A melhor maneira de responder a um chefe hostil é com hostilidade

Por , em 21.01.2015

Segundo um estudo da Universidade Estadual de Ohio (EUA), funcionários com chefes hostis se dão melhor no trabalho se devolvem a mesma hostilidade. Isso pode indicar que, quando se trata de má comportamento em ambientes profissionais, um gosto de seu próprio veneno pode ser suficiente para melhorar as condições.

Hostil até certo ponto

Os funcionários que respondiam a chefes hostis se sentiam menos como vítimas e, como resultado, tinham menos sofrimento psicológico, mais satisfação no trabalho e mais compromisso com seu empregador.

“A melhor situação é, sem dúvida, quando não há hostilidade. Mas, se o seu chefe é hostil, parece haver benefícios em se defender. Empregados se sentiram melhor quando não ficaram apenas sentados aguentando o abuso”, disse Bennett Tepper, principal autor do estudo.

Chefes hostis foram aqueles que fizeram coisas como gritar, ridicularizar e intimidar seus trabalhadores.

Já os funcionários obviamente não gritaram de volta. Os que retornaram hostilidade foram os que ignoraram o seu chefe, agiram como se não soubessem do que ele estava falando, ou que não demonstraram muito interesse ou esforço para mudar.

“Estas são coisas que os chefes não gostam e que se enquadram na definição de hostilidade, mas de uma forma passiva-agressiva”, explica Tepper.

Os experimentos

O primeiro estudo incluiu 169 pessoas que completaram dois inquéritos por correio, com sete meses de intervalo entre eles.

Os participantes avaliaram a frequência com que seus supervisores faziam coisas como ridicularizá-los, e relataram quantas vezes revidaram, fazendo coisas como ignorá-lo.

Sete meses depois, os mesmos entrevistados responderam a medidas de satisfação no trabalho, compromisso com a sua entidade patronal, sofrimento psicológico e sentimentos negativos.

Os resultados mostraram que quando os chefes eram hostis, mas os funcionários não retaliavam, os trabalhadores tinham níveis mais elevados de estresse psicológico, menos satisfação com seus empregos e menos comprometimento com seu empregador.

No entanto, aqueles empregados que retornaram a hostilidade não viram essas consequências negativas.

O segundo estudo envolveu uma pesquisa online com 371 pessoas que responderam a questões três vezes, com três semanas de intervalo.

Além de repetir muitas das mesmas questões do primeiro estudo, o segundo inquérito incluiu perguntas destinadas a testar se os funcionários se sentiam vítimas na sua relação com seu chefe, e qual era sua situação de carreira – se tinham sido promovidos ou tinham atingido seus objetivos no seu trabalho.

A ideia era descobrir se ser hostil com o chefe atrapalhava a vida profissional dos empregados.

Os resultados mostraram que os funcionários que devolveram hostilidade a seus chefes eram menos propensos a identificar-se como vítimas e a relatar mal-estar psicológico, e mais propensos a estar satisfeitos e comprometidos com seus trabalhos. Além disso, os funcionários não acreditavam que suas ações prejudicaram sua carreira.

Embora o estudo não tenha determinado como a hostilidade ajudou os funcionários, Tepper crê que se defender pode conquistar a admiração e respeito dos colegas de trabalho.

“Há uma norma de reciprocidade em nossa sociedade. Temos respeito por alguém que luta, responde, que não aceita abuso calado. Ter o respeito dos colegas de trabalho pode ajudar os funcionários a se sentir mais comprometidos com a sua organização e felizes com o seu trabalho”, diz. [Phys]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!