Homem é sentenciado a 14 anos de prisão por apontar um raio laser a um helicóptero

Por , em 24.03.2014

À primeira vista, as canetas laser só servem para sacanear o professor durante uma apresentação de Power Point ou enlouquecer seu gato enquanto ele tenta caçar o pontinho vermelho, certo?

Esses podem ser os usos mais comuns – e inofensivos – de laser por civis que não são médicos. Mas, e se você decidir apontar o brinquedinho para um helicóptero em território norte-americano? Você terá de enfrentar a ira e a desconfiança do FBI. E ninguém quer isso.

Foi o que aconteceu com um homem de 26 anos de idade, na Califórnia, EUA. Ele foi condenado a 14 anos de prisão no dia 17 de março por apontar uma caneta laser em direção a um helicóptero. O episódio havia acontecido em dezembro de 2012.

O rapaz, Sergio Rodriguez, foi condenado por tentativa de interferir na operação de uma aeronave. Sua pena é a mais dura até agora de que se tem notícia, por apontar uma caneta laser para uma aeronave. O que pode ter contribuído para a rigidez da pena foi o histórico de Rodriguez, que inclui violações de liberdade condicional e envolvimento com gangues locais.

A namorada de Rodriguez também foi condenada por apontar um laser para uma aeronave, mas recebeu uma pena mais leve. De qualquer forma, a moça poderá enfrentar até cinco anos de prisão.

Apontar um feixe de raio laser para um avião ou um helicóptero pode parecer uma brincadeira estúpida, mas isso tem o potencial de cegar momentaneamente os pilotos, sendo, portanto, extremamente perigoso. Infelizmente para as pessoas que fazem esse tipo de brincadeira, os policiais já estão um passe a frente e desenvolveram maneiras de rastrear esses criminosos muito rapidamente.

Mas por que uma sentença tão dura para Sergio Rodriguez? Porque o FBI está querendo passar uma mensagem, de acordo com uma agente da organização. “A sentença de Rodriguez demonstra claramente a seriedade de suas ações e que o FBI vai trabalhar com os seus parceiros de execução da lei para localizar e prender aqueles que se dedicam ao perigoso uso indevido de lasers, que coloca as pessoas em risco”, declara Monica Miller, agente especial responsável pelo escritório do FBI em Sacramento.

“Apontar laser para uma aeronave não é uma piada ou uma brincadeira casual. É um comportamento irresponsável que pode ter consequências fatais para a tripulação no ar, os passageiros e o público em terra”, completa Miller.

E essas graves consequências não se restringem a quem faz a brincadeira na terra do Tio Sam. Por aqui, o engraçadinho que resolver apontar um laser a um avião ou helicóptero pode ser enquadrado no crime de exposição a perigo de embarcação ou aeronave. A pena vai de dois a cinco anos de prisão. Caso a travessura resulte em um acidente, a pena sobe para 12 anos de reclusão. Para quem acha que “não dá nada”, em 2011, foram registrados no país 60 casos envolvendo o direcionamento de laser contra aeronaves em momentos de pouso ou decolagem, de acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) brasileiro. [Jalopnik e UOL]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!