Como a internet construiu um carro de corrida de R$ 200 mil

Por , em 14.03.2013

Esse carro de corrida laranja incomum é o primeiro veículo de produção a ser projetado através de crowdsourcing, método no qual uma comunidade global de pessoas interessadas discutem e compartilham ideias através da internet.

“Se Henry Ford tivesse Twitter e acesso à internet, ele certamente teria feito seus automóveis de uma maneira muito diferente”, disse John B. Rogers, presidente e cofundador da Local Motors, a montadora de Arizona (EUA) que construiu o “Rally Fighter”.
Segundo Rogers, crowdsourcing é a melhor maneira de chegar a um automóvel mais barato e mais eficiente possível.

A Local Motors afirma que seu carro é o primeiro veículo do mundo a ser criado seguindo este princípio. Foi produzido em 18 meses, cerca de cinco vezes mais rápido do que com processos convencionais.

O projeto foi escolhido através de uma votação de 2009 por uma comunidade de centenas de pessoas na internet. O projeto vencedor foi apresentado por Kim Sangho de Pasadena, na Califórnia (EUA), e o resultado é um carro com um motor de 6,2-litros, oito cilindros, transmissão automática, tração traseira e 430 cavalos de potência. A comunidade da web também participou da concepção de componentes diversos do veículo, como as portas.

A companhia diz que gastou US$ 3 milhões (cerca de R$ 5,9 mi) com o desenvolvimento do carro, muito menos do que é gasto em modelos comerciais por parte das grandes montadoras.

Como isso foi possível? Para Rogers, a façanha foi alcançada ao repensar as características do veículo. “Custa US$ 10 para projetar um cinto de segurança de cinco pontos, como o do Rally Fighter, em comparação com os US$ 6 milhões que é preciso para desenvolver um airbag”, disse.

O preço comercial do carro é US$ 99.900 (cerca de R$ 200 mil), que inclui uma estadia de seis dias na fábrica da Local Motors em Arizona, para construir o veículo. Quem o adquiri recebe na verdade um kit: instruções detalhadas na forma de manuais e vídeos, além do apoio de especialistas da Local Motors.

Dezenas de carros já foram vendidas, principalmente nos EUA e no Cazaquistão, Rússia e Grã-Bretanha. A meta é vender 2.000 Rally Fighters antes de abandonar o modelo e começar a trabalhar em um novo.

Fundada há cinco anos, a Local Motors é o lar de mais de 25.000 membros comunitários e 50 funcionários em tempo integral. Além do carro, a montadora está trabalhando em um protótipo de veículo militar – o XC2v – para a DARPA, agência de defesa americana que é um braço de pesquisa do Pentágono.

Por fim, a Local Motors também lançou desafios para projetar comunitariamente o melhor veículo de entrega de pizza e o melhor sapato para dirigir, projetos solicitados pelas empresas Dominos Pizza e Reebok. Rogers disse que também quer construir uma motocicleta, um barco e um carro mais acessível através de crowdsourcing. [CNN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

Deixe seu comentário!