Obeso? Veja quantos anos você vai morrer antes da hora

Por , em 6.12.2014

Epidemiologistas examinaram a relação entre o peso corporal e a expectativa de vida e estão afirmando que indivíduos com sobrepeso e obesidade têm o potencial de diminuir a expectativa de vida em até 8 anos. Se a diabetes ou doenças cardiovasculares se desenvolverem, a expectativa de vida pode diminuir cada vez mais, de acordo com a análise dos dados do National Health and Nutrition Examination Survey (Exame Nacional de Saúde e Nutrição, em tradução livre), feito entre os anos de 2003 e 2010, nos EUA, utilizado para estimar o risco anual de diabetes e doença cardiovascular em adultos com diferentes pesos corporais.

Os dados de quase 4 mil indivíduos também foram utilizados para analisar a contribuição do excesso de peso corporal aos anos de vida perdidos e anos de vida saudáveis perdidos. O estudo demonstra ainda que, quando se considera que essas pessoas também podem desenvolver diabetes ou doença cardiovascular mais cedo na vida, este excesso de peso pode roubar-lhes quase duas décadas de vida saudável.

As descobertas estimam que indivíduos muito obesos poderiam perder até 8 anos de vida, indivíduos obesos podem perder até 6 anos, e aqueles que estão acima do peso podem perder até três anos. Além disso, os anos de vida saudáveis perdidos são de duas a quatro vezes maiores para os indivíduos com sobrepeso e obesos em comparação com aqueles que têm um peso saudável, entre 18,5 e 25 no índice de massa corporal (IMC). A idade em que o excesso de peso é acumulado também é um fator importante e os piores resultados foram de quem ganhou o seu peso em idades mais precoces.

“O padrão é claro – quanto mais um indivíduo pesa e quanto mais jovem é, maior o efeito sobre a sua saúde”, diz o autor Dr. Steven Grover, epidemiologista do Instituto de Pesquisa do Centro para a Saúde da Universidade McGill, em Montreal, no Canadá e professor de medcina na mesma universidade. “Em termos de expectativa de vida, a obesidade é tão ruim quanto fumar cigarro”, alerta.

Os próximos passos são personalizar essas informações, a fim de torná-las mais interessante e relevantes para os pacientes. “O que pode ser interessante para os pacientes são os ‘e se?’ E se eles perdem de 10 a 15 quilos? Ou, e se eles forem mais ativos? Como isso vai mudar os números?” diz Grover.

David Katz, diretor do Centro de Pesquisa de Prevenção da Universidade de Yale, nos EUA, afirma que a obesidade é conhecida por aumentar o risco de todas as principais doenças crônicas, principalmente as doenças cardíacas, diabetes, acidente vascular cerebral e câncer.

“Reverter e prever a obesidade iria traduzir diretamente na melhora da qualidade de vida e no aumento dos anos de vida”, aponta. [Science 2.0, Web MD]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!