Astrônomos usam o Hubble para prever o movimento de estrelas

Por , em 28.10.2010

Semana passada, o Hubble “enxergou” o objeto espacial mais distante já avistado, mostrando como o Universo próximo se parecia a 13 bilhões de anos. Agora as habilidades do Hubble estão sendo usadas para prever o futuro – mais precisamente, a movimentação de estrelas nos próximos 10 mil anos.

Omega Centauri é um aglomerado de estrelas na Via Láctea e é um local onde há muita atividade estelar – são 10 milhões de estrelas próximas em um espaço relativamente pequeno para elas. Séculos atrás o aglomerado parecia aos observadores uma única estrela, mas graças ao Hubble foi possível perceber que são, na verdade, muitas.

Mas para entender como esses aglomerados globulares acabaram se formando os pesquisadores precisam entender, também, como essas estrelas acabaram juntas e se há um buraco negro por trás de toda essa atividade.

Sendo assim, pesquisadores do Instituto Espacial de Baltimore passaram a analisar imagens tiradas durante quatro anos. Os dados foram criados para prever o movimento das estrelas durante os próximos 10 mil anos. Como dificilmente veremos esses fenômenos, você pode conferir o vídeo montado pelos cientistas abaixo:

[PopSci]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

  • Alberto Campos:

    Isto é um aglomerado de estrelas. Estão praticamente a mesma distancia de nós. São todas estrelas jovens. Deveriam ser da mesma cor. Como aparecem estrelas vermelhas brancas azuis, etc? O efeito redshift não funciona neste caso em que devido a distância, deveriam ser todas vermelhas infravermelhas ou mesmo invisíveis ao olho humano, devido a frequencia da luz nesta supota distancia.

Deixe seu comentário!