Civilização moderna pode ter existido abaixo do Golfo Pérsico

Por , em 14.12.2010

Arqueólogos afirmam ter descoberto um território que, no passado, foi um local fértil onde habitaram alguns dos primeiros seres humanos fora da África, cerca de 75.000 a 100.000 anos atrás.

A planície hoje fica sob o Golfo Pérsico (foto). No seu auge, o território teria sido do tamanho da Grã-Bretanha, para mais tarde encolher conforme a água começou a inundar a área. Os pesquisadores acreditam que, cerca de 8.000 anos atrás, a terra foi engolida pelo Oceano Índico.

De acordo com registros históricos do nível do mar, o Golfo teria sido uma rasa bacia terrestre exposta cerca de 75.000 anos até 8.000 anos atrás, formando a ponta do sul do Crescente Fértil.

Segundo os pesquisadores, isso teria sido um refúgio ideal para os desertos em torno da região, com água fresca fornecida pelos rios Tigre, Eufrates, Karun e Wadi Baton. Durante a última era glacial, quando as condições estavam mais secas, a bacia teria atingido a sua maior largura.

Os resultados do estudo provocaram discussão sobre quem exatamente eram os humanos que ocuparam a bacia do Golfo. Especialistas sugerem que, dada a presença de comunidades de Neandertal nos trechos superiores dos rios Tigre e Eufrates, bem como na região do Mediterrâneo oriental, esta pode muito bem ter sido a zona de contato entre os modernos e os neandertais. De fato, evidências recentes a partir do sequenciamento do genoma neandertal sugerem cruzamentos.

O estudo tem amplas implicações para os aspectos da história humana. Por exemplo, os cientistas debatem há tempo sobre a época em que os primeiros seres humanos modernos saíram da África, sugerindo datas desde 125.000 anos atrás até tão recente quanto 60.000 anos atrás.

Essa data mais recente é o paradigma atualmente aceito. A nova descoberta reescreveria completamente a compreensão da migração da África. Porém, especialistas alertam que, apesar de ser uma excelente teoria, está longe de ser comprovada.

Porém, nos últimos anos, os arqueólogos já descobriram evidências de uma onda de assentamentos humanos ao longo da costa do Golfo datando de cerca de 7.500 anos atrás.

Onde antes havia um punhado de acampamentos de caça dispersos, de repente, mais de 60 novos sítios arqueológicos apareceram. Esses assentamentos possuem casas de pedra permanentes, bem construídas, redes de comércio de longa distância, cerâmica elaboradamente decorada, animais domesticados, e até evidências de um dos navios mais antigos do mundo.

Ao invés de rápida evolução dos assentamentos, os pesquisadores acreditam que existiam populações precursoras, mas que permaneceram escondidas debaixo do Golfo. Eles dizem que talvez não seja coincidência que a fundação de tais comunidades desenvolvidas ao longo da costa corresponda com a inundação da bacia do Golfo Pérsico por volta de 8.000 anos atrás.

A prova mais definitiva desses campos humanos no Golfo provém de um novo sítio arqueológico chamado Jebel Faya, dentro da bacia do Golfo, que foi descoberto há quatro anos.

Lá, pesquisadores encontraram três diferentes assentamentos paleolíticos que ocorreram entre 125.000 e 25.000 anos atrás. Esse e outros sítios arqueológicos indicam que grupos primitivos viveram em torno da bacia do Golfo durante o Pleistoceno Superior.

Para provar a ocupação humana deste tipo durante o Paleolítico, ou no início da Idade da Pedra, os cientistas teriam de encontrar qualquer evidência de instrumentos de pedra espalhados sob o Golfo. Quanto ao Neolítico, seria importante encontrar alguma evidência de estruturas humanas construídas.

Para realizar tudo isso, seria preciso encontrar um local submerso, e escavar debaixo d’água. Isso provavelmente só vai acontecer depois de anos de pesquisa em áreas cuidadosamente selecionadas.

Segundo os pesquisadores, há uma pitada de mitologia na pesquisa, também. Quase todas as civilizações que viveram no sul da Mesopotâmia citaram de alguma forma o mito do “dilúvio”. Os nomes variam, mas o conteúdo e a estrutura são consistentes, desde 2.500 a.C. até o relato do Gênesis, para a versão do Alcorão. Talvez a prova esteja abaixo do Golfo. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

24 comentários

  • Carlos Henrique Bacelar:

    Não me entendam mal, a força divina é capaz de inumeras coisas, principalmente de extinguir nações, mundos etc

  • Carlos Henrique Bacelar:

    Gente, Diluviu
    Deslizamento das placas tectonicas, tsunami, derretimento das calotas polares, alguns fatores cientificos como esses é que deveriam ser estudados, porém hoje o principal e comemora essa descoberta e torce para que pesquisas sejem feitas nestes locais

  • Rodrigo Paim:

    A “força maior” existe sim, são as leis da física, que moldam todo o nosso mundo e universo. Essa é a verdadeira “força maior” que vêem agindo desde a formação do universo.

    Não entendo a necessidade das pessoas de mistificar a natureza.

  • Bruno:

    Bom, sou obrigado a comentar diante a tantas criticas a religião. Quem tanto protege a ciência deveria saber que nossa ciência moderna existe fundamentada em estudos de crentes e não só isso, teroria baseadas na existência do divino. Sou agnóstico, mas (assim como Newton) vejo que nada existiria sem a interferência de algo maior, vocês podem chamar de Deus, Ala ou ate mesmo de ET hehehehhe, mas que existe alguma força maior com força para moldar nossa realidade como a vemos, isso existe.

  • Toni Rocha:

    Sim, a Ciência trabalha inicialmente com hipóteses, como esta. Mas destas hipóteses jascem teorias que são comprovadas, como a inexistência de um dilúvio universal (no máximo ‘dilúvios’ locais).

    O tempo bíblico não se sustenta, não só pela Paleontologia, como também por vários outros ramos do conhecimento científico, como a Geologia, Cosmologia, História, Física, Biologia Molecular, etc.

    Triste saber que em meio a tanto conhecimento em nossa época, ainda há (muitas e muitas) pessoas que se agarram a já refutadas crenças da idade do bronze.

  • Eduardo:

    Não posso abrir mão de deixar meu comentário: Religião é um atraso! Basta parar para analisar que se, em pleno século 21, estivéssemos sob os domínios (garras) da igreja católica tal como era na idade média, nunca que teríamos a ciência tão bela e avançada como hoje, hein! Celular? Coisa do Demo! iPhone, então? Coisa do Demo Chefe! Mete o Jobs na fogueira! Pesquisa com céulas tronco? Coisa do demo! (Opa! Não é que a religião andou dando pitacos nisso mesmo?)

    Enfim, vocês entenderam. 🙂

    A igreja no passado perseguiu, matou e classificou como pecado, muitas pessoas com espírito voltado pra ciência.

    Gostei do comentário da pessoa que disse que a religião ‘mete a colher de pau’ nos assuntos da ciência. É isso mesmo que ela faz.

    Ah, sim! Ela também ensina dos seus púlpitos, fazendo alaridos, que a ciência não é de Deus! Que os cientistas vão pro inferno. Mas esses mesmos pastores, padres, pais de santos e etc., usam telefone celular, andam em carros modernos com ar condicionado, têm TV por assinatura, viajam de avião…

    Ah! Vai dormir, né?

  • Rodrigo Paim:

    Uma grande inundação acontece, os antigos não sabem porque, então atribuem a algum ser sobrenatural, eis o dilúvio da bíblia …

    Simples…

    Sem falar que a criação da Terra e o dilúvio da bíblia são plagio da Epopéia de Gilgamesh.

    Já está na hora de pararem com crendices irracionais

  • Colt:

    Como diria o slogan do naosalvo.com, entre o céu e o créu, existem coisas que você nem imagina… entrem no meu blog: http://www.blogdacolt.blogspot.com

  • Eu:

    há mais coisa entre o céu e a terra do que dirá nossa vã filosofia…já dizia “william”…

  • RAIMUNDO RIBEIRO:

    POIS EU, OPINO QUE ENTRE DEUS E O FELIPE, PREFIRO DEUS EVIDENTIMENTE, E, TENHO A CERTEZA QUE UM DIA O FELIPE FARÁ O MESMO, QUER POR AMOR QUER PELA DOR. POBRE FELIPE, NÃO SABE AINDA NEM DISTINGUIR DEUS DE RELIGIÃO.

  • RAIMUNDO RIBEIRO:

    POIS EU OPINO, ENTRE DEUS E O FELIPE, PREFIRO DEUS EVIDENTIMENTE, E TENHO A CERTEZA QUE UM DIA O FELIPE FARÁ O MESMO, QUER POR AMOR QUER PELA DOR.

  • Felipe:

    OSVALDO JUNIOR, eu mostro com um exemplo do Gênesis que a Bíblia está errada. As plantas são criadas no terceiro dia, antes de lá existir um sol para realizar a fotossíntese.

    • Rômulo:

      Acho que elas sobreviveriam a um dia sem luz…
      hehehe….

  • OSVALDO JUNIOR:

    Fico impressionado como estas teses ou hipóteses científicas altamente inconsistentes, verdadeiros chutes no escuro, que ainda conseguem convencer tanta gente. É bom lembrar que na ciência, a verdade de hoje não é a verdade de amanhã, por isso já que é para ter fé na ciência, prefiro depositar minha fé na Bíblia, pois ela não falha nunca, e a ciência jamais provará o contrário.

  • Falando Sério:

    Realmente amigo Religião é consevadora e representa mesmice. Ciência representa progresso para Humanidade em todas as áreas.

  • flavio ciência:

    eu acho que é dificíl conciliar conceitos de religião e ciência,a religião tem que tratar da parte espiritual de quem acredita nisso e parar de meter a colher de pau nos assuntos da ciencia que ja fez muito pelos seres humanos na minha opiniao a regilião ja atrapalhou e muito os avanços da ciência.

  • eduardo:

    Eles já tinha iphone? tv de led 3d? um acelerador de partículas? entravam no hyperscience.com? não?… então não eram modernos…..

  • Pri Nascimento:

    Agoro ciência! suas suposições e as confirmações das mesmas, agora misturar com religião, chamar pessoas de “parasitas” ? E ouvi comentários que não acrescentão em nada é muito chato!
    Não fico aqui exaltando Einstein que era pandeísta, toda vez que falam de Universo vem com essa perseguição religiosa? Agora entre Einstein e Felipe2, fico com Einstein!!!
    🙂
    Bjus

  • claudemir da silva:

    a arqueologia é um quebra-cabeça de novas descobertas

  • Felipe2:

    Mas o dilúvio realmente aconteceu, ou melhor, vários dilúvios, o problema é que os seres humanos primitivos mistificaram e ampliaram em escala global uma coisa que aconteceu localmente.

    O que é argumento mais que suficientes para os seres humanos modernos, de mente tão primitiva quanto, acreditarem na mitologia bíblica e afins.

    Sonho com o dia em que a humanidade vai se ver livre do câncer que são as religiões e dos parasitas que são os religiosos.

    Abraços!!!

  • X:

    É incrivel, temos um bom artigo sobre a descoberta de uma civilização perdida, e me aparece um crente que se interessa apenas em historias tolas como o diluvio, que nao passa de uma lenda.

  • Camila:

    è fato, vão rodar, rodar… e vão ter mais um prova concreta da ocorrencia do diluvio…
    Realmente Fascinante!

    • Tiago Vieira da Rocha:

      Mais que provado. Não passa de historinha.

  • PredadorXD:

    Doidera, seria muito bom conhecer o passado como ele foi realmente. Quem sabe um dia teremos tecnologias suficiente para descobrir tudo isso.

Deixe seu comentário!