Nunca visto antes: duas estrelas azuis em processo de fusão

Por , em 17.12.2014

Um dos eventos mais raros foi confirmado recentemente: trata-se de um par de estrelas azuis gigantes em um processo de fusão.

Estrelas binárias são mais comuns na nossa galáxia que estrelas solitárias, como o nosso sol. Mesmo assim, este par chamou a atenção dos astrônomos.

Estrelas azuis são estrelas gigantes. Neste par em particular, uma possuía 38 massas solares e a outra 32 massas solares. Elas também são quentes, por isto a cor azul.

O par encontrado, chamado MY Camelopardalis ou MY Cam, está na Constelação da Girafa (“camelopardalis” é o nome em latim para girafa), a uma distância de apenas 1.300 anos-luz, e foi visto pelos astrônomos do Observatório Calar Alto, Almería, Espanha.

A equipe, liderada pelo astrônomo Javier Lorenzo da Universidade de Alicante, descobriu que MY Cam viaja a uma velocidade de um milhão de quilômetros por hora, e completa uma órbita a cada 1,2 dias, um período tão curto que indica que as estrelas estão muito próximas, com suas atmosferas entrando em contato, se misturando.

nunca-visto-antes-duas-estrelas-azuis-se-fundindo 1

Este par binário tem algumas outras peculiaridades: é o mais massivo já encontrado, e também com os componentes mais jovens. As estrelas têm menos de dois milhões de anos, ou seja, nem começaram a evolução. Outro detalhe é que elas estão tão próximas que provavelmente seus dias duram o mesmo período da órbita, 1,2 dias terrestres. O nosso sol completa uma rotação em 26 dias.

Os astrônomos acreditam que as estrelas vão se fundir em uma só com 60 massas solares. E aí entra outro fato interessante – este par binário confirma a hipótese de que estrelas maiores se formam a partir da fusão de estrelas “menores”. Até hoje ninguém presenciou estrelas azuis se fundindo. [IFL Science, Universidad de Alicante, National Geographic]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!