Automutilação entre crianças e pré-adolescentes

Por , em 18.06.2012

Durante anos, lemos sobre adolescentes que se feriam como forma de aliviar o estresse ou, talvez, de lidar com angústias internas. Vimos adultos fazendo isso e não estranhávamos tanto – estresse faz parte do ‘mundo adulto’, afinal. Agora, nesse grupo de pessoas que se ferem, foram descobertos participantes que antes não víamos: crianças e pré-adolescentes.

Segundo estudo publicado recentemente na revista Pediatrics, a prática de se ferir de forma não letal também ocorre entre pessoas de 7 a 16 anos. Dos 665 jovens que participaram do estudo, 53 admitiram que se ferem, seja com cortes ou batidas.

Quando a mídia divulgou os resultados, muitos ficaram espantados com a ideia. Para o Dr. Charles Raison, professor de Psiquiatria na Universidade do Arizona (EUA), contudo, estranho mesmo é se surpreender com o resultado.

“As pessoas que se ferem de modo não letal muitas vezes o fazem em resposta a situações de estresse ou emoções negativas”, aponta. “Ora, quem tem crianças sabe que elas também estão sujeitas a esses problemas, da mesma forma que adultos. Se há adultos que se ferem por causa disso, por que elas não fariam o mesmo?”, diz. Além disso, crianças têm grande capacidade de sentir medo e preocupação, lembra Raison.

A “automutilação” sequer é exclusividade dos seres humanos: outros mamíferos, como cães e gatos, podem apresentar o mesmo comportamento quando estão estressados. Os especialistas advertem: agora que mesmo crianças estão incluídas, é preciso prestar ainda mais atenção nesse tipo de prática.[CNN] e [Pediatrics]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!