Cientistas parecem ter finalmente descoberto porque cólicas menstruais DOEM TANTO

Por , em 22.06.2016

Um novo estudo parece ter encontrado uma explicação para a cólica menstrual severa que incomoda tantas mulheres.

Se você não costuma ter TPM (tensão pré-menstrual), tem bastante sorte. Muitas pessoas sofrem todos os meses com sintomas variados, e os tratamentos não são muito eficientes.

Agora, na maior pesquisa já feita sobre o assunto até à data, os cientistas descobriram uma ligação entre um biomarcador da inflamação e gravidade da TPM, o que sugere que a inflamação aguda pode ser o que desencadeia a cólica e o inchaço.

Grande estudo

Após analisar 2.939 mulheres em todo os EUA, uma equipe da Universidade da Califórnia em Davis mostrou que há uma correlação positiva entre a gravidade da TPM e a presença de algo chamado de proteína C reativa de alta sensibilidade (PCR).

Os pesquisadores já sabiam há muito tempo que drogas anti-inflamatórias poderiam ajudar a cólica menstrual. Mas este é o primeiro estudo em grande escala a identificar uma ligação biológica entre inflamação e TPM, o que pode eventualmente levar a terapias mais eficazes do que os analgésicos comuns que a maioria das mulheres toma atualmente.

A PCR é um biomarcador para a inflamação no corpo, por isso, os cientistas sugerem que, quanto mais dessa proteína alguém tem, mais inflamação está propensa a ter e pior será a TPM.

“Sintomas de humor pré-menstrual, cólicas abdominais, dor nas costas, ânsias de apetite, ganho de peso, inchaço e dor no peito – mas não de dor de cabeça – parecem estar significativa e positivamente relacionados com PCR em níveis elevados, mesmo após o ajuste para múltiplas variáveis”, escreveram os pesquisadores em um artigo científico publicado na revista Journal of Women’s Health.

Me dê um bom remédio já!

Cerca de 80% das mulheres relatam experimentar TPM. E, no entanto, tem havido muito pouca pesquisa sobre suas causas ou opções de tratamento. Neste momento, o melhor remédio que temos é o ibuprofeno, um analgésico padrão, ou uma prescrição de anti-inflamatório para casos graves.

Basicamente, isso significa que milhões de mulheres têm muito pouca escolha a não ser aguentar uma combinação de tudo, de cólicas a náuseas a depressão, todo mês, pela maior parte de suas vidas.

A descoberta do novo estudo é importante porque quanto mais aprendemos sobre os fatores biológicos que contribuem para a TPM, melhores são as nossas chances de desenvolver tratamentos eficientes e identificar mulheres em maior risco.

“Os resultados sugerem que os fatores associados a cada sintoma pré-menstrual são complexos, sugerindo potencialmente diferentes mecanismos para as etiologias de alguns sintomas… A inflamação pode desempenhar um papel mecanicista na maioria da TPM, embora seja necessário um maior estudo longitudinal dessas relações”, disseram os cientistas. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • rnalim:

    Top!!!! Vou encaminhar para minha esposa…. Menos momentos de stress lá em casa.

Deixe seu comentário!