Arsênico, um conhecido veneno, também pode ser usado como remédio. Como?

Por , em 17.10.2010

Um intrigante composto do arsênico, chamado arsenito, acaba de ser desvendado pelos cientistas. O mistério estava em como a substância capaz de nos matar também pode funcionar como um eficaz agente terapêutico contra doenças e infecções.

De acordo com uma nova pesquisa publicada na edição deste mês da revista Genetics, cientistas das universidades Johns Hopkins, Baylor e Stanford descobriram que o arsenito, um contaminante de águas comum em muitas partes do mundo, afeta um mecanismo especial de dobramento de proteínas (processo químico pelo qual as proteínas assumem sua forma funcional) em leveduras, chamado TCP, que também está presente em humanos.

Uma descoberta que abre as portas para o desenvolvimento de remédios baseados em arsenito e ao mesmo tempo permite aos pesquisadores driblar os efeitos negativos do envenenamento que o composto pode causar.

“Ao entender melhor o arsenito, talvez possamos proteger os humanos de seus riscos no futuro”, diz Jef D. Boeke, Ph.D, coautor do estudo no Departamento de Biologia Molecular e Genética da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore. “O arsenito também tem efeitos benéficos, e pelo seu estudo talvez possamos encontrar maneiras mais seguras para colher tais benefícios sem os riscos inerentes que envolvem o uso de um composto derivado do arsênico”.

Para fazer a descoberta, os cientistas usaram ferramentas genômicas avançadas e experimentos bioquímicos, mostrando que o arsênico atrapalha algumas funções do mecanismo que permitiria a maturação de muitas proteínas dentro das células das leveduras – mecanismo esse que também está presente numa série de outros organismos, de bactérias a mamíferos.

“Com o crescimento da população humana, as reservas de água doce se tornam cada vez mais preciosas, mas infelizmente parte dessa água está contaminada com arsenito”, afirma Mark Johnston, editor-chefe da revista Genetics. “Quanto mais aprendermos sobre como esse composto afeta nosso organismo, mas próximos estaremos de contra-atacar seus efeitos mortais. Além disso, sabemos que sob certas doses controladas, o arsenito tem ação terapêutica. Espera-se que essa pesquisa nos aproxime de uma nova geração de drogas que alcancem o máximo benefício com o mínimo risco.”

[ScienceDaily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

8 comentários

  • Thordo e Luara:

    Saberiam me dizer por favor como tomar o Arsenicum Album 30CH, digo quantas gotas, quantas vezes ao dia, quantos dias etc.. Agradeço muito

  • Guilherme Kemp:

    Quer dizer, novidade do uso nem tanto, desde os anos 30 já era vendido, aqui no Brasil mesmo, arsênico composto iodado para combater algumas doenças, provavelmente sem o conhecimento científico necessário e causando mais problemas do que curas, mas já existia essa “ideia” do poder medicinal dele.

  • mariuza:

    gostaria de saber de uma maneira simples quais sao os beneficios do arsenicum album ch30?

  • Mercedes:

    Arsenicum Album. Sempre usei [sob orientação médica] e uma das vantagens é : aumentar a resistência física. E sim, é beeem diluido. Mas funciona.

  • marcos:

    Ao colega Cesar:
    Imagine que as moleculas de agua sejam como pregos espalhados que deveriam passa por buracos numa esteira. Uns pregos passarão devido a posição favoravel outros ficarão encalhados. Agora suponha que embaixo da esteira exista fileiras de imãs alinhados, posivelmente os pregos ficariam alinhados e mesmo depois de “retirados” os imãs; os pregos continuariam alinhados e possivelmente agora passariam nos buracos. O mesmo raciocinio poderia ser usado na homeopatia, sendo que os pregos seriam a agua e os imãs o arsenico. O efeito do arsenico poderia persistir na configuração da agua, mesmo após diluições sucessivas. Já foi provado este efeito (cluster) porem por um (inexpressivo) intervalo de fentonsegundos (o,ooooooo segundos acho).
    Portanto este pode ser uma das “possiveis” explicações do funcionamento da homeopatia.
    Pra quem acha que um atomo não faz diferença saiba que na hemoglobina temos apenas 1 atomo de ferro (ion) sem ele não poderiamos respirar.Abraços
    “só sei que nada sei”

    wikipedia:

    A hemoglobina é um tetrâmero composto de dois tipos de cadeias de globina. Existem duas cadeias de cada tipo, sendo que um deles contém 141 aminoácidos e o outro contém 146 aminoácidos. Cada cadeia proteica está ligada a um grupo heme; estes possuem “UM” íon de ferro no seu centro…

  • Ada:

    Há muitos anos (40, 50 anos), meu atual chefe era famacêutico. Ele já usava arsênico pra curar doenças naquela época, onde os farmacêuticos estavam no mesmo patamar dos médicos.

  • Cesar:

    Nanci, homeopatia não conta. Não tem uma única molécula de arsênico em qualquer produto homeopático, a diluição é tão fraca que se você tivesse uma gota de solução homeopática de arsênico com diâmetro igual à órbita de Saturno, ainda assim só encontraria uma molécula de arsênico. É mais fácil você morrer afogada com as soluções homeopáticas do que com os “princípios ativos” da mesma.

    -oOo-

    Em farmacologia há um mote, o de que a diferença entre um remédio e um veneno está na dosagem (curiosamente, não existem substâncias inócuas, tudo depende da dosagem, e existem pessoas que morreram com intoxicação causada por excesso de água, lembro do caso de uma mulher que participou de uma competição de quem bebe a maior quantia de água no menor tempo – ela ganhou a competição, mas morreu em poucas horas). Com o arsênico não deve ser diferente…

  • Nanci Valladão de Mello:

    Que novidade!! O arsenico ja é usado na Homeopatia, até dei ao meu filho ha mais de 20 anos!!!
    Grata!

Deixe seu comentário!