Homem perde membros depois de lambida do próprio cão

Por , em 22.08.2018

Greg Manteufel, do estado americano de Wisconsin, teve as pernas e mãos amputadas depois de desenvolver uma rara infecção causada por bactéria presenta na saliva de cães e gatos saudáveis. Ele convive com oito cães, e não sabe qual dos animais carrega a bactéria.

Tudo provavelmente começou com uma lambida de um dos cães, e alguns dias depois evolui para sintomas semelhantes aos da gripe, com febre alta e vômito. No segundo dia de sintomas, a febre estava tão alta que ele começou a delirar, e sua esposa o levou ao pronto atendimento. Lá, ela notou manchas roxas em todo o corpo do marido, como se ele tivesse apanhado com um taco de baseball.

Ele foi diagnosticado com uma rara infecção de sangue causada pela bactéria Capnocytophaga canimorsus, comumente encontrada na saliva de cães e gatos saudáveis. Normalmente esta bactéria não causa problemas para as pessoas, mas alguns casos raros resultam nesta infecção agressiva.

Greg passou a receber antibiótico imediatamente, mas os coágulos formados no sangue bloquearam o fluxo sanguíneo para as extremidades, resultando em morte de tecidos e músculos. Com esses tecidos mortos, a única solução foi amputar as pernas e mãos para salvar a vida de Greg.

Mesmo depois das amputações, ele precisou passar por algumas cirurgias para retirar mais tecidos mortos das pernas, e em breve terá que passar por uma reconstrução no nariz porque a falta de fluxo sanguíneo na região fez o seu nariz ficar preto.

Que bactéria é essa?

A bactéria Capnocytophaga canimorsus recebeu este nome em 1989, e é encontrada na saliva de cães e gatos saudáveis. A maior parte da transmissão para humanos acontece por meio de mordidas, mas também por arranhões e lambidas.

Um estudo de 2015 analisou 484 casos de pacientes que tiveram a infecção agressiva. A média de idade dessas pessoas era de 55 anos, sendo que 66% deles eram do sexo masculino. Entre todos os pacientes, 26% morreram por conta da infecção. O grupo identificado como predisposto a ter a doença era composto por pessoas que passaram por esplenectomia (retirada do baço) ou quem sofria com o alcoolismo. Os casos da infecção que evoluíram para meningite foram mais frequentes em pacientes mais velhos. O antibiótico que costuma dar melhores resultados é a penicilina, mas há outras opções de tratamento.

Entre os pacientes que sobrevivem, é comum a gangrena das extremidades do corpo, infecção no olhos e endocardite.

Não há motivo para nunca mais querer encostar em um gato e cachorro, mas a melhor coisa a se fazer é evitar receber lambidas na boca e olhos ou em cortes e ferimentos na pele, e quando sofrer uma mordida ou arranhão superficial, deve-se lavar bem a região com água e sabonete. [WebMD, Publimed, Emerg. Infect Dis.]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (23 votos, média: 4,39 de 5)

Deixe seu comentário!