Este homem foi engolido por uma cobra para filmar a experiência

Por , em 4.12.2014

Um vídeo recente tem causado polêmica na internet. Aparentemente, o Discovery Channel produziu um show com o título “Eaten alive” (“comido vivo”, em tradução livre), e está promovendo-o com um trailer disponível no YouTube (entre outros canais).

Você pode conferir o trailer abaixo, que já tem mais de 2 milhões de visualizações. O programa terá sua estréia no dia 7 de dezembro nos EUA. Nele, o naturalista Paul Rosolie é engolido vivo e depois regurgitado por uma serpente.

Como uma anaconda mata sua presa?

As anacondas são um tipo de jiboia. Elas e as pítons não têm veneno, dependendo de sua força muscular para asfixiar a presa.

Normalmente, a anaconda usa a boca para prender a presa e então se enrola em torno da mesma, apertando-a e impedindo que a vítima inspire, matando-a por sufocamento.

Depois de sufocá-la, a cobra a engole, inteira. Ela consegue isso porque os ossos de sua mandíbula possuem ligamentos flexíveis, permitindo que abra bem sua boca.

Como foi que Paul Rosolie sobreviveu para contar a história?

Os detalhes só serão revelados no documentário, mas aparentemente Paul desenvolveu um tipo de armadura de fibra de carbono que o permitiu sobreviver ao abraço mortal da serpente. Além disso, ele usou um tanque de oxigênio com gás suficiente para permiti-lo sobreviver 3 horas dentro do estômago do animal.

Para atrair a atenção da anaconda, Rosolie se cobriu de sangue de porco, e se movimentou próximo da serpente de uma forma semelhante às presas comuns do animal. Segundo ele, é possível convencer uma anaconda a engolir qualquer coisa.

A controvérsia com a PETA

A PETA (organização não governamental que se dedica aos direitos animais) já se manifestou sobre o programa. Segundo a entidade, Rosolie e o Discovery Channel abusaram do animal apenas para ganhar dinheiro fazendo “documentários chocantes”, no mesmo estilo de “Naked and Afraid” (“nu e com medo”, tradução livre), por exemplo.

O show começa com a caçada à anaconda verde, no Amazonas. A seguir, a cobra é enganada para engolir Rosolie inteiro. Dentro do corpo da anaconda, Rosolie, de alguma forma, faz uma filmagem, mostrando o interior da serpente.

Segundo a PETA, a anaconda deve ter morrido, já que seu corpo não poderia suportar a largura dos ombros de um adulto. Já Rosolie afirma que a anaconda sobreviveu a experiência e que sua maior preocupação sempre foi o bem-estar da serpente.

Mas como foi que eles convenceram a anaconda a regurgitar Rosolie? Um herpetologista acha que eles devem ter chutado o estômago da serpente. Segundo ele, se feito corretamente, o ato pode convencer a anaconda a regurgitar sem risco para ela. Será mesmo?

Mesmo que a serpente sobreviva, alguns biólogos apontam que o ato de caçar e engolir uma presa, sem falar na digestão dela, consome muita energia da serpente. Engolir um homem e depois regurgitar, sem repor nenhuma caloria, deixaria a serpente fraca demais para caçar novamente.

Quanto à motivação, Rosolie afirma que a intenção era chamar a atenção para a ameaça que a serpente está sofrendo com o desmatamento da floresta amazônica. Alguns biólogos acham que existem maneiras melhores de tentar proteger a anaconda – a última coisa que ela precisa é má fama.

Mas isto é possível?

A primeira reação ao ouvir falar que alguém foi engolido vivo por uma anaconda e sobreviveu para contar a história é de ceticismo, principalmente se você considerar que a anaconda não engole nada vivo, só morto.

Será possível enganar uma serpente destas, fazendo-a engolir alguém vivo? Será que uma máscara de oxigênio com 3 horas e uma roupa de fibra é suficiente para sobreviver dentro do corpo da anaconda?

Será que isto tudo é real, é mesmo um documentário, ou um filme de ficção vendido como documentário?

O herpetologista Leslie Anthony, autor de “Snakebit: Confessions foa Herpetologist” (“Mordida de cobra: confissões de um herpetologista”, em tradução livre) disse que a história parece ridícula, assim como outros especialistas, como Gordon Burghard e Jesus Rivas.

E você, o que acha?

Atualização

O programa foi ao ar e a opinião geral é que não precisava tanto, pelo menos não para um programa em que um sujeito começa a ser engolido pela anaconda mas dá para trás assim que o ombro foi forçado pela mandíbula da serpente e o braço ficou dormente.

Para alguns, este é um mal menor, a anaconda não foi tão estressada como poderia ter sido se realmente tivesse engolido um homem inteiro. Mas para os espectadores, foi uma decepção, ninguém esperava que depois de um programa de uma hora e meia o final prometido não fosse entregue.

No final das contas, ficou um programa de uma hora e meia ensinando as pessoas a ter medo de anacondas, e não de respeitarem a mesma e pressionarem pela preservação do ambiente em que vive este magnífico animal. O filme Anaconda faz o mesmo e com mais arte.

E o pior? Nem uma palavra sobre o sofrimento da anaconda e o risco que ela correu de morrer. Ou os danos e traumas físicos que ela teve durante a tentativa fracassada. Ela teve que se sentir ameaçada para atacar um homem adulto, começou a engolir e foi obrigada a regurgitar. Provavelmente teve problemas decorrentes disso.

[Ask.com, IBTimes, Motherboard, BusinessInsider, NYPost, DailyMail, Mirror.co.uk] [io9]

este-homem-foi-engolido-por-uma-anaconda (1) este-homem-foi-engolido-por-uma-anaconda (4) este-homem-foi-engolido-por-uma-anaconda (2) este-homem-foi-engolido-por-uma-anaconda (1)

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,33 de 5)

1 comentário

Deixe seu comentário!