A impressionante transformação de ambientes ultrapoluídos em jardins radiantes

Por , em 26.05.2014

A foto acima circulou recentemente no Facebook e despertou curiosidade e ceticismo. Essa imagem é real?

Conferindo o site ZMEScience, ficamos sabendo que a fotografia demonstra um processo de biorremediação feito em Manila, capital das Filipinas. Nas imagens, o que se vê são canais que levam água ao rio Pasig.

A biorremediação é um processo em que fungos, plantas ou algas verdes são usados para remover contaminantes do ambiente. Este processo pode ser usado em rios, como na foto, ou então em solo contaminado, como o depósito de resíduos de minas.

Entre as vantagens da biorremediação, encontra-se a possibilidade de uso em terrenos onde o poluente está inacessível, ou é preciso uma escavação. Além disso, trata-se de um método ecológico quando corretamente aplicado, e pode resolver problemas como limpeza de derrames de óleo mais rapidamente que métodos tradicionais.

No caso específico do rio Pasig, uma empresa holandesa, a Biomatrix, foi contratada para fazer a biorrecuperação. Eles utilizaram ilhas flutuantes que serviam de suporte para uma planta que retira os poluentes orgânicos do rio, transformando-os em dióxido de carbono e metano. Apesar da ação, o rio ainda não está totalmente recuperado, já que recebe muito esgoto da cidade.

Para recuperar o solo de uma mina abandonada, também nas Filipinas, eles utilizaram a Jatropha, uma planta usada para desenvolver biocombustíveis, já que é resistente a secas e a pestes e tem uma semente com 27 a 40% de óleos.

Vários outros pontos das Filipinas foram selecionados em 2009 para um projeto de biorremediação. O canal na foto estava totalmente tomado pelo lixo jogado pelos residentes e pelos feirantes de um mercado público próximo.

Embora o resultado obtido no rio Pasig seja impressionante, a biorremediação tem seus limites; existem alguns contaminantes que são difíceis de limpar usando este método, como o cádmio, o chumbo e o cobre.

bioremediation21

Para estes e outros metais, estudos estão sendo feitos para desenvolver bactérias capazes de isolá-los. O curioso é que é mais comum encontrar estes microrganismos resistentes no próprio solo contaminado.

No Brasil, existem vários rios com potencial para biorrecuperação (ou seja, rios poluídos, quase mortos), e já existem também alguns projetos para tanto. Em Porto Alegre, há o projeto Arroio Dilúvio, Um Futuro Possível, e em São Paulo, o Águas Claras do Rio Pinheiros. Se alguém conhecer mais algum, compartilhe nos comentários! [ZME SciencePhilippine Star, Antidote, Habitat International Coalition]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

2 comentários

  • Inge Niefer:

    seria interessante saber os custos

  • Flavio Okada:

    na decada de 70 toquio era a cidade mais poluida do mundo!graças a projetos envolvendo a comunidade civil, e vontade politica,hoje os rio de toquio são limpos e ricos em vida!é possivel pescar e nadar nos rios sem medo de contaminações!

Deixe seu comentário!