Metais mais raros da Terra classificados em uma “lista de riscos”

Por , em 15.09.2011

Os “metais de tecnologia”, como o índio e o nióbio, são extraídos e utilizados em diversos dispositivos digitais modernos e em tecnologias verdes. Por esse motivo, eles são cada vez mais demandados pelas indústrias ao redor do globo. Mas o resultado da extração desenfreada desses recursos naturais pode se tornar o desaparecimento deles em nosso planeta.

Uma lista feita por um centro de pesquisas geológicas britânico – o British Geological Survey (BGS) – mostra os riscos de fornecimento de alguns dos elementos mais raros da Terra. A lista destaca 52 elementos com maior risco de desaparecimento, ou que pelo menos não poderão continuar abastecendo a indústria no mesmo ritmo da atualidade.

A lista inclui informações sobre a abundância de cada metal, a distribuição de seus depósitos e a estabilidade política do país em que é encontrado, classificando esses elementos altamente desejados em uma escala de mais ou menos propensos a “extinção”.

Geopolítica, nacionalismo de recursos, acidentes e a demora para descobrir outros recursos de extração eficientes são alguns dos fatores que ameaçam o fornecimento dos metais que as tecnologias atuais tanto necessitam.

Um fator especialmente relevante na atualidade é o monopólio claro que alguns países têm sobre alguns dos metais. Por exemplo, 97% de todos os metais de terras raras, incluindo o neodímio e o escândio, são produzidos na China.

O elemento mais ameaçado, o antimônio, é usado extensivamente para o fogo de prova, e também é extraído em território chinês. A China domina nada menos do que 50% da extração global de todos os elementos da lista de metais ameaçados.

Uma das principais importâncias da lista é fazer com que os líderes governistas e indústrias entendam a necessidade de fontes alternativas de recursos na área da tecnologia.

Apesar da China dominar a extração da maior parte dos elementos naturais, há muitos outros locais onde esses metais podem ser extraídos, como em depósitos geológicos no sul da África, Austrália, Brasil e nos EUA. A mineração nesses locais seria uma forma de retirar o monopólio dos atuais fornecedores.

Hoje, os metais de tecnologia estão por todas as partes, sendo amplamente utilizados em dispositivos móveis, telas planas, turbinas eólicas, carros elétricos, baterias, celulares e muitas outras tecnologias.

Os celulares são um caso a parte: cerca de um bilhão são fabricados todos os anos, e o volume de metais necessários é surpreendentemente amplo. Tanto que a Terra pode não responder a demanda por muito mais tempo.

A reciclagem dos metais utilizados nesses telefones ainda é muito cara e consome muita energia, e por isso os fabricantes devem estar alertas e entenderem a necessidade da utilização de metais mais facilmente recicláveis. [BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,50 de 5)

17 comentários

  • ALX:

    Me recuso a ler esses tipos de materias, acaba sendo ate perca de tempo. Todos sabem e estão vendo que a mentalidade do homem é so DINHEIRO, não interessa se vão extermiar os animais, plantas, minerais e ate o proprio ser humano, o q interessa a eles “governo,etc” é so DINHEIRO, DINHEIRO, DINHEIRO… Pior q esquecem q o dinheiro é fabricado do papel que vem das arvores e as moedas tambem é feita de recursos da terra os minerais niquel,bronze,prata,etc. JA XEGA DE FICAR OBSERVANDO ISSO E SO PUBLICANDO MATERIAS, JA PASSOU DA HORA DAS PESSOAS AGIREM

    • leandro:

      com esse seu comentario vc só esta “cuspindo no prato que come”, sem essas coisas que vc esta citando, seriamos 6 bilhoes de pessoas vivendo nas mesmas condições das pessoas la do hait, sem nem um recurso material, sem emprego( pois os bens de consumo fornessem os nosso empregos).E mesmo se fossemos só produzir o básico que é comida(agricultura), em um tessido qualquer pra sevir de manto, ai sim não seriamos consumistas, mas regrediriamos 2 mil anos e voltariamos a cultuar(sacrificar pessoas) o deus sol, deus terra, deus arvore etc.

    • Maria:

      Já passou da sua hora de ir pra escola aprender português também, por favor!

    • leandro:

      Por favor Maria, comente o coneúdo científico, estamos tentado ver as coisas por outro ângulo, compartilhando os nossos conceitos, MAS SE VOCÊ É TÃO BOA EM PORTUGUÊS EU ACHO QUE DEVE PROCURAR UM SITE DE LITERATURA, NO MÍNIMO, ao inves de ficar achando acentos que faltam ou letras…

    • Ezio José:

      Se você postou seu comentário é porque leu o artigo. Mas, por que escreveu afirmando que se recusa a ler esses tipos de matéria.
      Não entendi.

  • Roberto:

    A indústria é implacável inimiga do meio ambiente para “atender” à demanda dos consumidores que muitas vezes pagam fortunas para ter aquele “aparelhinho”.

  • EltonPaes:

    Não o que mais me deixa puto de toda essa história é que o Brazil zil zil, é o maior produtor de nióbio do planeta!
    E que quase tudo isso é exportado pra outros países, esses burros vendem um metal precioso e que nem o preço se pode colocar, quem dita o preço é lá fora !

    Brazil zil zil !!!!

    Um país que não faz PESQUISA BÁSICA está condenado a nunca se SUPERAR !!! Vendem a matéria prima e compram as bugigangas !!

    • Stephanie Santana:

      Hey, você está reclamando do Brasil, mas quantos eletrônicos você usa vindos da China?

      Antes de reclamar do Brasil, aprenda a escrever a palavra corretamente e lutar pelo que você diz, porque reclamar todos sabemos.

      Obs.: Não manterei uma discussão desnecessária, eu disse minha opinião e não tenho tempo para esse tipo de coisa =D

    • Estudante:

      Elton, você é o Elton narigudo ? Q fabricava caminhões ?

  • Lucas:

    Brasil vai lucrar muito com isso ainda se agir com inteligência, pois possuímos uma das maiores jazidas de nióbio e terras raras do mundo….

  • Hell Berg:

    Lembrei desta reportagem:
    Nióbio, o metal que só o Brasil fornece ao mundo. Uma riqueza que o povo brasileiro desconhece, e tudo fazem para que isso continue assim.

    http://www.tribunadaimprensa.com.br/?p=17578

    Enviei a reportagem para a Ong AVAAZ,na esperança que fosse realizada uma campanha a nível nacional mas infelizmente não obtive resposta.

  • juniorbrma:

    realmente amigo o capitalismo é terrivel tinham que criar outro maneira de comércio sem prejudicar o meio ambiente tipo mineração espacial:)

    • Ezio José:

      Melhor seria extrair mais oxigênio fora da camada atmosférica da Terra. Antes, porém, delimitar o espaço sideral entre as nações.

  • Tendrilion:

    Uma hora as coisas na naturza vão acabar, até lá quero ver o que nós vamos fazer para se adaptar…

    Mas pelo que vejo atualmente…eu não tenho boas esperanças não.

    • Ezio José:

      Há 40 anos, quando eu tinha apenas 12 anos, já ouvia dizer que o petróleo acabaria em uma década. Hoje temos e é usado alternativas em combustíveis e outros derivados do petróleo. Apesar do preço ser mais elevado, mas já o temos.

  • Satangóis:

    frase que minha vó diz: “Agente só aprende, quando apanha”. O capitalismo já está no sangue da humanidade, a maioria dos líderes políticos só visam enriquecer cada vez mais seus países e não estão nem aí com o planeta, poucos são aqueles que se preocupam.

    • anderea:

      isso avisa da nossa mal educação do pais são um !@##@$ por não considerar que é fato psicologico que pessoas ficam violentas por apanhar dos pais

Deixe seu comentário!