Astrônomos identificam época em que os buracos negros cresceram

Por , em 29.12.2010

A maioria das galáxias do universo, incluindo a Via Láctea, é lar para buracos negros super-massivos, que variam de cerca de 1 milhão de vezes a 10 bilhões de vezes a massa do sol.

Os astrônomos procuram pela enorme quantidade de radiação emitida por gás que cai nos buracos negros quando querem encontrá-los. Durante o tempo que os buracos negros são “ativos”, eles incorporaram matéria. Este gás dentro dos buracos negros provavelmente é o meio pelo qual eles crescem.

Agora, astrônomos determinaram que a época do crescimento rápido dos maiores buracos negros ocorreu quando o universo tinha apenas cerca de 1,2 bilhões de anos, e não 2 a 4 bilhões de anos atrás, como se acreditava anteriormente.

O novo estudo é resultado de um projeto de 7 anos que acompanhou a evolução dos maiores buracos negros e os comparou com a evolução das galáxias em que residem. A pesquisa se baseou nas observações de alguns dos maiores telescópios terrestres do mundo. Os dados obtidos com a instrumentação avançada mostram que os buracos negros que estavam ativos quando o universo tinha 1,2 bilhões de anos são cerca de dez vezes menores do que os maiores buracos negros vistos mais tarde. No entanto, eles estão crescendo muito rápido.

A taxa de crescimento medida permitiu que os cientistas estimassem o que aconteceu com esses objetos no passado. A equipe descobriu que os primeiros buracos negros, que iniciaram o processo de crescimento quando o universo tinha apenas algumas centenas de milhões de anos, tinham massas apenas 100 a 1000 vezes a massa do sol.

Esses primeiros buracos negros podem estar relacionados com as primeiras estrelas do universo. Eles também descobriram que o período subsequente de crescimento desses buracos negros, após os primeiros 1,2 bilhões anos, durou apenas 100 a 200 anos. [ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

13 comentários

  • Juliano:

    Stênio, o Sol nunca vai se tornar uma Anã Vermelha. Ele vai se tornar uma Gigante Vermelha e, quando queimar todo seu hélio e perder suas camadas exteriores, ele vai se tornar uma Anã Branca e morrer lentamente, queimando o que lhe resta.

  • Rodrigo Paim:

    Os anúncios são importantes para manter o site, creio eu

    Ou é algum de vocês que pagam o host ?

    Mesmo que seja um serviço free alguém no fim tem que arranjar como pagar …

  • Dihoni:

    André Luiz e Stênio Saraiva estão empatados: 1 a 1
    😛

  • André Luiz:

    Stênio Saraiva, não acredito mesmo. “Astrônomos identificam época em que os buracos negros cresceram”

    Sou sem cultura e você é um imbecil que acredita nestes astrônomos “sabichões”. “O universo tem cerca de 13 bilhões de anos e ele começou com o Big Bang.” Faça-me o favor!

  • Stênio Saraiva:

    Nilvo Silveira, voce é que deve sair do Google, pois não tens competência, e nem cultura para esse tipo de informação. E voce, vdcvsd, não fique preocupado, pois quando o nosso sol se tornar uma anã vermelha, a vida na terra já terá sido extinta muito antes. Luiz, eles não fingem que sabem. Sabem mesmo. E voce,não tem cultura para saber.

  • nilvo silveira:

    não dá pra tirar esta porqueira do google daí?????
    como se o gogle precisasse de mais coisas. Pow galera.

  • vdcvsd:

    quero so ver o q vao falar qndo nosso sol explodir depois de ter virado uma gigante vermelha!!
    ( dah !!! )

    • Alan:

      ver? se isso acontecer todo mundo morre gênio!

  • Leopoldo Ruzicki:

    Não consegui ler completamente o texto, uma vez que “anúncios google” estava sobreposto a uma parte dele. Assim é triste: ver texto científicos sendo sobrepujados por comerciais (nos maten, pero con brandura).
    O assunto e as informações que consegui ver, são muito bons.

  • Anônimo:

    Como não se sabe exatamente o que é um buraco negro, cada um diz uma coisa. Veja o que diz a este respeito em “olhando o universo”.

  • Luiz:

    Eles acham que sabem e eu finjo que acredito²
    uahuahah boa!

  • monyza:

    adoro esse tipo de assunto

  • André Luiz:

    Eles acham que sabem e eu finjo que acredito.

Deixe seu comentário!