Mudança nos pólos obriga aeroportos a redesenhar números de pista

Por , em 13.01.2011

Não pense nisso como um sinal do apocalipse, mas o pólo magnético norte da Terra mudou o suficiente para que o Aeroporto Internacional de Tampa (foto), na Flórida, EUA, tenha que redesenhar os números em suas pistas.

A pista principal do aeroporto está fechada até hoje (13 de janeiro) para mudar as designações numéricas de cada extremidade, bem como a sinalização nas vias de circulação para a pista. Duas outras pistas serão fechadas no final deste mês para uma mudança de sinalização similar.

A pista era designada 18R/36L, o que indica o seu alinhamento de 180 graus de distância do norte e 360 graus de distância do sul. Agora, os números estão sendo revisados para 19R/1L (190 graus e 10 graus).

As mudanças são exigidas pela Administração Federal de Aviação americana, que quer que as denominações numéricas reflitam as posições magnéticas norte para o incremento próximo de 10 graus.

Durante décadas, o pólo norte magnético tem migrado do território ártico canadense em relação à Rússia. Essa mudança se acelerou nos últimos anos. Um gráfico canadense acompanha o movimento desde 1831 e aponta sua tendência até 2050. As estimativas atuais sugerem que o pólo está se movendo a cerca de 65 quilômetros por ano.

Os movimentos nos pólos magnéticos são causados pelo movimento de ferro fundido no núcleo da Terra, que serve como dínamo magnético do planeta. Os cientistas acreditam que os pólos magnéticos da Terra invertem-se a cada 400.000 anos, mais ou menos.

Os aeroportos geralmente mudam suas denominações de pista em poucas décadas, dependendo de como a inversão dos pólos sacodem numericamente. Por exemplo, o Aeroporto de Stansted na área de Londres renomeou sua pista de 23/05 para 22/04 em julho de 2009, para refletir a mudança magnética. Não antes de 56 anos o aeroporto terá de pensar em mudar esses números de novo.

Uma mudança catastrófica nos pólos é uma das lendas usadas nos contos apocalípticos. A NASA diz que a mudança nos pólos magnéticos, ou mesmo uma inversão dos pólos, não precisa ser temida. O único inconveniente do evento é que um monte de números de pista precisa ser redesenhado. Fora isso, a reversão magnética não causa qualquer dano à vida na Terra. [MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,67 de 5)

22 comentários

  • rayller:

    se o brasil virar sub-tropical, temperado, ou coisas do tipo, pra mim ja ta bom. brasil virar uma russia o/

  • Luz:

    Mudança de eixo da terra ou pólos, catástrofes, magmas, tempestade solar são manifestações da natureza que já aconteceram. E é claro que podem acontecer novamente. E pode ser sim de uma vez ou não. O que nos faz pensar, ou crer, que hoje em dia não poderá acontecer mais relativamente o mesmo fenômeno natural que dizimou os dinossauros. Por que estaríamos livres disso?

    Quem souber por favor responda.

    • Albanita Amaral:

      Olha Luz, preocupa não, estamos aqui ainda não estamos? E o que dizimou os dinossauros não foi a inversão dos polos e sim a passagem de Nibiru. Mas ele só retornará no final do seculo, e não estaremos lá para ver. portanto preocupa não viu.

  • LorD FeniX (Marthins):

    Ficam algumas perguntas no ar:

    1) O campo magnético da Terra está dentro do campo magnético do Sol. Pode-se dizer q a Terra é um Imã flutuando no espaço dentro do campo do Imã gigante q é o Sol. Se os polos do imã menos mudam de lugar o mais lógico é q se realinhe com o campo mais forte. O q significa q o eixo terrestre sofrerá mudanças e consequentemente os pólos geográficos tb. O deslocamento dos pólos fará com q as regiões mais frias (pólos) passem a ser outras, resultando em derretimento de gelo nas regiões frias atuais e seu aparecimento em regiões não frias atuais. Enormes massas de gelo mudariam de lugar retirando pressão sobre a crosta de um ponto e começando a acrescentar em outro.

    A Terra possui uma elevação em sua crosta na zona equatorial resultante da força centrífuga, essa tb irá mudar de lugar causando movimentos na crosta. Depressão na área da crosta q abandona a área afetada e elevação na q entra.

    2) “Os cientistas acreditam que os pólos magnéticos da Terra invertem-se a cada 400.000 anos, mais ou menos.”

    Ninguem tem como afirmar, ainda, o período exato e nem se os intervalos serão sempre iguais. É muito contra a lógica acreditar q tal mudança ocorra de sopetão.

    3) Será q a velocidade com q se deslocam os pólos se manterá constante ou tende a se acelerar ?

    4) O suposto aquecimento global causado pelos humanos não seria simplesmente consequencia dessas mudanças q estão ocorrendo ?

  • Flavia Ramos:

    ” Ha mais coisas entre os céus e a terra, do que supõe sua
    vã filosofia”…

  • Silvio:

    Errata! O correto seria 312.525 anos.

  • Silvio:

    Para mim a situação é preocupante, segundo o que li, a mudança é de 64 km por ano e está se deslocando do Canadá em direção a Russia. Se o perímetro da Terrao é 40.003,2Km.então em 625,05 anos(se continuar no ritmo atual), os polos já terão se invertido totalmente…

  • Tiago Senna:

    Caros amigos;
    Temos aqui dois assuntos distintos e que devem ter duas abordagens específicas.

    Vou me ater apenas ao mencionado pelo artigo acima: A Terra tem linhas chamadas declinações magnéticas, que dependendo da época realmente há uma mudança. Lembremos que a terra tem uma diferença de aproximadamente de 23° entre o polo magnetico e polo verdadeiro, entretanto cada linha magnetica “varia” para mais ou menos dependendo da época. Assim sendo a remarcação de pista de pouso não é uma indicação de mudança real do polo.
    Vejam que o aeroporto de conconhas ja mudou a mais de vinte anos de 16/34 para 17/35.
    Outros lugares como o rio de janeiro não mudou. Isso nada tem com relação a mudança de polo e sim de linhas magneticas que variam conforme a região.

    Agora quanto a mudança dos polos…esse assunto discutimos em 2013 se estivermos vivos…
    Abs

  • David Quirino dos Santos:

    A superfície da Terra à deriva…

    A superfície da Terra está se deslocando para o Norte

    Estimativas científicas demonstram que a superfície da Terra está se deslocando
    0,88 centímetros ao norte por ano, quando as estimativas anteriores eram de 0,48 milímetros por ano. Por enquanto, isso não tem nenhum impacto sobre a vida no planeta, apenas efeitos menores sobre satélites.
    Os cientistas acreditam que a mudança da superfície da Terra é em grande parte devido ao derretimento da camada de gelo que cobria a maior parte do Canadá e uma parte do norte dos Estados Unidos durante a última Era Glacial.
    —–
    Teço aqui um comentário, observando que teorias não passam de teorias; nada
    tendo sido provado… portanto, embora não possuindo cátedra para que uma teoria minha fosse reconhecida publicamente, esta seria tão válida como outra qualquer… e minha teoria diverge de todas de que eu tenha tido notícias até agora: Embora não sendo seguidor de ninguém, identifico-me muito com Carl Sagan, por meu cetismo nato e sou dado a examinar minhas próprias idéias antes de considerar seriamente opiniões alheias. Ex.: Não acredito que a crosta terrestre esteja deslocando-se anormalmente devido ao derretimento das camadas de gelo sobre este ou aquele lugar, mas, antes, justamente o contrário… ou seja: Devido à deriva irregular da crosta sólida do planeta sobre seu núcleo líquido/pastoso e ao atrito entre eles, é que temos um aquecimento extra, que denominamos hoje de aquecimento global, que faz com que as camadas de gelo comecem a derreter. Seria muito mais aconselhável para toda a humanidade, que os doutores olhassem um pouco para o espaço exterior e procurassem uma razão para o que acontece, ao invés de fazerem afirmações absurdas como a de que o ser humano é o responsável e causador do aquecimento global que vem aumentando sempre e aceleradamente. Pode muito bem ser que, como no passado, quando ainda não existíamos, alguma força provinda do espaço exterior, que causou tal força de maré sobre o nosso mundo, que fez com que êle estufasse de um dos lados… talvez em uma erupção vulcânica que teria dado origem à nossa Lua e ao continente original que teria dado origem a todos os continentes quando começasse a se fragmentar, sendo novamente atraído de volta pela gravidade do planeta, logo que êle estivesse livre da influência do que quer que por êle tenha passado, tal possa ocorrer… em menor ou maior proporção. O fato é que não podemos ter certeza disso, pois nada conhecemos do espaço exterior que não esteja no campo das teorias: O Big Bang, por exemplo, é uma teoria aceita… por mais esfarrapada que possa ser; os buracos negros, por sua vez, me fazem ter vontade de enfiar a cara em um buraco, salvo quando penso que talvez, contrariando a afirmação de Einstein: de que nada poderia deslocar-se em nosso universo com velocidade superior à da luz, alguns astrônomos afirmam que o universo expande-se aceleradamente e que as galáxias para além do universo observável afastam-se a velocidades tão grandes que nem mesmo sua luz consegue alcançar-nos, e então eu penso: “Se tal fosse possível, isto destruiria tudo em derredor, pois a imensurável massa de uma galáxia multiplicada pelo quadrado da velocidade da luz arrastaria consigo tudo ao seu alcance e, ao longe, em determinada posição relativa à rota pela qual ela teria seguido, tudo o que veríamos seria um buraco negro… mas, isto é uma teoria mais absurda ainda que a de uma estrela absorvendo massas muitas vezes maiores que a dela própria em uma singularidade.” Mas, há ainda muito que não pode ser explicado: como a matéria escura do universo… Bem, isto é apenas um comentário, mas, continuo discordando da opinião dos cientistas sobre o assunto inicial dessa conversa.

    David.

  • Darius Shayne:

    Acredito que essa fora o principal motivo da morte de tantos passaros pelo mundo

  • Deep:

    TALVEZ, a movimentação do magma no núicelo de ferro fundido da Terra esteja – como ocorre o líquido sinovial nas articulações – apenas se acomodando, afinal, ele está em movimento; teoricamente as mais próximas do centro estão mais quentes, as camadas mais externas, mais próximas à superfície seriam as mais frias, o magma então tem uma dinâmica própria e, bem o sabemos – até pq de tudo oq Júlio Verne anteviu para suas ficções e que ainda não existe mesmo, só resta a viagem ao centro da Terra – o núcleo da Terra é menos conhecido que os céus, o oceano e mesmo o espaço.

  • Rod:

    Como um processo que, dizem, leva 400.000 anos causa uma modificação de 10 graus em poucas décadas?

  • Giba:

    Lá vai o “chatonildo” do Cesar “Sabe tudo da estrela” atacando de novo. O Theo não achou as repostas no google pq o Cesar não atualizou o google ainda. kkk

  • Gil:

    “Fora isso, a reversão magnética não causa qualquer dano à vida na Terra.”

    e o mecanismo de orientação magnética usado por alguns animais para se locomoverem, como fica?

  • Cesar:

    IvanRW, acho que alguma desorientação deve acontecer, mas não deve ser grande coisa. Até onde eu sei, as migrações dos pássaros não tem sido afetada pelas mudanças de posição do polo magnético do planeta.

  • Cesar:

    Theo, o eixo de rotação da Terra é o que passa pelo Norte e Sul Geográficos ou Verdadeiros. O eixo de rotação da Terra é muito mais difícil de mudar, por que existe uma quantia monstruosa de energia cinética armazenada no movimento de rotação – mudar a posição do eixo significa deslocar quantias imensas de energia, o que iria destruir o planeta (a crosta iria se partir toda e derreter, e a Terra viraria um mar de lava por algumas centenas de milhões de anos).

    O eixo magnético é controlado pela movimentação das correntes de ferro líquido que estão próximas do centro da Terra, e aparentemente não tem relação com o eixo do movimento da Terra.

    Uma curiosidade, a posição do Norte Magnético é um ponto turístico sexual. Aparentemente, tem gente que gostaria de engravidar sobre este lugar. Se já aconteceu, não sei, mas que tem gente tentando, isto tem…

  • Theo:

    Uma duvida me surgiu agora:
    Se o planeta gira com eixo nos polos que tambem sao os polos magenticos, entao com a migração dos polos magneticos, não seria obvio que o eixo do planeta tambem mudasse?
    Não achei referencia a isso em local nenhum, nem em google, nem ninguem soube me responder a isso…

  • IvanRW:

    Será que os pássaros e outros animais que utilizam as linhas magnéticas da terra estão “atualizando seus gps´s”, kkkk.
    Deve ser por isso que de vez em quando aparece um pinguim passando férias nas praias brasileiras.

  • Luci:

    Legal!

  • BiiaCX:

    “As estimativas atuais sugerem que o pólo está se movendo a cerca de 65 quilômetros por ano.”

    Uau, bastante né Oo

  • Richard Fontana:

    Inversão da polaridade magnetica da Terra, não irá causar nenhum dano à vida? Julgo que sim, pois existe um equilibrio neste sistema e que está sendo alterado.
    Basta vermos e constatarmos que existem hoje topos de inúmeras montanhas que já foram anteriormente leitos de oceanos, locais onde já foram florestas e hoje desertos e vice-versa. Ventos e correntes marinhas são influenciados pelo magnetismo, entre outros fenômenos naturais terrestres.
    O planeta Terra possui placas tectônicas que compõem a sua face externa formando uma verdadeira carapaça, e cerca de 70% das superficies destas placas são cobertas pela água.
    Quem pode afirmar o que era a Terra a cerca de 400 mil anos atrás, e o que será daqui para frente e no mesmo período de tempo? Quatrocentos mil anos é justamente o tempo que define-se como o início do aparecimento do homem sobre a face da Terra. Portanto, é bem possivel que ele, o homem, ainda não tenha tido a experiência trágica de enfrentar o que seria uma inversão total do polo magnético.
    O homem é apenas um ínfimo grão de areia neste universo. E o que é pior, pensa que pode ser o dono da verdade absoluta. É porém, um simples “virus” que vive procurando alterar as condições naturais do planeta para a sua própria conveniência e comodidade.
    A natureza terrestre não se defende das agressões sofridas, apenas se vinga em um período de tempo posterior.

Deixe seu comentário!