Cientistas descobrem tipo mais pesado de antimatéria

Por , em 28.04.2011

Os cientistas acreditam que, para cada partícula de matéria, existe uma partícula de antimatéria com a mesma massa, mas carga oposta. O problema é que quando as duas entram em contato, se aniquilam. Isto dá origem a um dos grandes mistérios da física: por que o nosso universo parece ser feito inteiramente apenas de matéria?

O Colisor Relativístico de Íons Pesados (RHIC, na sigla em inglês) do Laboratório Nacional de Brookhaven, nos Estados Unidos, é um acelerador de partículas onde núcleos de átomos colidem, de frente, perto da velocidade da luz.

Isso simula as condições logo após o Big Bang, numa altura em que os cientistas pensam que o universo estava rodando com quantidades iguais de matéria e antimatéria.

Das quase um bilhão de colisões atômicas feitas no RHIC, os pesquisadores detectaram 18 exemplos de assinatura exclusiva do núcleo antihélio-4. Um núcleo de hélio normal tem dois prótons e dois nêutrons. Um núcleo de antihélio-4 é a antimatéria do hélio: tem dois antiprótons e dois antinêutrons.

Quanto mais pesadas forem as partículas de antimatéria, mais energia é necessária para criá-las, e como tal, as antipartículas mais comuns são geralmente as menos maciças. Não é o caso do antihélio, que é a antipartícula mais pesada já vista em um acelerador.

Depois do antihélio, o núcleo estável de antimatéria mais próximo seria o antilítio, e a taxa de produção do antilítio em um acelerador é dois milhões de vezes menor do que o antihélio.

Para procurar antipartículas mais pesadas, um experimento no Espectrômetro Magnético Alfa (AMS, na sigla em inglês) está programado para o final de abril. A missão é da Estação Espacial Internacional, e sua parte principal é procurar galáxias distantes inteiramente feitas de antimatéria.

Segundo os pesquisadores, uma observação de antihélio-4 no experimento AMS poderia indicar a existência de grandes quantidades de antimatéria, de alguma forma segregadas da matéria no nosso universo. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

13 comentários

  • Carlos Alberto Ramalho:

    A quebra de simetria entre matéria e anti-matéria é devido a existência de partículas neutras “nêutrons” que podem decair para prótons exclusivamente.
    Assim os anti-prótons naturais seriam aniquilados e tornariam a minoria.

  • Bob:

    Elucubração da hora:

    hmmm…quem sabe os ‘buracos negros’ sejam portais/passagens para um ANTI-UNIVERSO!? uau! :p

    Matéria: Endeavour levará ao espaço um caçador de anti-universo > http://bit.ly/im9az9

  • Gabriel:

    Me pergunto se os famosos Buracos Negros não são exclusivamente feitos de “Matéria Escura” ou se eles são pura ENERGIA ESCURA?

    • Gabriel:

      Me pergunto se os famosos Buracos Negros não são exclusivamente feitos de “Matéria Escura” ou se eles são pura ENERGIA ESCURA? Nunca se perguntaram se a matéria escura poderia ser a forma mais primitiva da matéria como a conhecemos? Ou seja, quando uma estrela massissa morre ela se torna um buraco negro, quando se fala em estrela de neutrôns por exemplo acontece quando a matéria de uma estrela massissa decai se tornando uma sopa de neutrôns. Aconteceria o mesmo com os buracos negros? Seria eles a forma mais decaida e mais primitiva da matéria?

  • Juliano:

    Muc,
    Se vc conseguir pegar um núcleo de átomo de hélio com as mãos e acelerá-lo próximo à VELOCIDADE DA LUZ e tiver a ‘mira’ de acertar em outro núcleo de hélio que vc tbm aceleou próximo á VELOCIDADE DA LUZ, **SOZINHO**, ensine essas pessoas, certamente vc vai ganhar o Prêmio Nobel de física!!! ¬¬’

    ACORDA CARA!!!

  • Ciro:

    primeiramente
    antimatéria + matéria não se anulam.
    Se colidirem com energia suficiente o maximo q vai acontecer é sobrar um punhado de quarcks e anti quarcks sem estrutura.

    Paulo, não existe antimatéria nos núcleos. Quando eles colidem dois atomos nesses colisores, eles destroem completamente a estrutura pré existente… anti matéria se forma na reorganização desta estrutura.

    JJ…
    morrem milhares de fome… mas se vc acha q tecnologias como RMN, ultrasom… raio x… etc… nasceu na medicina…
    estude mais antes de tentar ser cinico ;]

  • Alter ego: Crítico:

    O Muc fala como se colidir átomos fosse uma tarefa banal, mas não é, compreender como o Universo funciona é um caminho para novas tecnologias e conhecimentos.

  • Ivanrw:

    Bom, se existirem realmente galaxias formadas exclusivamente de antimatéria, logicamente vai haver um imenso vazio separando elas das nossas, já que tudo que estiver no meio estará neutralizado.

  • JJ:

    enquanto isso…
    falta hospital e morrem milhares de fome…

    🙂 mundo interessante…

  • Muc:

    Cara, a verdade é que a Física ficou muito chata depois de Isaac Newton. Olha essa foto: um monte de gente só pra fazer dois núcleos de átomos colidirem.

  • paulo:

    Não entendo. Quebram nucleos de átomos para detectarem antimatéria , então no nucleo de átomos existe antimatéria?
    Matéria e antimatéria ao se encontrearem não se anulam? Para cada matéria existe uma antimatéria? A antimatéria está na matéria? Ou o universo como o percebemos é que para nós parece matéria…

  • Gake:

    Acho pouco provável, “Bob”, visto que o buraco negro, em teoria, é uma massa incrivelmente gigante condensada num espaço tão minúsculo gerando uma força gravitacional tão grande que prende inclusive a luz, e que, ao atrair outros corpos, caso fosse compostos exclusivamente de antimatéria, o buraco negro deveria ter a tendência de diminuir a cada corpo atraído, pois antimatéria + matéria se anulam.
    Mas o que realmente sabemos de buracos negros? Nada não é mesmo!
    Então… =|

  • Bob:

    Curiosidade da hora…Pergunto:

    Seria possível que os chamados buracos negros fossem compostos (exclusivamente) por antimatéria?

Deixe seu comentário!