Antidepressivos na gravidez fizeram ratos agirem como autistas

Por , em 27.10.2011

Antidepressivos e gravidez são duas coisas que aparentemente não combinam. Um novo estudo demonstrou que ratos expostos a antidepressivos antes e depois do nascimento mostraram anormalidades cerebrais e comportamentos que lembram o autismo.

Embora a pesquisa tenha sido feita em animais, ela fornece evidências para um estudo anterior que relatou ligação entre o uso de antidepressivos durante a gravidez e autismo entre crianças.

O estudo demonstrou que ratos em desenvolvimento que foram expostos a inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS) – usados no tratamento da depressão – se tornaram excessivamente temerosos quando se confrontavam com situações novas e não conseguiam agir normalmente com os outros roedores.

Esses resultados mostram a importância de níveis de serotonina equilibrados – não muito altos nem baixos – para a maturação adequada do cérebro do feto.

Ratos do sexo masculino e feminino expostos ao ISRS antes e após o nascimentos apresentaram alterações cerebrais que persistiram até a idade adulta. Os ratos masculinos, especificamente, sentiam muito medo quando ouviam sons estranhos. Eles também se recusavam a explorar o ambiente na presença de objetos ou odores desconhecidos.

A divisão de gênero entre os ratos também é parecida com uma característica do autismo em humanos, que afeta meninos três a quatro vezes mais do que meninas. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

Deixe seu comentário!