Gatinha adorável ganhou quatro patas artificiais na Rússia. Veja como ela anda

Por , em 5.02.2020

A gatinha Dymka se tornou a segunda no mundo a ganhar quatro patas biônicas, graças ao veterinário russo Sergei Gorshkov e uma equipe de pesquisadores da Universidade Politécnica de Tomsk.

O procedimento

Dymka – que significa “névoa” em russo – tem cerca de quatro anos e foi encontrada no meio da neve em estado grave por uma mulher em dezembro de 2018.

A mulher a levou até a clínica de Gorshkov em Novosibirsk, onde o veterinário constatou que a felina tinha desenvolvido ulcerações devido ao frio nas patas, orelhas e rabo. Esse tipo de lesão ocorre quando temperaturas muito frias congelam a pele e os tecidos. A condição era tão severa que ele precisou amputar essas extremidades.

Mais tarde, em julho de 2019, Gorshkov imprimiu com a ajuda de pesquisadores locais quatro patas prostéticas de titânio em 3D para Dymka. Agora, ela pode andar e até subir escadas novamente.

Para chegar a esse resultado, os cientistas utilizaram tomografias computadorizadas das pernas da gatinha a fim de modelar as patas, que depois de prontas foram anexadas cirurgicamente ao resto do corpo de Dymka.

Pela segunda vez

Dymka não é o primeiro animal a ganhar patinhas artificiais novas. A honra cabe ao gato Ryzhik, que foi tratado pela mesma clínica. Ele também havia sofrido ulcerações por frio.

“Assim, Dymka se tornou o segundo gato do mundo com próteses individualizadas de todos os quatro membros”, declararam os cientistas da Universidade Politécnica de Tomsk ao New York Post.

Dymka agora está vivendo feliz ao lado da mulher que a salvou. [Futurism, LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (20 votos, média: 4,75 de 5)

Deixe seu comentário!