Cristais “impossíveis” na natureza podem ter vindo do espaço

Por , em 4.01.2012

Segundo um novo estudo, um cristal que se pensava ser impossível na natureza pode ter vindo do espaço.

Os quasicristais têm uma estrutura incomum, diferente de cristais e vidros. Até dois anos atrás, quasicristais só haviam sido criados em laboratório, até que geólogos os encontraram em rochas das montanhas Koryak, na Rússia.

A equipe diz que a química dos cristais russos sugere que eles chegaram até lá em meteoritos.

Os quasicristais foram descritos pela primeira vez na década de 1980, pelo pesquisador israelense Daniel Schechtman, que recebeu ano passado o Prêmio Nobel de Química pela descoberta.

Schechtman inicialmente foi tratado com dúvida ou desprezo por alguns de seus colegas, que achavam que as estruturas eram “impossíveis”. Os quasicristais quebram algumas das regras de simetria que se aplicam a estruturas cristalinas convencionais. Eles também apresentam diferentes propriedades físicas e elétricas.

Em 2009, Luca Bindi, da Universidade de Florença, na Itália, e seus colegas relataram a descoberta de quasicristais em amostras de minerais das montanhas Koryak, no Extremo Oriente da Rússia.

O mineral – uma liga de alumínio, cobre e ferro – mostrou que quasicristais poderiam se formar e permanecer estáveis em condições naturais. Mas o processo natural que criou as estruturas permanece uma questão em aberto.

Agora, o Dr. Bindi, o cientista da Universidade de Princeton Paul Steinhardt, e outros afirmam que testes apontam para uma origem extraterrestre dos minerais russos.

Os pesquisadores utilizaram a técnica de espectrometria de massa para medir as diferentes formas – ou isótopos – de oxigênio contidas em algumas partes da amostra de rocha.

O padrão de isótopos de oxigênio era diferente de qualquer mineral conhecido que se originou na Terra, e estava mais perto do que às vezes é encontrado em um tipo de meteorito conhecido como condrito carbonáceo.

As amostras também continham um tipo de sílica que só é criada a pressões muito altas. Isso sugere que o objeto foi formado no manto da Terra, ou em um impacto de alta velocidade, como o que ocorre quando um meteorito atinge a superfície da Terra.

Sendo assim, os dados da pesquisa indicam que os quasicristais podem formar-se naturalmente em condições astrofísicas e permanecerem estáveis em escalas de tempo cósmicas.[BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

12 comentários

  • Lívia Marianne:

    Interessante, queria ver essa pedra de perto.

  • ALX:

    MUITOS FALAM DE UM OBJETO QUE O RAIO DEIXA QUANDO SE CHOCA NA TERRA, MAIS SEI LA, TENHO DUVIDA DISSO, APESAR QUE É MEIO COMPLICADO SO A FORÇA DO RAIO PARTIR A ARVORE NE?

    • Ezio Jose:

      Joque um pedaço de barra de ferro de construção nos fios de alta-tensão que alimenta a rede elétrica de sua rua…

      Que é raio?

    • Cesar Grossmann:

      Com o calor, o raio derrete a areia onde toca o solo, e forma o fulgurito.

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Fulgurito

  • Ju:

    Ótima reportagem!

    Eu queria muito analisar essa rocha…

  • ísis:

    Essa é a dificuldade de ser brilhante num planeta sem imaginação. Tantos cientistas foram ridicularizados e até assassinados pela Igreja apenas por terem razão sobre uma verdade que hoje nos parece obvia, como pro exemplo Copérnico ou Galileu. É bom termos cuidado com as teorias que chamamos de infundadas, vai que elas no fundo estão corretas.

    • Cesar Grossmann:

      E pode ser que sejam de fato infundadas. As pessoas podem estar certas e todo mundo achar que estão erradas, mas também podem estar erradas e todo mundo achar que elas estão erradas. Não é por que todo mundo acha que alguém está errado que esta pessoa está automaticamente certa…

  • there:

    será q estamos pensando corretamente.. Pois pq deveremos pensar q universo e totalmente regrado, pois talvez nem nosso planeta siga regras talvez seja nos msm q colocamos regras aonde não existem!

    • Capitão Caverna:

      Vc está enganado, o universo(macroscopico) segue as msm regras, se fosse como vc diz o quasicristal se destruiria na terra, pois as regras aqi são diferentes das regras de onde ele foi criado.

      O Glauco sumiu gte?

    • Ezio Jose:

      Final de ano… Deve estar curtindo algum lugar exótico. Meditando para alcançar um estado zen e dialogar com ETs. … (rs)

  • Gilberto M.:

    E pensar que o Sr Daniel Schechtman (Nobel de Química) foi desprezado pela comunidade científica na época de sua descoberta!

    • Cesar:

      Acontece. A Teoria do Big Bang tem este nome por causa deu um astrônomo que achava ela absurda (Fred Hoyle), e ele não era o único, toda a comunidade científica era extremamente cética em relação à mesma, inclusive Albert Einstein. Outra teoria que foi rejeitada pela comunidade científica a princípio foi a teoria da bióloga Lynn Margulis (ex-esposa do Carl Sagan, recentemente falecida), acho que foi a da endossimbiose (foi rejeitada por 15 jornais científicos), e que explica as mitocôndrias e os cloroplastos. Mas a tendência é que, caso a hipótese ou teoria tenha realmente fundamento, que as evidências a favor dela acumule-se e seja afinal reconhecida.

Deixe seu comentário!