Raios de próton: novo tratamento é usado em humanos pela 1ª vez

Por , em 29.01.2014

Um homem de 33 anos de idade, de Leasburg, no estado norte-americano do Missouri, foi o primeiro paciente a receber uma forma revolucionária de tratamento com raios de próton, uma de radiação de alta precisão que é o primeiro sistema de prótons do mundo de seu tipo. O tratamento foi administrado no mês passado no Centro de Câncer Siteman do Hospital Barnes-Jewish e na Escola de Medicina da Universidade de Washington, em St. Louis (EUA).

Raios de próton contra o câncer

Steven Osborne tem um tipo raro de câncer chamado condrossarcoma na base do crânio. Ele passará por sessões de 30 a 45 minutos cada dia da semana, durante sete semanas, como o primeiro paciente do Centro de Terapia de Prótons S. Lee Kling.

O Centro de Terapia de Prótons S. Lee Kling, um dos 14 existentes nos Estados Unidos, fornece terapia de prótons para pacientes adultos do Centro de Câncer Siteman e pacientes pediátricos do Hospital Infantil de St. Louis. Os pacientes elegíveis para a terapia tem câncer perto de órgãos vitais, como a coluna vertebral, cérebro, coração e olhos.

“A terapia de prótons é única porque permite ajustes muito precisos para o feixe de radiação, para que possamos atingir os tumores com precisão”, explicou o mestre em medicina Jeffrey Bradley, diretor do Centro de Terapia de Prótons. “Isso ajuda a minimizar os danos ao tecido circundante e é especialmente útil no tratamento de crianças em crescimento”.

Por exemplo, o tratamento de um tumor no cérebro, como no caso de Osborne, feito com a terapia de prótons pode ser menos propenso a resultar em cegueira ou outras complicações, contou Bradley, que também é o professor de oncologia de radiação do S. Lee Kling, na Universidade de Washington.

Um acelerador de prótons supercondutor sincrocíclotron é um componente chave do novo sistema de terapia por prótons. O tamanho relativamente pequeno do dispositivo permite que caiba em uma única sala que não é muito maior do que um quarto tradicional de radioterapia – em outros centros, são necessárias quatro salas para executar o tratamento. O custo deste sistema de terapia de prótons único foi de cerca de US$ 20 milhões (R$ 40 mi). Isso representa uma fração do investimento necessário para sistemas de terapia de prótons tradicionais, que tipicamente estão alojados em edifícios com porte de campos de futebol e custo acima de US$ 150 milhões.

“Nossa equipe de radioterapeutas e físicos da Universidade de Washington tem sido fundamental para o desenvolvimento de processos de planejamento de tratamento e de garantia de qualidade para essa tecnologia”, afirma Bradley. “Estamos focados em usá-la para fornecer o melhor cuidado possível para os nossos pacientes”.

O Centro de Terapia de Prótons S. Lee Kling planeja tratar de 20 a 25 pacientes por dia. O tratamento geralmente vai exigir sessões diárias de 30 minutos ao longo de dois meses. O centro vai atender o centro-oeste dos Estados Unidos. O local seguinte mais próximo que oferta a terapia de prótons fica a 362 quilômetros de distância.

“O Centro de Câncer Siteman tem o prazer de ser capaz de fornecer este novo tipo de terapia de prótons”, comemorou o médico Timothy Eberlein, diretor do Siteman, presidente do Departamento de Cirurgia da universidade e professor condecorado da instituição. “Como parceiros no desenvolvimento desta tecnologia, estamos traduzindo a ciência de ponta em melhores opções de tratamento para os nossos pacientes”.

O Centro de Terapia de Prótons foi batizado em homenagem a S. Lee Kling, um visionário de St. Louis que teve que viajar para a Costa Leste do país para receber a terapia de prótons para um tumor ocular. Kling, o ex-presidente da Fundação do Conselho Administrativo do Hospital Barnes-Jewish, acreditava que a terapia deveria ser mais acessível e disponível aos pacientes da região. Seus esforços ajudaram a levantar US$ 2,3 milhões (cerca de R$ 4,6 mi) a partir de um evento da fundação para financiar a pesquisa e a construção de uma unidade de terapia por prótons. [Medical Xpress, WUSTL News]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • syllaz hill:

    Gente, as dicas que vocês dão são muito boas, senão ótimas!, mas a matéria sobre chá e café eu consegui entender, mas a principio me pareceu confusa.
    De qualquer forma, muito obrigado!
    Syllaz hill.

Deixe seu comentário!