TPM pode existir para acabar com seus relacionamentos inférteis

Por , em 13.08.2014

Quem é mulher sabe: a TPM não tem nenhuma função a não ser irritar profundamente todas as pessoas: as com dores e emocionalmente descontroladas, e as em volta delas.

Mas a ciência não curte fazer essas suposições e deixar por isso mesmo. Sendo assim, pesquisadores resolveram descobrir por que a biologia inventou a tensão pré-menstrual em primeiro lugar, ou seja, que vantagem ela pode dar ou ter dado às mulheres no passado.

O professor de evolução molecular Michael Gillings acredita que, antigamente, a TPM aumentava a chance de pares inférteis se separarem, melhorando assim os resultados reprodutivos das mulheres.

“No passado, as mulheres tinham muitos menos ciclos menstruais do que hoje, porque não tinham controle sobre a reprodução e estavam grávidas ou amamentando a maior parte do tempo”, disse Gillings. “Imagine se uma mulher faz par com um macho estéril ou infértil. Se as mulheres nesses relacionamentos exibissem TPM, isso aumentaria a probabilidade de dissolução do par, e seria uma vantagem reprodutiva enorme”.

TPM atualmente

Segundo o pesquisador, esse fenômeno simples pode explicar a frequência da TPM. Existem várias linhas de evidência de estudos com DNA e comportamentais que confirmam essa ideia, como a alta herdabilidade da TPM, o fato de que variantes genéticas associadas a ela podem ser identificadas, e os dados que mostram que a animosidade exibida durante a TPM é preferencialmente dirigida a parceiros atuais.

Hoje, a tensão pré-menstrual afeta até 80% das mulheres, e tem sido observada em todos os países onde foi investigada, remontando ao tempo de Hipócrates.

Os níveis de tensão variam, e podem levar a custos pessoais, sociais e econômicos. Os sintomas incluem ansiedade, alterações de humor, dores, cólicas, ânsias e desinteresse em atividades habituais.

Gillings afirma que, sob este ponto de vista, a prevalência de TPM pode resultar de genes e comportamentos que são adaptativos em algumas sociedades, mas são potencialmente menos apropriados em culturas modernas.

“Entender isso pode ajudar na gestão da TPM e a mudar atitudes, por exemplo, em relação a contracepção que para o ciclo menstrual. TPM é um comportamento simples e natural que surgiu como consequência do nosso passado evolutivo”, argumenta. [MedicalXpress]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!