Aposentadoria precoce pode prejudicar a memória

Por , em 13.10.2010

Poucos ousariam discordar de como seria bom se você pudesse se aposentar (com condições financeiras favoráveis, obviamente) cinco, dez anos antes do previsto. Nada mais justo depois de uma vida inteira de trabalho. Mas pesquisadores da Universidade Stanford em Palo Alto (Califórnia, EUA) afirmam que isso pode implicar em um prejuízo para o cérebro: deterioração antecipada da memória.

Assim como muitas outras funções corporais onde essa tendência já se verificou – tais como a musculatura, a fala e até mesmo o sexo -, aplica-se a regra do “use-o ou perca-o”. Parar de exercitar a memória faz com que a pessoa vá a perdendo lenta e gradualmente.

A pesquisa dos estudiosos de Stanford, publicada em uma revista especializada, comparou a capacidade cognitiva de pessoas da mesma faixa etária – no caso, mais de 22.000 americanos, todos com mais de 50 anos de idade -, sendo que algumas eram aposentadas e outras não. Os resultados mostraram duas vertentes: a primeira é que os aposentados, em geral, tiveram desempenho pior do que os ainda profissionalmente ativos, em testes de raciocínio e memória. Na segunda fase dos estudos, houve uma pesquisa de cunho internacional, com a participação de França, Inglaterra, Dinamarca, Itália e Espanha, e os resultados foram igualmente alarmantes.

Por outro lado, não pôde ser comprovada a eficácia de atividades cognitivas – tais como fazer palavras-cruzadas ou jogar sudoku – para aumentar as capacidades cognitivas dos já aposentados. Nesse caso, você aumenta as habilidades para aquelas atividades específicas, mas não tem um benefício generalizado para o cérebro. Trocando em miúdos, o que os cientistas estão afirmando é que para se manter lúcido, o melhor remédio é mesmo continuar trabalhando. [The New York Times]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • CREUZA- SALVADOR/BA:

    Aposentei-me recentemente, por incrivel que pareça ainda não encontrei tempo para fazer o que gosto, e dizem que aposentado não tem o que fazer, ledo engano. Ainda estou na fase da organização… organizar-me para ver realmente qual o meu tempo livre, são tantas coisas que quero fazer, (cursos de pintura, de dança, artesanatos) enfim quero manter-me ativa para não enferrujar e aproveitar com alegria os anos daqui por diante.

  • ivone:

    O bom é se aposentar com disposição para exercer outras atividades, mesmo que seja só por lazer.Aguardar a “EXPULSORIA” nem sempre é o ideal, pois perde oportunidades de aprender e executar coisas novas. Para estar com a memória sempre ativa não se faz necessário ter um trabalho rotineiro, que muitas vezes torna-se mecânico e a memória já nem é tão solicitada.O aposentado tem a chance da diversificação.Infelizmente isto não é um privilegio para todos,visto que, muitos têm que ralar até o último suspiro.

  • Leka:

    Se trabalhar fosse bom as empresas não pagariam agente. 🙂

  • Olmiro Nunes Marcondes:

    Concordo plenamente com a pesquisa acima. Após completar 40 anos ininterruptos de trabalho na mesma empresa, decidi me aposentar. Para não me tornar um inútil a mais, diversifiquei minhas atividades mesmo sem sair de casa. Ou seja: Horta, Jardim, Pequenas reformas e consertos, manter a frente da casa sempre limpa, um pouco de Informática, um pouco de leitura um pouco de TV e la se foi mais um dia.
    Tenho observado que , passar alguns dias sem dirigir, prejudica o desempenho do motorista e, do carro também.
    RESUMO: Fique esperto. Se aposente ativo. ( ou vai acabar no Ferro Velho)He,he.

    • robertobc:

      Voces esquecem de mencionar que muitas pessoas se aposentam por falta de oportunidades profissionais. Eu com quese 50 anos não encontro trabalho ja a 2 anos. Aposentadoria precoce ? Ficarei doente então, perderei a memória ? Terror bate a porta.

Deixe seu comentário!