Comer peixe pode ajudar a manter os ossos fortes

Por , em 4.04.2011

Segundo um novo estudo, idosos que comem mais peixe preservam a densidade óssea melhor do que pessoas que não comem tanto peixe. Os pesquisadores acreditam que a combinação de diferentes óleos nos peixes (como os ácidos graxos ômega 3) evita que os ossos percam massa ao longo do tempo.

A perda óssea é um processo normal do envelhecimento, e ossos menos densos têm maior chance de quebrar.

Porém, a prevenção da perda óssea não é tão simples quanto levantar os níveis de ômega 3 na dieta das pessoas. A pesquisa analisou exames coletados nos anos 1980 e 1990 dos hábitos alimentares de mais de 600 idosos que moravam em Framingham, Massachusetts, EUA. As medições da densidade óssea (realizada nos quadris) foram feitas com quatro anos de diferença.

As mulheres que comiam três ou mais porções semanais de peixes escuros, como salmão ou cavala, tinham menor quantidade de perda óssea quatro anos mais tarde, em comparação com mulheres que comiam menos peixe. Homens que comiam peixes escuros, como atum, pelo menos três vezes por semana também tinham menos perda óssea do que outros homens.

O estudo não prova que o peixe é a causa das diferenças na perda de massa óssea, mas apenas que os dois fatores estão associados.

Os peixes são ricos em ácidos graxos ômega 3, EPA e DHA. Os pesquisadores resolveram analisar o quanto de ambos ácidos graxos ômega 3 e ômega 6 as pessoas estavam comendo em suas dietas.

Eles descobriram que os dois estão envolvidos na densidade óssea. Níveis elevados de ácido graxo ômega 6, chamado de ácido araquidônico, estavam ligados a uma menor perda óssea em mulheres, mas somente quando as mulheres também consumiam altos níveis de gorduras ômega 3.

Segundo os pesquisadores, se trata de um equilíbrio. Se você tem níveis muito baixos de ácido araquidônico, não vê os benefícios do ômega 3.

Na verdade, muito de uma gordura poderia ser prejudicial. Nos homens, muito ácido araquidônico e pouco ômega 3 foi ligado a uma maior perda de massa óssea.

Os cientistas afirmam que ainda não há uma quantidade exata de ômega 3 e ômega 6 ideal para a saúde óssea. Peixes parecem fornecer um bom equilíbrio, porque eles têm o ômega 3 que tende a faltar na dieta ocidental. Já os ácidos ômega 6 são normalmente abundantes nos alimentos que os americanos comem. A Associação Americana do Coração recomenda que as pessoas comam duas porções de peixe por semana. [Reuters]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Cristiano Rola:

    Gostaria imensamente de saber se o ideal, não seria comer o peixe cru? Uma vez que cozido, frito, assado ou sei lá de que forma, não acabaria com as propriedades dele? obrigado.

  • Aristides:

    Sendo uma resvista científica, e séria, seria muito bom que os editores dessa revista colocassem as referências bibliográficas da informações que constam na revista.
    Isto é até um pedido!!!E uma dica. Colocassem também informações sobre a fonte da informação.

  • Luan:

    PS: ainda mais peixe cozido :S

  • Luan:

    num curto muito 🙁

Deixe seu comentário!