Modo autopiloto de caça F-16 salva a vida de um piloto inconsciente; veja

Por , em 15.09.2016

Um vídeo da força aérea norte-americana acaba de ser liberado para o público, mostrando o sufoco que um piloto em treinamento e seu instrutor passaram no último dia 5 de maio. Por muito pouco o avião do aprendiz não se chocou contra o solo, no estado de Arizona.

As manobras dos caças F-16 exigem que o piloto suporte a força de até 9G, e depois de muito treinamento o corpo humano se adapta à pressão. Uma pessoa comum normalmente suporta até 5G sem desmaiar.

Faz parte do treino aprender a reconhecer os primeiros sinais de perda de consciência, como perda da visão periférica e amortecimento dos sentidos como audição, para que a rota possa ser alterada em tempo.

O piloto em treinamento chamado pelo codinome Ocho, porém, conta que simplesmente perdeu os sentidos quando estava sob 8,3G de pressão, fazendo com que a nave mergulhasse em direção ao deserto.

“Eu comecei a rodar e comecei a puxar e estava seguindo [o instrutor] com os olhos. A próxima coisa que lembro é de acordar e escutar “recupere-se”. Aconteceu tão rápido. Normalmente as pessoas ficam com uma visão em túnel que gradualmente aumenta. Sempre tenho isso, mas naquele dia não tive nada disso”, relembra o piloto.

Em menos de 20 segundos, o F-16 mergulhou da altitude de 5.181m para 2,753m. Neste ponto, o autopiloto começou a funcionar, tirando o avião da rota de mergulho apenas alguns segundos antes da colisão com o solo. O avião chegou a ficar a apenas 1.310m de altitude antes de voltar a subir.

O instrutor, Luke O’Sillivan, pode ser ouvido na gravação gritando “recupere-se!” para seu aluno durante a queda.

O sistema de autopiloto chamado Auto-GCAS foi desenvolvido pela NASA e pela força aérea dos EUA depois de 30 anos de pesquisa, e funciona ao comparar a trajetória da nave com o perfil do terreno gerado a partir de dados sobre altura. Assim que o sistema calcula que a rota é de colisão, ele executa uma recuperação automática, elevando o avião com força de 5G até que a trajetória volte a ficar segura. Até hoje, essa tecnologia já salvou quatro pilotos em treinamento e combate. [ScienceAlert]

Confira:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • morena.maara:

    graças a Deus,nao aconteceu o pior

    • Cesar Grossmann:

      Graças ao computador, e aos sensores, e a altitude que o piloto estava.

Deixe seu comentário!