Alergias podem ter ligação com o local de nascimento do bebê

Por , em 9.10.2011

Onde e como o bebê nasce pode afetar as suas chances de ter alergias e asma.

Os pesquisadores descobriram que os bebês são mais propensos a abrigar um certo tipo de bactérias no intestino se eles nascerem no hospital e, especialmente, por cesariana. Os micróbios do intestino, por sua vez, foram ligados a chances de uma criança, mais tarde, ficar com alergias ou asma.

A intenção não é que as pessoas passem a ter filhos em casa indiscriminadamente. Mas é mais um tópico para adicionar a uma lista crescente de possíveis culpados por trás do recente aumento da asma e de alergias em crianças.

O estudo incluiu cerca de 2.700 bebês que foram acompanhados até os sete anos de idade.

Um mês após o nascimento, os pesquisadores testaram amostras fecais das crianças, procurando saber se seus intestinos estavam hospedando algumas espécies específicas de bactérias, como Escherichia coli e Clostridium difficile.

Quando as crianças estavam mais velhas, a equipe pediu aos pais para informar a frequência com que os filhos ofegavam e precisavam de medicamentos para asma, e se eles tiveram uma erupção cutânea chamada eczema. As crianças também faziam exames de sangue para ver se tinham sinais de alergias alimentares ou a animais de estimação.

Os pesquisadores descobriram que C. difficile, um tipo de bactéria conhecida por se espalhar em hospitais, foi mais comumente vista nos intestinos dos bebês nascidos por cesariana. Cerca de 43% deles abrigavam C. difficile em suas fezes, comparado a 27% dos nascidos de parto normal no hospital e 19% dos nascidos em casa.

Embora os bebês que nasçam de parto normal obtenham a sua primeira bactéria de intestino a partir de suas mães – no canal de parto e através de outros contatos directos –, na cesariana os bebês são expostos pela primeira vez às bactérias pela pele de médicos e enfermeiras, ou por outros lugares da sala de parto.

E essa primeira exposição precoce a bactérias pode ter implicações mais tarde. Crianças que testaram positivo para C. difficile quando bebês, tinham duas vezes mais chances de ter asma com seis ou sete anos e também foram mais propensas a ter eczema ou alergia a algum alimento.

Ao todo, cerca de 7% das crianças tinham asma, cerca de 22% tinham os sinais de alerta de uma alergia alimentar e 12% tiveram eczema.

Micróbios do intestino são conhecidos por regular e influenciar aspectos importantes do funcionamento do sistema imunológico de todo o corpo. Um equilíbrio particular desses micróbios pode predispor crianças a certos tipos de asma e alergias – embora o estudo não possa provar que um causa o outro.

Outros pesquisadores afirmam que o recente estudo irá enquadrar-se na “hipótese da higiene”, que postula que as crianças têm mais alergias atualmente porque elas são muito limpas.

Ter um mix distorcido de bactérias intestinais no início da vida, ou na falta de uma gama de bactérias, diminui a estimulação precoce do sistema imunológico, o que poderia levar a algumas alergias mais tarde.

Os resultados são interessantes, mas ainda é um primeiro passo para poder ligar micróbios intestinais a alergias.

Ainda mais, não podemos concluir que esta bactéria específica (C. difficile) é a causa do aumento do risco de alergias e asma, já que a microbiota contém milhares de espécies diferentes e nós só conhecemos algumas delas.

Por enquanto, as conclusões não devem alarmar os pais e futuros pais. Dar à luz em casa pode sim gerar crianças alérgicas – e deve dar um trabalho! [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Mateus:

    Eu nasci de parto normal num hospital de Nova Iguaçu. Por sorte não tenho nenhuma asma ou alergia (só que quando eu comomortadela fico todo empolado, pode ser considerado alergia?).

    • Jam:

      acho q sim

Deixe seu comentário!