,ou nao ?
    Como livrar dos metais pesados ?
    Quais alimentos possuem tais metais?
    Quais sao eles ?

    • Cesar Grossmann:

      Até onde eu sei, só se for como contaminante:

      Dos cerca de 115 elementos químicos conhecidos atualmente, 11 podem estar presentes nas formulações dos agrotóxicos, dentre eles: bromo (Br), carbono (C), cloro (Cl), enxofre (S), fósforo (P), hidrogênio (H), nitrogênio (N) e oxigênio (O), e são os mais frequentemente encontrados, conferindo características específicas aos agrotóxicos.

      http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc34_1/03-QS-02-11.pdf

  • Jader Ensslin:

    Já ouvi dizer que é usado secante em grãos para acelerar secamento da planta e rápida colheita. Ou seja, comemos secante. Qualquer um do meio agro sabe disso.

    • Cesar Grossmann:

      “Ouvi dizer” é boato. Seria mais interessante saber de onde saiu esta informação.

  • jose Senen de Alencar:

    É verdade, a Natureza sabe como nos proteger, mas, por causa das dúvidas, o melhor é escolher bem os alimentos e lavá-los.

  • Marne:

    Cesar Grossmann!

    Sou muito apreciador de seus comentários inteligentes!
    Mas, outro dia recebi uma Dica do Dr. Lair Ribeiro, aconselhando pormos 04 gotinhas de iodo para cada
    litro de água e deixarmos as frutas e ou verduras de molho por uma hora, que o procedimento elimina
    todas impurezas das mesmas!
    Ou, como já é feito por muitas pessoas, aplicar uma colher de sopa com hipoclorito de sódio por cada
    litro d’água, deixando as frutas e verduras por 5 minutos!
    Agora, após o comentário…

    • Cesar Grossmann:

      O hipoclorito é para eliminar bactérias, e desconfio que o iodo tem a mesma finalidade. Acho que você não elimina nenhum agrotóxico desta forma…

  • Cesar Grossmann:

    E para quem está torcendo o nariz para os “limites de tolerância” dos pesticidas, tudo que você ingere tem um “limite de tolerância”, a partir do qual ele se torna tóxico.

    E, exceto no caso dos metais pesados, toda substância tóxica que não matar o indivíduo vai ter dois destinos: ou será excretada na urina ou suor, ou então será metabolizada em outros compostos que por sua vez ou serão aproveitados, ou então excretados.

  • Jefferson Viana:

    E quem confia???

Deixe seu comentário!