Espaçonave com preciosa carga de asteróides quase chegou após uma viagem de 5 bilhões de km

Por , em 25.11.2020sonda hayabusa asteróide

Na empoeirada cidade do deserto de Woomera, no deserto ao sul da Austrália, cientistas estão se preparando. Em 6 de dezembro de 2020, depois de seis anos no espaço, a nave espacial Hayabusa2 da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão finalmente retornará à Terra.

Ela leva uma carga incrivelmente rara, preciosa e duramente conquistada – ao menos cem miligramas de material coletado da superfície do asteróid Ryugu. Ele lançará a cápsula contendo a amostra para a Terra, e a espaçonave continuará visitando outros asteróides, de acordo com o Science Alert.

O retorno de Hayabusa2 será um marco, um feito notável da ciência espacial, uma viagem total de cerca de 5,24 bilhões de quilômetros. O asteróide Ryugu — anteriormente conhecido como 1999 JU3 — está em uma órbita elíptica que o leva por dentro do caminho orbital da Terra ao redor do Sol, e sai quase até a órbita de Marte.

O planejamento da viagem da Hayabusa2 envolvia calcular onde o asteróide estaria no futuro e traçar um caminho que levaria a espaçonave aonde ela teria que ir, usando a gravidade da Terra para impulsos de aceleração.

Então, a espaçonave tinha que ser capaz de pousar  no asteróide duas vezes, coletar material nas duas vezes e ricochetear no asteróide novamente, antes de retornar ao local onde a Terra estaria quando sua jornada de volta terminasse.

A espaçonave já está na reta final, e a equipe de coleta de cápsulas chegou à Austrália. Ensaios de recuperação da cápsula e testes da tecnologia que será usada para rastrear a cápsula estão sendo conduzidos.

Membros preliminares da equipe que já haviam sido liberados da quarentena de COVID-19 de duas semanas chegaram à base da Força Aérea Real Australiana de Woomera na semana passada e começaram os preparativos para o pouso e recuperação.

Essa pequena carga é uma grande coisa. Apenas uma outra missão retornou com sucesso uma amostra de asteróide. A missão Hayabusa original da JAXA (Agência de Exploração Aeroespacial do Japão, na sigla em inglês) para o asteroide Itokawa retornou uma amostra à Terra em 2010, mas o dispositivo de amostragem falhou, e apenas alguns microgramas de material foram transportados para casa.

Cem miligramas é uma riqueza absoluta de material em comparação, e os cientistas esperam ser capazes de conduzir testes detalhados. Como Ryugu é um asteróide carbonáceo primitivo, acredita-se que tenha preservado parte do material mais antigo do Sistema Solar, relativamente inalterado (exceto por  alguma irradiação) desde que se formou há cerca de 4,5 bilhões de anos.

Essa pequena amostra, esperam os cientistas, será capaz de fornecer algumas dicas sobre os primeiros dias do Sistema Solar e a formação e evolução dos planetas rochosos internos.

A cápsula deverá descer em 6 de dezembro de 2020, criando uma bola de fogo brilhante produzida pelo calor da entrada atmosférica. Um escudo térmico especial protegerá a cápsula de temperaturas em torno de três mil graus Celsius.

Depois de lançar seu pára-quedas, espera-se que ele pouse em uma região de cem quilômetros quadrados dentro da  Área Protegida de Woomera, enviando um sinal de rádio para a equipe de resgate. Uma vez que pousar, este sinal não será detectável nas estações terrestres, então um  helicóptero será necessário para rastrear a cápsula.

Uma vez localizada, a cápsula será levada de helicóptero para uma Instalação Quick Look. Lá, quaisquer gases dentro do contêiner serão amostrados, antes que o contêiner seja colocado em uma caixa de transporte selada e transportado de volta para o Japão via aérea. O próximo estágio do processo de pesquisa realmente começará nesse ponto, e os cientistas iniciarão o trabalho meticuloso de estudar e analisar a amostra.

A JAXA também está considerando uma transmissão ao vivo do lançamento da cápsula na entrada da atmosfera terrestre.

Enquanto isso, o vôo de Hayabusa2 não pára. Seu próximo destino será o asteróide (98943) 2001 CC21 em julho de 2026, em seguida continuará para o asteróide 1998 KY26 para encontrá-los em julho de 2031.

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!