Filhote de pássaro australiano usa “senha” para se comunicar com seus pais

Por , em 28.11.2012

Os cucos, aves popularizadas pelos antigos relógios de madeira, são conhecidos por não criarem seus próprios filhotes. Depois de acasalar, a mamãe-cuco coloca seus ovos em um ninho qualquer que já tenha ovos, não importando se a espécie é maior, menor ou tem o mesmo tamanho do cuco.

O resultado é que os pais “adotivos” ganham um novo filhote, algumas vezes maior que eles, e que em alguns casos até mesmo acaba matando os filhos “legítimos” para receber tratamento de filho único. As aves alimentam o filhote por que tem um impulso a colocar comida em um bico que estiver aberto.

Entretanto, uma ave australiana, a “fairy wren”, ou “carriças-fada”, usa um método interessante para livrar-se dos intrusos; um método que demonstra o quanto a natureza é versátil e exploratória quando confrontada com um problema.

Enquanto choca seus ovos, a carriça-fada mãe repete para os filhotes um certo chamado. Quando eles se rompem, só ganham comida os biquinhos que primeiro cantarem a senha. Os cucos não sabem da senha, e morrem de fome.

No Brasil, o chupim, que também parasita ninhos, usa uma tática mais violenta para garantir que seus filhos sejam cuidados. Ele fica vigiando o ninho “adotivo” e o vandaliza quando seus filhotes são rejeitados. [io9, Foto]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

Deixe seu comentário!