Conheça os mais improváveis estudos científicos vencedores do Prêmio IgNobel de 2013

Por , em 16.09.2013

Todo ano tem, e este ano não foi diferente: o Prêmio IgNobel valorizou novamente as pesquisas científicas que parecem muito idiotas ou inúteis a comunidade (mas que podem contribuir para o mundo ainda assim). De qualquer forma, ninguém fica indiferente a estes estudos.

Com vocês, os ganhadores do IgNobel de 2013:

Psicologia

Laurente Bèque, Oulmann Zerhouni, Baptiste Subra e Medhi Ourabah, da França, e Brad Bushman, da Universidade do Estado de Ohio (EUA), receberam o IgNobel pela experiência que descobriu que quem acha que está bêbado também acha que é atraente. Alguns poderiam argumentar que não era necessária uma pesquisa para afirmar isso.

Biologia e Astronomia

624x312xIg-Nobel-prize.jpg.pagespeed.ic.j6BjN_CGMa

Marie Dacke, Emily Baird, Barcus Byrne, Clarke Scholtz e Eric Warrant, que trabalham na Suécia, Austrália, África do Sul, Reino Unido e Alemanha, ganharam o prêmio pela experiência que mostrou que besouros vira-bosta podem usar a Via Láctea para se guiar quando se perdem de casa.

Medicina

_69838809_tv019283517

Masateru Uchiyama, Xiangyuan Jin, Qi Zhang, Toshihito Hirai, Atsushi Amano, Hisashi Bashuda e Masanori Niimi, do Japão, China e Reino Unido, levaram o prêmio por um estudo que descobriu que ratos se recuperavam mais rápido de cirurgias quando ouviam ópera.

Engenharia de Segurança

Gustano Pizzo, dos EUA, que faleceu em 2006, foi homenageado com o prêmio por ter criado um sistema eletromecânico que serve para aprisionar um sequestrador de avião. Um alçapão se abre sob os pés do sequestrador, que então é selado em um pacote e expulso do avião (com paraquedas) para o chão, onde a polícia estaria esperando.

Física

Dado a Alberto Minetti, Yuri Ivanenko, Germana Cappellini, Nadia Dominici e Francesco Lacquaniti, da Itália, Reino Unido, Suíça, Rússia e França, o prêmio valoriza a descoberta que algumas pessoas poderiam correr sobre a água de um lago — se a pessoa e o lago estivessem na lua.

Química

O prêmio foi para Shinzuke Imai, Nobuaki Tsuge, Muneaki Tomotake, Yoshaki Nagatome, Toshiyuki Nagata e Hidehiko Kumgai, do Japão e Alemanha, pela descoberta de que o processo bioquímico pelo qual as cebolas fazem as pessoas chorarem é bem mais complicado do que os cientistas pensavam antes.

Arqueologia

Dado a Brian Crandall dos EUA, e Peter Stahl do Canadá e EUA, pelo trabalho dos dois. Eles parboilizaram um musaranho morto e o engoliram para examinar seus excrementos mais tarde, a fim de descobrir quais ossos seriam dissolvidos pelo sistema digestivo humano e quais não.

Paz

4FAB7A7F2CA2F9F93FF5F8E47B255_h396_w622_m2_q80_cZcPUNLYT

Dado ao presidente da Bielorrússia por tornar ilegal aplaudir em público em 2011, e para a Polícia Estatal da Bielorrússia, por prender um homem, que tinha só um braço, por aplaudir. Aliás, a Bielorrússia tem tido sua cota de surrealidades, como um surdo-mudo sendo acusado de gritar slogans contra o governo e um professor acusado de agitar os braços e gritar slogans contra o governo enquanto andava de bicicleta.

Probabilidade

Dado a Bert Tolkamp, Marie Haskell, Fritha Langford, David Roberts e Colin Morgan, do Reino Unido, Holanda e Canadá, pela descoberta que quanto mais tempo uma vaca fica deitada, mais provável é que ela vai se levantar em seguida, mas uma vez em pé, não dá para prever facilmente quando ela irá se deitar novamente.

Saúde Pública

Dado a Kasian Bhanganada, Tu Chayavatana, Chumporn Pongnumkul, Anunt Tonmukayakul, Piyasakol Sakolsatayadorn, Krit Komaratal, e Henry Wilde, da Tailândia, pelas técnicas médicas recomendadas em seu relatório “Surgical Management of an Epidemic of Penile Amputations in Siam” (“Tratamento Cirúrgico de uma Epidemia de Amputações de Pênis no Sião”, em tradução livre). As técnicas eram recomendadas exceto nos casos em que o pênis amputado tivesse sido parcialmente devorado por um pato (o pato é um animal doméstico comum na Tailândia).

Miss Sweetie Poo

ku-xlarge

Esse não é um prêmio, mas merece uma menção honrosa: Miss Sweetie Poo é uma adorável garotinha que corre para o palco e grita “POR FAVOR, PARE, EU CANSEI” para avisar os cientistas que o tempo que eles têm para o discurso de agradecimento já acabou. [PopSci, BBC, ABCNews, Mensageiro Sideral]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Guachaxara Carnes:

    O da probabilidade é uma coisa que realmente mexeu comigo: não conseguir prever qdo uma vaca vai se deitar depois de tempos em pé?? Uau! E a epidemia de amputação de pênis no Sião? “Epidemia” mundial, pq por aqui a moda está forte! kkkkk Muito bom!!

  • Gabriel Cruz:

    kkkkkkkk
    Muito bom esse prêmio. O de física foi o mais interessante; kkkk

Deixe seu comentário!