Simulando uma explosão nuclear [humor]

Por , em 16.01.2012

Colbert: Você ao menos admite que uma explosão nuclear é incrível?

Após a hilária simulação o entrevistado responde: E em seguida você teria 200 mil pessoas mortas, uma cidade destruída, chamas até onde os olhos podem ver e inconcebível destruição em massa.

Colbert: Bem… Você fez parecer feio.

Descubra quantas bombas atômicas são necessárias para destruir o mundo.

Colbert estava interpretando algo como este vídeo:

Este contém cenas espetaculares:

Não há nada de realmente engraçado em uma bomba atômica.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 3,00 de 5)

21 comentários

  • Jonatas:

    No History Channel está passando um documentário sobre a guerra do Vietnã que mostra um lado dos EUA que eu pouco conhecia: a opinião do povo norte americano sobre as guerras. Em maioria eles são contra, e heróis de guerra no Vietnã eram recebidos como motivo de vergonha e procuravam não se exibir como soldados.

  • Carmem:

    Sem dúvida a capacidade do homem de destruição é tão grande quanto a sua de reconstrução, a cidade Hiroshima é prova da reconstrução. Observa-se com armar nucleares apenas o domínio que os maiores poderes do mundo passaram a ter um sobre o outro.

  • Reynaldo Andrade:

    A ciencia deveria inventar o compromido atômico, para aqueles que cometem crimes ediondos, e para aqueles que sacrificam animais, mas não para vir a óbito e sim o meliante toma e ele sentira sensações de que por dentro esta tudo vazio e ter medo de se alimentar, não precisa cadeia não, deixa ele solto por aí.

    • Matheus H.:

      Além desse método ser completamente imoral, bárbaro, desumano, psicopático, horroroso e outras coisas horríveis, não é o que pode-se chamar de justiça, isso é a manifestação primitiva do desejo do ser humano de se vingar daquele que o fere.

      Idéias como essa só servem para piorar o estado do mundo.

    • João:

      Comentário negativado.

    • James Jones:

      Easy there Cruela

  • João:

    O mais incrível é quando se começa a estudar o fenômeno atômico. Quando Enola Gay (o avião) soltou “Litle boy” (O nome da bomba) no céu sobre Hiroshima, a explosão ocorreu a 600 metros de altitude, onde matematicamente alcançaria maior raio de ação. Esta explosão atingiu uma potência de 13 KTon (13.000 toneladas de dinamite, sendo esta a unidade de medida porque a explosão de 1kg de dinamite é constante).

    Ainda que 13 KTon tenha destruído uma cidade, devemos lembrar que o arsenal bélico é muito maior que isso, a bomba TSAR da antiga URSS foi testada com metade de seu combustível, ainda assim atingiu o pico de 57 MTon, MEGA-TON!!! (Isto equivale a 57.000.000 toneladas de dinamite).

    Agora a ironia, um mundo sem o arsenal bélico não seria tão estável politicamente quando o nosso mundo atual. É o medo da aniquilação que faz todo mundo se comportar.

    • Curioso:

      rsrs, legal. Quer dizer que o mundo está dividido entre as pessoas que podem apertar o botão vermelho e acabar com a humanidade.

  • Hèber:

    como q a camera ñ foi destruida junto?

    • Ezio Jose:

      Porque a câmera não tinha zoom. Se o tivesse, provavelmente traria a cena para bem próximo e daí…

  • Eset Dark Android:

    Chega de bombas, agora vamos falar de coisa boa, vamos falar de Tekpix.

  • Eddy:

    Se bem chegamos ao cúmulo da idiotização armamentista e isso tenha criado o medo da autodestruição via violência direta, ou seja, guerra, agora mais temerosos e mais covardes, as guerras cada vez menos heróicas e mais rasteiras usam novas/velhas armas tal como o poder político e a manipulação do dinheiro ou repressão econômica para citar duas.
    Enquanto o ser humano delegar seu poder à aparentes líderes, e não retornar às organizações menores “autosuficientes”, a manipulação continuará sendo uma tentação muito difícil de resistir para certas almas influenciáveis como crianças que somente percebem a razão de ser de um doce na língua, e não vê as conseqüências nefastas para todo o corpo.
    Não vejo beleza na ossatura humana exposta pela ignorância, na vejo beleza nessa sedutora revelação da destruição.

  • Carlos:

    Uma coisa extremamente interessante é “viajar” no Google Earth até Hiroshima e ver a cidade.

    Compare depois com cidades do Brasl, onde nunca houve nenhuma destruição.

    Fico pensando o que é pior:
    – uma bomba atômica
    – políticos da genética “sarney”, que temos nos últimos 60 anos.

    Façam o teste.

    • eduardo:

      Difícil essa enquete… kkkkkk…

    • Ezio Jose:

      Djavan responde…

    • Jonatas:

      A grande diferença não está em bombas ou governantes, está na diferença entre os povos. Que me perdoem irmãos brasileiros, mas nosso povo é muito acomodado e aceita as coisas, a maioria só reclama sem fazer o que precisa ser feito. Os Japoneses por sua vez trabalham intensamente após as catástrofes que sofrem. Não só de bombas, mas reerguem cidades ao longo da história de tufões e terremotos.

      Muito bom comentário Carlos, parabéns.

    • Governo Federal de Pinda Juninho:

      não é dificil de responder Carlos,mas assim o que acontece é que o seguinte,os Japoneses trabalham 12 horas,enquanto os Brasileiros 6 horas,para isso o Governo teria que aumentar a hora de trabalho para todos desde a construção civil,até tudo,e o povo lógico cansado de trabalhar iria se revoltar,e fariam protesto.

  • Governo Federal de Pinda Juninho:

    Mas temos que agradecer estas armas nucleares em alguns países,se não fosse elas,agora poderiamos estar na Terceira Guerra Mundial sabiam?

  • Guilherme:

    Existe um único fato positivo em relação às armas nucleares que foi colocar os lideres das nações, únicos responsáveis pelas guerras, na linha de tiro.
    Bombas termonucleares colocaram limites na escalada das guerras totais. O medo venceu a razão.

  • João:

    Existem vídeos assustadoramente fantásticos no youtube, dezenas de testes estão disponíveis para visualização.

    • Marcelo Ribeiro:

      João, seguimos como sugestão e adicionamos dois. Obrigado.

Deixe seu comentário!