Elefantes “assassinos” da Índia: por que eles atacaram?

Por , em 14.06.2011

Quatro elefantes descontrolados destruíram as ruas da cidade indiana de Mysore, no dia 8 de junho, e acabaram matando um homem. De acordo com notícias locais, eles se separaram de seu rebanho após moradores terem atirado pedras contra eles.

Um desses elefantes escapou para as ruas da cidade, onde pisoteou um homem, além de matar várias vacas. Esse é considerado um comportamento muito incomum já que elefantes costumam ser dóceis. O que pode ter acontecido?

De acordo com Mike Keele, que cuida de elefantes no jardim zoológico de Oregon, EUA, os elefantes eram jovens do sexo masculino que tinham sido separados de seu bando. “Jovens machos às vezes formam esses grupos que são como pequenas gangues”, compara.

Keele, porém, acrescenta que os seres humanos também possuem uma parcela de culpa nessa história. Como os elefantes são pressionados pelos seres humanos a viver em espaços cada vez menores, muitas vezes eles acabam invadindo lugares habitados por humanos apenas para sobreviver – à procura de comida e água.

Se os habitantes de uma vila perseguiram mesmo os animais em seu habitat, os elefantes podem muito bem ter ficado com medo e saído em desespero pelas ruas de uma cidade. “Numa situação em que um elefante está agitado e com medo, qualquer coisa que se mova representa uma ameaça”, explica Keele.

Outros especialistas veem o conflito homem-elefante como algo mais profundo. “Incidentes como esse mostram a extensão em que os elefantes estão sendo levados à loucura pela violência humana”, defende Gay Bradshaw, especialista em comportamento de elefantes.

Bradshaw diz que os elefantes estão simplesmente reagindo aos ataques feitos por humanos, da mesma forma que nós mesmo reagiríamos em situações extremas de cerco ou genocídio.

Parte do conflito é simplesmente por causa de espaço. Na Ásia, há entre 35 e 50 mil elefantes. A população humana ultrapassa bem a barreira de um bilhão de pessoas. Em comparação, por mais que a África possua um número significativamente maior de elefantes (600 mil), a população humana é infinitamente inferior à da Ásia.

Os elefantes precisam de um grande espaço para viver, com muita vegetação e água abundante. Quando áreas com essas características são ocupadas por plantações humanas, os elefantes ficam felizes em incluir em sua dieta milho ou outros alimentos plantados para o consumo de pessoas.

E é aí que mora o perigo: às vezes os animais se tornam mais do que felizes com as comidas descobertas a ponto de invadir aldeias e destruir barracos ou casas ao sentir o cheiro desses alimentos.

O pesquisador Marshall Jones analisou o número de mortes de humanos e de elefantes nas zonas de conflito. Ele estima que na Índia até 300 pessoas morram por ano, contra cerca de 200 animais.

Segundo especialistas, a harmonia depende dos humanos. Uma ideia, de acordo com Keele, é colocar cercas ao redor das aldeias humanas, em vez de confinar a área dos elefantes: conter as pessoas, e não os animais.[MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

21 comentários

  • Luan P.:

    Quer saber qual a causa disso ae? Assista o documentario Earthlings….

    • Saprugo:

      Nunca tive coragem de assistir esse documentário, mas sei que é sobre o parasitismo e crueldade do homem sobre todas as espécies da Terra. E a causa disso é a nossa diferença das demais espécies: nós raciocinamos, e isso desequilibrou toda a interação do homem com as outras especies, pois infelizmente sempre usaremos o raciocínio como arma para dominar e escravizar/parasitar todas as demais espécies.

  • HLOPES {SUPPORTER ZEITGEIST]:

    Porque os animais vivem escravos de nós, e nós humanos somos os monstros deste planeta. para mudar o mundo a acabar com a corrupção, procure pelo movimento zeitgeist, movimento de espírito. Saiba o que o mundo sofre hoje. Em primeiro lugar, nós humanos somos muito convencidos a respeito do nosso saber, dizemos logo, porque são animais selvagens, erro de principiante. Para já os elefantes não são violentos, se este atacou, foi por alguma razão e deve ser compreendida. nem que seja liberta-lo, nós humanos, não nos importamos com a natureza, parece que sim, mas não passa de uma mentira, preocupamos-nos mais connosco próprios, e só fazemos esterco. Se dizem que todo o reino animal é selvagem, então os golfinhos também são selvagens? Apenas atacam por alguma razão, e nos humanos, somos uma prisão para imensas coisas, sem compreensão perante elas. Já ouve casos de golfinhos atacarem humanos, a mesma coisa, que um elefante agora mostrado, aqui, espécies que são amigas de nos não nos atacam sem um + nem um – e à que avaliar isso, não é ser um ignorante dizendo que a vida animal é assim, e o resto que se lixe, isso não, isso é um erro de principiante para quem não compreende o sentido da natureza e não só.

    • Ezio José:

      Tenho uma amiga que é escrava de seu Siamês.

    • HLOPES {SUPPORTER ZEITGEIST]:

      Isso é porque ela quer, ou porque o animal faz algo?

    • Saprugo:

      Não é escravidão (parasitismo) Ezio, é simbiose, ambos se beneficiam; ela dá abrigo, comida, cuidados e carinho e o gato retribui com carinho (que é só o que ele pode oferecer) que com certeza faz bem para ela. O seu coração está onde está o seu tesouro.

  • ADELMO:

    Onde há uma AÇÃO,Existe uma REAÇÃO.Pois de acordo com o documentário acima o inocente ELEFANTE reagiu em tamanha pressão.o ser HUMANO só pensa em si mesmo e não nas conseqüência imposta por ele.abraços

  • fabricio:

    mato só 1 ? __’

  • vicente:

    mato só um ?aff

  • claudemir da silva:

    o homem é oculpado disso tudo mesmo

  • AiltonWarrior:

    Eles pediram para isso acontecer ,onde é que ja se viu,por que atirar pedra nos animais,…

    • Ezio José:

      Porque apesar das orelhas grandes eles não escutam e tão pouco entendem ordens ditas, conselhos ou quaquer outro tipo de recado.

  • Rafael:

    “De acordo com notícias locais, eles se separaram de seu rebanho após moradores terem atirado pedras contra eles.”

    “Incidentes como esse mostram a extensão em que os elefantes estão sendo levados à loucura pela violência humana”

    Já esta tudo ai no texto, e ainda perguntam o por que eles atacaram?!

    • BiiaCX:

      Não entendi também. Achei que o motivo para o ataque estava óbvio.

      “De acordo com notícias locais, eles se separaram de seu rebanho após moradores terem atirado pedras contra eles.”
      “Esse é considerado um comportamento muito incomum já que elefantes costumam ser dóceis. O que pode ter acontecido?”

      Aham senta lá. Os elefantes são dóceis mesmo, criaturas lindas. Mas achar estranho que eles deixaram de ser dóceis enquanto os bichos burros (aqueles que tacaram pedras) estavam agredindo os animais é burrice. Agora eles tem que ser dóceis mesmo aguentando nossos abusos? Ah, não.

      Os únicos “assassinos” são os seres humanos, eles são os responsáveis pelos ataques dos animais. Tiram seu espaço, te atacam, te usam, e quando você se defende você é chamado de assassino? Lógico que não, os elefantes também estão só fazendo o que a natureza manda. Os animais não são objetos dos seres humanos, logo eles não tem que agir como NÓS queremos. Deixem os bichos em paz e vocês verão a mudança. =)

  • moizés:

    TW MOAH DISSE: “Só me tira essa dúvida:
    “a população humana é infinitamente inferior à da Ásia.”
    Isso foi um erro de expressão certo?”

    COMENTÁRIO: isolando-se a frase, realmente fica esquisita, mas vendo-a por inteiro não haveria o erro que o dileto comentarista viu, observe:

    “Parte do conflito é simplesmente por causa de espaço. Na Ásia, há entre 35 e 50 mil elefantes. A população humana ultrapassa bem a barreira de um bilhão de pessoas. Em comparação, por mais que a África possua um número significativamente maior de elefantes (600 mil), a população humana é infinitamente inferior à da Ásia.”

    Portanto, “a população humana infinitamente inferior à da Ásia” é a da África, o que está mais ou menos correto: o que está fora de propósito é a expressão “infinitamente”.

    Dizer que a população humana da África seja “infinitamente inferior” à da Ásia é força de expressão exagerada.

  • marizete assis alves:

    É lamentável o homem tomar o espaço que é dos animais,ele tem parcela grande de culpa, torna-se os elefantes arredios e revoltados, depois é o animal que leva a culpa, os homens estão agredindo a natureza, e seus habitantes naturais. É nisto que dar não é ? Francamente !!!!!.

  • Ezio José:

    A natureza exige um equilíbrio. Nunca devemos defender os extremos para que não haja desiquilíbrio.
    Em todos os casos, como os seres racionais não controlam a natalidade e, como não há guerras mundias há algumas décadas, está na hora de estourar uma terceirona.
    Um elefante não cabe numa lata de extrato de tomate. O “bixu” é grande, é vegetariano e consome mutas folhas. Cagam e peidam demais provocando buracos na camada de ozônio. Não tem predadores a não ser o home que acabou quase todos os leões que nem dão tanta “bola” pra um paquiderme.

  • TW Moah:

    Só me tira essa dúvida:
    “a população humana é infinitamente inferior à da Ásia.”
    Isso foi um erro de expressão certo?

    Ah, o desenvolviemtno e tudo o que ele manifesta. Os mais fracos pagarão!!!

    Bicho homem. Nem bicho merece ser chamado!!!

  • Natália Cristina:

    ”eles se separaram de seu rebanho após moradores terem atirado pedras contra eles.”

    Filha da p*** que paril a pessoa que maltrada um animal, não é considerada como um ser humado.

    Muitos animais não podem viver em cativeiros, passando fome ou afastados de sua família.
    Vocês acham que animal não tem sentimento?

    Sou muito contra quem faz um animal sofrer.
    Se não gosta, não tenha. FATO.

    • Baw:

      Os animais em questão são animais selvagens, não animais que estavam em cativeiros.

    • jodeja:

      Os animais em questão que você se refere são os que atiraram as pedras, não é? Os que foram apedrejados são vítimas.

Deixe seu comentário!