Essa é a cor mais escura em existência. Tão escura que faz objetos desaparecerem

Por , em 12.07.2016

O Vantablack não para de ficar mais escuro e mais interessante. Este é o material que mais absorve luz no mundo, produzido pela Surry Nanosystems. A empresa acaba de divulgar novo níveo mostrando a última atualização do material.

material escuro gif

O novo vídeo mostra uma esfera coberta com Vantablack sendo movida na frente de uma placa do mesmo material. Além de ser difícil perceber que a esfera tem três dimensões, e não duas, quando é movimentada sobre a placa negra, ela simplesmente fica invisível para nossos olhos.

Como funciona?

O nome Vanta vem de Vertically Aligned NanoTube Arrays (“Conjunto de Nanotubos Verticamente Alinhados”).

O Vantablack foi criado em 2014 e é feito com nanotubos de carbono que funcionam como um labirinto para a luz que incide sobre ele. Apenas 0,04% da luz consegue sair dali. O restante da radiação fica presa entre os tubos, saltando entre eles, até se converter em calor.

Como você deve se lembrar das aulas de física do colégio, nós não enxergamos o objeto em si, mas sim a luz que se reflete em sua superfície e atinge nossos olhos. Como este material retém 99,96% da radiação que bate nele, os olhos não conseguem perceber nada no objeto além da ausência de luz – vista como a cor preta – e seu contorno. A noção de profundidade também desaparece, dando a impressão de que é um objeto com apenas duas dimensões.

Para que ele serve?

A substância pode ser usada em telescópios, para impedir que luzes que não interessam ao observador entrem no aparelho. “Ele reduz a luz desnecessária, melhorando a capacidade de telescópios sensíveis para enxergar estrelas fracas”, explica o Chefe de Tecnologia da empresa, Ben Jensen.

O material também pode melhorar a performance de câmeras infravermelhas na Terra e no espaço.

Já que absorve a radiação da luz e a converte em calor, o Vantablack também pode ser usado para aumentar a absorção de calor em materiais usados na tecnologia de energia solar, assim como em camuflagens térmicas no setor militar.

Já está em uso

Em maio de 2016, o material foi usado pela primeira vez na tecnologia espacial. Ele faz parte de uma câmera lançada em um satélite para observar a Terra. [Techinsider]

Confira o vídeo completo:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,50 de 5)

1 comentário

  • Paulo Felix:

    Alguém mais pensou em 2001 Uma Odisseia no Espaço e o Monólito que não refletia luz?

Deixe seu comentário!