Cães: de predadores a melhores amigos do homem

Por , em 2.06.2013

Uma longa “trajetória genética” une cães e lobos e, ao mesmo tempo, explica as diferenças marcantes que existem entre as duas espécies.

Para investigar esse caminho, um grupo de pesquisadores de diversos países analisou o genoma de cães selvagens e lobos asiáticos e os comparou com o de raças mais recentes, como pastores alemães. Em dois artigos, um publicado no periódico Nature Communications e outro no Molecular Biology and Evolution, os autores explicam como o convívio com seres humanos acabou “separando” lobos e cães – um processo que teve início há cerca de 32 mil anos.

A explicação convencional reza que tribos antigas simplesmente domesticaram cães selvagens. Se esse fosse o caso, a população que deu origem aos cães que conhecemos hoje teria sido pequena demais para permitir que eles se espalhassem pelo mundo.

O estudo conta uma história diferente: um grande número de lobos começou a ir atrás de tribos de caçadores/coletores, possivelmente por causa de restos de alimentos; nesse convívio, os lobos mais agressivos teriam sido eliminados e os mais dóceis, preservados ou, até mesmo, domesticados. A partir daí, lobos com certas características genéticas começaram a prosperar e a se diferenciar, resultando na grande variedade de raças caninas que conhecemos.

A equipe planeja fazer novas investigações sobre a evolução genética dos cães – que podem, inclusive, ajudar a entender melhor a evolução humana, pois há genes que evoluíram tanto em cachorros como em nós.[NYTimes, NC, Molecular Biology and Evolution]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • Carlos Ossola:

    Grrrrr! Au, Au, Au (caim, caim). Traduzido: “tudo bem, mas por favor não nos confundam com lobos. Nada mais temos a ver com esses trises selvagens. Irgh!

Deixe seu comentário!