,

O altruísmo de Madre Teresa: mito ou realidade?

Por , em 14.03.2013

Madre Teresa de Calcutá é reconhecida por muitos como símbolo do altruísmo e do serviço aos mais necessitados. Ela fundou a congregação Missionárias da Caridade e, por sua atuação em lugares de extrema miséria, é também chamada de “santa das sarjetas” – embora não tenha sido canonizada, e sim beatificada (em 2003). A ausência de “manchas” na figura de Madre Teresa no imaginário popular, contudo, despertou a curiosidade de pesquisadores do Canadá.

Eles analisaram 287 documentos sobre Madre Teresa (96% da literatura disponível sobre ela) e encontraram problemas que não teriam sido levados em conta em seu processo de beatificação, como “a maneira duvidosa como cuidava dos doentes, seus contatos políticos questionáveis, sua administração suspeita de enormes somas de dinheiro recebidas, e suas posições excessivamente dogmáticas, em particular, a respeito de aborto, contracepção e divórcio”.

Madre Teresa abriu 517 missões para acolher pobres e doentes em mais de 100 países. Porém, mesmo com milhões de dólares arrecadados pela congregação, muitas dessas missões seriam insalubres, apontam os pesquisadores, baseados em testemunhos de médicos que visitaram algumas delas.

Ao receber o Prêmio Nobel da Paz, em 1979, Madre Teresa declarou: “Eu sinto que o grande destruidor da paz hoje em dia é o aborto, porque é uma guerra direta, uma morte direta – um assassinato direto por parte da própria mãe”. Tal declaração sem dúvida desagradou pessoas que defendem o aborto em caso de gestações indesejadas. Outro posicionamento polêmico seria a respeito do sofrimento: por considerar que a dor seria uma forma de partilhar o sofrimento de Cristo e, dessa forma, colaborar com a redenção da humanidade, Madre Teresa tinha ressalvas quanto ao uso de analgésicos, mesmo em casos de dor intensa causada por doenças terminais.

No livro The Missionary Position Christopher Hitchens demonstra que Madre Teresa se soltava da sua religião e circulava pelo cenário político mundial apoiando e promovendo déspotas e vigaristas conhecidos em troca de doações para sua missão. Dois anos antes de morrer Madre Teresa já era amplamente divulgada como forte candidata a beatificação e futuramente a santidade dada sua fama. Isso de fato ocorreu em 2003, quando o Vaticano reconheceu um suposto milagre dela na cura de um tumor de uma mulher na Índia. Foi amplamente divulgado tanto pelo marido quanto por médicos da mulher que o problema que a afligia não era um tumor e sim um cisto e que a cura havia ocorrido pelo tratamento médico convencional, fato que não interrompeu o Vaticano de continuar com o processo de beatificação.

À seguir você pode conferir um trecho de um programa em que Hitchens participa sobre Madre Teresa. O vídeo está em inglês:

Frutos, mesmo da imperfeição

Mesmo considerando pouco o espaço que as falhas da beata receberam na mídia, a equipe reconhece o valor da imagem excessivamente positiva. “Se a extraordinária imagem de Madre Teresa carregada no imaginário coletivo encorajou iniciativas humanitárias que genuinamente se comprometeram com aqueles esmagados pela pobreza, só podemos nos contentar”, escrevem, em artigo publicado no periódico Studies in Religion. “É provável que ela tenha inspirado muitos trabalhadores humanitários cujas ações realmente aliviaram o sofrimento de necessitados e que lidaram com as causas da pobreza e do isolamento sem serem exaltados pela mídia”.

Diante das controvérsias, porém, eles ressaltam que “a cobertura midiática de Madre Teresa poderia te sido um pouco mais rigorosa”.

O estudo pode surpreender pessoas que estão acostumadas a ver Madre Teresa como uma pessoa infalível. Quanto a isso, a escritora Sarah Albertini-Bond faz um questionamento: “Por que nós temos essa necessidade de defender com afinco santos (ou, no caso de Madre Teresa, aqueles que foram beatificados) de questionamentos, ou lavar algumas de suas mais interessantes falhas humanas?”.

“Eu tenho um respeito saudável por santos, então meu questionamento não é para derrubá-los, mas sim para apontar que, se alguém é santo, então certamente suportou em vida mais do que poderíamos”, diz. Para ela, retratar os santos como criaturas perfeitas poderia torná-los distantes e, assim, menos inspiradores. “Nós precisamos que os santos retenham sua humanidade. Nós precisamos saber, e acreditar, que eles são como nós – imperfeitos e, ainda assim, próximos de Deus”.

Agradecimento: ao pesquisador Serge Larivée, um dos autores do estudo, por encaminhar a pedido do Hypescience uma cópia de seu artigo. [DNAIndia, The Times of India, Studies in Religion, Patheos, The Groover]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

43 comentários

  • Antonigo20121:

    Vamos por partes:

    Uma pessoa “santa” não tem que ser também esperta, muito inteligente e, portanto, ela não tinha obrigação de saber lidar com dinheiro, nem obrigação de saber quem era déspota, mau governante, etc, nem saber se alguém próximo a ela a estaria roubando ou usando mal o dinheiro das doações; se houver nesse texto uma insinuação ou suspeita de que ela estaria usando o dinheiro das doações para outra coisa que não ajudar os pobres, então é só procurar ver os bens ela, sua(s) conta(s) bancária(s), se ela vivia no luxo, pois, pelo que se sabe, era bem o contrário! se ela vivia uma vida de luxo, aí ,sim, poderia estar desviando o dinheiro das doações para si mesma. Alguém tem prova disso ????

    E se ela defendia ou não uso de analgésicos e principalmente era contra o aborto (também sou), é direito dela. Muito estranho, aliás, alguém duvidar da “santidade” ou da nobreza de espírito de alguém por esse alguém ser CONTRA o aborto. Se fosse A FAVOR…. Não há argumento aceitável que possa justificar o aborto, que é simplesmente MATAR um ser humano em formação no ventre de sua mãe, ainda que esse ser esteja na fase embrionária. Tal ato é tão somente fruto do egoísmo humano.

    Enfim, não vi em nenhuma parte do texto algo que pudesse manchar o nome de Madre Tereza… mas, se quiserem manchar o nome de alguém, é muito fácil, pois…. não conseguiram manchar mesmo o nome de Jesus Cristo e levá-lo a condenação, a crucifixação, mesmo sendo ele um santo homem ??????????……..

  • Gustavo Moraes Fontanari:

    Dessa vez vim aqui para parabenizar especificamente as diversas pessoas (em especial o Jonatas e seus ótimos comentários) que têm ânimo suficiente para redigir longos textos na tentativa de trazer um pouco de razão para tantos comentários malucos que aparecem aqui, parabéns pelo empenho, garanto que muitas pessoas já devem ter aprendido com vocês 🙂

  • Vitor Carvalho:

    Apesar de há muito tempo não ser católico praticante, respeito a Igreja Católica e as demais religiões quando não são usadas de forma abusiva por seus representantes.
    Sempre admirei o trabalho de Madre Teresa.
    Se ela agiu de forma “suspeita” para atingir seus objetivos, não caberia refletirmos se, ao “apoiar” déspotas, governos subversivos e outras causas afins, por algum mecanismo misterioso da vida, estes mesmos déspotas e governos subversivos não estariam pagando uma parcela de suas dívidas para com a humanidade?
    Não teria sido Madre Teresa um agente que atuou de forma a atenuar o “carma” daqueles que em algum momento agrediram a dignidade humana?
    Esse é meu pensamento a respeito.

    • Cesar Grossmann:

      A acusação de manter pessoas em situação de miséria por qualquer razão que fosse, tendo dinheiro suficiente para melhorar a vida delas, é bem séria, para mim…

    • julyfrct:

      https://www.youtube.com/watch?v=zjB1YlDE4ok

      Olha, madre tereza também era chamada de “anjo do inferno”, mas é claro, eu não sei se derrepente ela era uma pessoa muito inocente, ou ignorante e acabou ficando entre os doentes morrendo, sem saber o quanto de dinheiro poderia usar.Será que ela tinha autoridade para usar o dinheiro para os doentes? Se o dinheiro estava com a igreja católica, não era dela, e ela pode ter sido enganada também…
      Não estou protegendo ela, só acho que pode ter sido isso que aconteceu também…
      Ou ela era caduca e já nem sabia mais oque tava fazendo, pois os doentes eram muitos e ficavam lá pra morrer, muito estranho…

  • Jomário Gama:

    Acho que uma pessoa que não vive segundo uma corrente, seja religiosa, política, sociológica, comente muitos erros ao falar sobre uma corrente dessas, ou sobre alguém que viveu sob essa.
    O fato de Madre Tereza ser contra o aborto, por exemplo, é uma profunda coerência, já que ela faz parte da Igreja Católica, que é sumariamente contra o aborto.
    Esse é só um dos pontos falhos desse artigo, feito por uma pessoa que não entende da religião católica.
    De resto, um estudo um pouco mais próximo da vida dessa mulher já seria bastante pra apagar 4 desses parágrafos.
    Eis um desafio.

    • nercilio estevao:

      O Jomário foi feliz na sua colocação, religioso ou não devemos antes de tudo ter a consciência formada no assunto que vamos falar. Por exemplo todos os casos polêmicos que envolve a IGREJA, “aborto, casamento de pessoas do mesmo sexo, etc. Para legalizar isso teríamos de mudar a PALAVRA de DEUS, e não é possível. “TUDO PASSA, MAS A PALAVRA PERMANECE”.
      Eu só não concordo de uma coisa com o Jomário Gama, mas o fato de não concordar não quer dizer que não respeito o comentário dele. Seguinte a IGREJA CATÓLICA não é contra o aborto, e sim a favor da vida. N o dia que a IGREJA for contra alguma coisa ela deixa de ser IGREJA, a função da IGREJA é evangelizar,
      anunciar.

  • Pedro Henrique:

    Eis aí toda a realidade sobre essa senhora, cujo único beneficiário, foi a instituição católica:

    http://www.youtube.com/watch?v=zjB1YlDE4ok

  • gilberto paulino dos Santos:

    Quem serão os próximos ? Francisco Cândido Xavier e Irmã Dulce ?
    A caridade foi feita. Os meios são justificáveis pelo fim ?
    O importante é que ainda que fosse só um pouquinho, fizeram suas partes. Pior somos nós os críticos, que nada fizemos, nada fazemos e nada faremos.
    PS. Sou ateu.

  • João Alberto:

    O que tem de científico nesse artigo? Esse blog não é sobre ciências?

    • nercilio estevao:

      Pode não ser científico, mas tem a ver sim com con “ciência”.

    • João Alberto:

      ????

  • Flor de Lis:

    Penso que o que mais prejudica a humanidade na sua caminhada evolutiva é a fé cega; aquela em que o indivíduo que a possui não se permite questionar. E penso também que é desse desconhecimento sobre o questionamento que nasce a fé cega. Questionar não é sinônimo de brigar, de ofender, de repudiar. Pra mim questionar é ir na “raiz” das questões, investigar, procurar os ‘porquês’, conceder a si próprio o benefício da dúvida, dar-se a oportunidade de aprender realmente sobre aquilo, ir o mais longe possível como uma tentativa de entender, tirar suas próprias conclusões (não porque alguém disse que é desse ou daquele jeito), mas pelo fato de que você, indivíduo pensante, buscou, investigou, estudou e compreendeu à sua maneira. Penso que a escritora citada na pesquisa foi feliz ao dizer que retratar os santos como criaturas perfeitas os faz ficar distantes de nós. Na minha opinião não podemos esquecer nunca que eles eram seres humanos, passíveis de erros, enganos, ilusões… E penso que necessita nascer em nossa humanidade o desejo e a iniciativa de trabalhar pelo próximo; não pra ganhar o título de santo depois, mas pra tornar o nosso mundo um lugar melhor. Penso que só assim podemos evoluir; fazendo e sendo o melhor que pudermos, mesmo com nossos erros e defeitos.

    • João Alberto:

      P.S.: Ninguém se torna santo desejando algum título.

    • Flor de Lis:

      Meu querido, a palavra ‘santo’ já é um título. 😉

    • João Alberto:

      Minha querida, aqueles que foram proclamados como santos, assim o foram depois de muitíssimos anos depois de sua morte.

    • Flor de Lis:

      Eu sei disso, João Alberto. Acho que vc não entendeu o que eu quis dizer, mas vou explicar melhor: quando eu falei que devemos trabalhar pelo nosso próximo, porém não pra ganhar o título de santo depois, não estava me referindo aos que foram canonizados pela Igreja Católica, e sim à pessoas que se engajam em trabalhos sociais simplesmente pra aparecer perante os demais e não pela virtude do ideal. Em suma o meu pensamento é que sendo humanos e passíveis de erros, não podemos deixar de trabalhar em prol dos demais; isso é o que vai nos fazer evoluir.

    • nercilio estevao:

      É assim que a Igreja vê, buscar naqueles que perseveraram na fé, um motivo de também nós viver a espiritualidade, viver os ensinamentos de Jesus. A Igreja não isenta ninguém do pecado. Veja quantos ensinamentos que existe na vida e ensinamentos de Francisco de Assis, na postura de homem, pecador sim, mais de uma serenidade impar de João Paulo II. Faz mal ou é crime se comportar como eles e muitos outros, que há milhares de possibilidades de não serem santos, mas são dignos naquilo que se propuseram ser, o diferencial seria grande se homens que nos governam fossem como muitos desses que a Igreja tem como santos. O mais intrigantes é que nós nos damos o luxo de perder tempo com isso, e fechamos os olhos para a atrocidade que acontece nos quatros canto mundo. Vivemos endeusando e idolatrando homens que não tem nada a ver com a paz no mundo, para criticar os que dedicam e dedicaram ao amor ao próximo. Pessoas que erram sim porque são humanos, mas procuram errar o menos possível. E por outro lado a Igreja faz isso e “espera” ser entendida pelos fiéis que a congrega, não estimula e nem descrimina os que pensam diferente, ao contrário respeita as opiniões.

      Desculpem não quis ser grosso com ninguém, nem sou tão católico assim, mas não gosto de injustiça seja a quem for.

  • Genildo Siqueira:

    Interessante o Jonatas!!! Sabemos que a ciência falha constantemente, estão sempre revendo e reavaliando, volta e meia esbarram em fatos inexplicáveis. Agora, o direito de não acreditar e’ pessoal, da mesma forma que ele não acredita (respeita) a Igreja eu também não consigo acreditar em nada do que ele fala em seus comentários… “Deus não precisa do ser humano para ser Deus, mas, o ser humano precisa de Deus para ser um ser “humano”.
    Acredito que o ateu e’ o indivíduo que mais procura a existência de Deus, pois a negação e’ um grito interior debique preciso crer, acredito que essas pessoas sofrem interiormente por não terem fé’ que e’ a certeza de coisas que não se vêem.
    Sei que o tema abordado não foi Deus me dirão… Mas e’ impossível desassociar Deus e Igreja.

  • Pati S.:

    Bem, Há mais de dez mil santos e beatos católicos. Todos eles foram pessoas como nos, entretanto que fizeram atos diferentes que os tornaram assim. Provavelmente os outros Santos, assim como Madre Teresa cometeram erros e como todo ser humano estão sujeitos a te-los. A diferença é que antigamente as pessoas não tinham acesso a tanta informação como tem hoje, ou seja, há muita coisa que os santos de tempos passados fizeram que as pessoas nunca souberam pela carência de dados.
    Madre Teresa pode até ter cometido erros e apoiado posicionamentos obsoletos, entretanto, a igreja católica precisa de representações atuais, ainda que ela (teresa) reprensentasse pensamentos que já não se adequem a sociedade atual.
    Independente da religião, de fato Madre Teresa fez muitas coisas boas pela sociedade, as quais a maioria das pessoas não fazem e apesar dela ter circulado pelo cenário político mundial apoiando e promovendo déspotas e vigaristas conhecidos em troca de doações para sua missão, ela fez isso para que coisas boas acontecessem. Enqunato a maioria das pessoas que circulam pelo cenário político praticam corrupção e usa isso apenas para beneficio próprio, ela fez isso para um beneficio comunitário.

  • JAENIO JASMIM:

    Os comentários do JONATAS é a pura verdade, nota 100 para sua opinião. Eu prefiro não seguir religião alguma.

  • RAJMX:

    Futebol, mulher e religião não se discutem. Porém toda “instituição”, deve sofrer críticas e ser investigadas, para não se tornarem absolutas. E se sentirem inquestionáveis. A visão de quem apoia é uma e existe o outro lado da moeda. Nesse caso específico, acredito que a mídia tem muito interesse na situação.

    • Pati S.:

      Você realmente acha que religião não se pode discutir.. Como você acha que as religiões e os seus dogmas vão se adaptar a sociedade que está sofrendo mudanças ? È também com as discussões (não apenas entre os cargos mais altos, mas também entre nós) que as coisas podem mudar. Imagina se até hoje fosse comum as prostitutas serem apedrejadas ou então pessoas todos comprando um terreno no ceu ? Esses conceitos mudaram a partir de discussões. E ainda há muito com o que a religião se adaptar, como o homossexualismo (que sempre foi absolutamente normal desde o surgimento do homem, mas foi considerado um tabu na idade média).

  • luiz.romera@bol.com.br:

    Essas missões ” altruísticas e caridosas”, são na realidade, ações políticas/religiosas. REligião é uma invenção política para colocar o povo e as nações de joelho. E na maioria dos casos o agente, o missionário, não tem essa percepção. É como na espionagem, o bom agente é aquele que faz o trabalho e não questiona. Mas não me parece que seja o caso de Madre Tereza, ela era bem esperta. As religiões escolhem regiões muito pobres e carentes para realizar seus ataques. A Índia, onde a Madre Tereza mais atuou tinha um catolicismo/cristianismo muito fraco e pequeno, então era preciso fazer ” missões caridosas” lá, conseguir adeptos. Ai então, num segundo momento vem as ONGs e outras organizações que vão denandro a grana para o vaticano. Elegem deputados, senadores, etc e passam a influir no destino de todos. Discordo com o comentário de alguns sobre esse artigo mais acima. Devemos tomar cuidado, todos nós. Eles acabam dominando politica/economica/ e socialmente a todos nós. Quem tem a chave do céu é quem gov
    erna na terra.
    Uma pessoa com fome escuta com o estômago.

  • Alex Melo:

    Qual quer forma de trabalho humanitário, nesse mundo ja dever ser considerado como santo, quantos mexem a bunda preguiçosa da frente de seus pcs pra ajudar um pobre coitado ?
    uma mulher que cuido de milhões de crianças sem familia, pode criticar a gravidez, isso não tira sua benevolência, só prova sua personalidade, e apelar para religião logo aqui, todos que são contra o aborto tem que ser dogmático religioso.
    em um mundo onde mulheres se dizem tão evoluidas aponto de escolher ter filhos ou não , não são capazes de tomar providencias sobre ? de evitar uma simples gestação ?
    quando ganhou premio nobel ela disse “a todas a mães que querem abortar não façam mande os para mim que cuidarei deles”
    quem tem coragem pra tal posição e sobre apoio politicos dinheiro não cai do ceu, milhoes de pessoa dependiam dessas obras prefiro a atitudes de madre teresa do que pseudo moralistas, conformados.

  • Marcos Hansen:

    Vejam esse vídeo, mostra a verdade por trás de Teresa de Calcutá

    http://www.youtube.com/watch?v=pvBJXw4OYjw

  • Jonatas:

    A que a reportagem faz uma chamada sobre esses exageros de santidade sobre uma pessoa que citam ter sido a perfeição em vida, o que é um serviço de informação que muitas mídias deveriam prestar mas não prestam à população.
    Eu sei qual será o conteúdo dos próximos comentários, e antes que comecem a criticar a santidade dos santos ou a perseguição do hypescience aos crentes, digo honestamente que pra mim já é um stress discussões sobre o que falam os papas, as madres, os pastores e outras figuras religiosas. Quando se está nesse meio, concorda com eles de cabeça baixa como fiel ou erguida como colaborador de pregação, MAS se não concordar, não siga, não ouça, esqueça. Por exemplo se você não concorda com as besteiras que os papas dizem sobre a camisinha, sobre a homossexualidade, sobre qualquer outra coisa, então não seja católico, e se já não é, não precisa criticar pois isso não o atinge, está lá no mundinho deles – uma simples solução, não é? qual a necessidade de páginas inteiras de discussões inacabáveis. Essa simples solução levaria a um êxodo tão grande que, como já fez várias vezes, a Igreja católica mudaria seus dogmas pra continuar existindo – pra mim é prova absoluta de que religiões não passam de coisas flutuantes que são inventadas por pessoas, e conforme a mentalidade muda, as religiões não tem outra opção.

    • Guilherme de Souza:

      Jonatas,

      concordo plenamente com o começo do seu comentário, em que reconhece a importância de se tirar o exagero em torno dos santos. Contudo, me parece que as discussões sobre a Igreja que ocorrem hoje, em especial na internet, são regadas de preconceitos, falta de conhecimento e também por informações incorretas, pois muitos carregam a ideia de que o mundo é simples e que “sabem tudo o que têm para saber” sobre a Igreja.

      Não se trata de concordar com tudo o que a instituição e seus representantes defendem, mas de conhecer os argumentos por trás dessas posições, ao invés de simplesmente basear as próprias posições em meias-verdades ou em informações equivocadas.

      Como bem disse o bispo Fulton J. Sheen (com um exagero intencional), “não há mais de 100 pessoas no mundo que de fato odeiam a Igreja Católica, mas há milhões que odeiam o que eles acreditam que a Igreja seja”.

    • Beto Caldas:

      é só o vaticano liberar os documentos q todos vão saber exatamente pq a igreja é do jeito q é.

    • Jonatas:

      Certamente são regadas de preconceito e pouco conhecimento, de ambas as partes, teus e ateus.
      No entanto, declarações públicas das entidades religiosas evidenciam muitos dogmas e preconceitos, e afirmam inverdades científicas pra defenderem essas declarações – não da pra negar isso, não existe argumentos *desconhecidos* que amenizem essas declarações.

    • Alexandre Pereira:

      Eu não me importo com a posição de papa, “santo”, bispo, pastor, etc. O que me importo é quando isso ultrapassa os limites da igreja.
      Assim como muitos reclamam do papa falar sobre a camisinha, aborto, etc… Não me importo com nada disso, afinal vai lá quem quer. Agora, quando o papa (a igreja), pastor deputado ou seja lá quem for, influencia fortemente algum aspecto da sociedade (proibir pesquisa com células tronco, por ex), toda a sociedade vai ter que seguir uma regra criada com fins religiosos sendo religioso ou não. Exemplo: Uma pessoa com uma doença degenerativa, que poderia ser curada por algum resultado de pesquisas com células tronco, é fadado a definhar até a morte por causa de crenças que às vezes nem mesmo compartilha. Isso é injusto. Isso, ao meu ver, é uma violação de direitos pois, “não compartilho das suas crenças e opiniões, mas sou OBRIGADO a sofrer por determinação delas”.

    • Jonatas:

      Vendo por esse lado concordo plenamente contigo. Mas atualmente a Igreja não manda mais nos Estados como já foi um dia, então temos a opção, e a minha fórmula funciona. 🙂

    • Guilherme de Souza:

      Essa questão das células-tronco embrionárias mereceria um debate à parte.

      A Igreja tem seus motivos para se posicionar contra esse tipo de pesquisa – e, naturalmente, você tem todo o direito de discordar, mas não de impedir a manifestação desse posicionamento. Tenho certeza de que se fossem ateus e agnósticos se opondo ao uso de células-tronco embrionárias mais pessoas respeitariam a posição. Como se trata da Igreja, porém, se invoca a ideia (errônea e preconceituosa) de que ela é “contra a ciência”.

    • Guilherme de Souza:

      E digo mais, Alexandre: essa questão de “não compartilho das suas crenças e opiniões” vale para qualquer posicionamento, não apenas para religiões.

      As crenças de uma pessoa religiosa fazem parte da sua visão de mundo, da mesma forma que as crenças de um ateu (por exemplo, de que não há Deus) também. Por que a primeira é simplesmente descartada de debates e a segunda, não? Ambas devem ser respeitadas.

    • Alexandre Pereira:

      Guilherme, existem alguns pontos que devem ser esclarecidos nesta conversa:
      1 – Este NÃO é um pensamento ateu. A religião cristã (principal contrárias às pesquisas com células tronco do ocidente, por exemplo) não é a única religião no mundo, e várias religiões não entram nesse mérito (ainda bem).
      2 – Ninguém quer tirar o direito da igreja de “se posicionar” a respeito (aí concordo que pesquisas com células troncos merecem um debate à parte), mas ela não poderia em hipótese alguma impor tais coisas (como bem disse o Jonatas “a Igreja não manda mais nos Estados como já foi um dia”, só que eu vejo que os muitos religiosos no poder (ex.: políticos) mandam e desmandam).
      3 – Sim, concordo com o que você disse de que o que vale para o religioso também vale para qualquer posicionamento (isso inclui ateus, panteístas, petistas, psdbistas, ativistas do greenpeace, etc.)
      4 – Visão de um ateu não é de que “não há um deus”, mas de que “não se pode provar que um exista” ( e sim, como o que vale para um vale para outro, os debates devem ser igualitários, sem excluir um e incluir só o outro). Mas, assim como você disse da igreja, com os ateus também acontece de pessoas julgarem de forma “errônea e preconceituosa” quaisquer coisas que falem.
      5 – Muitas pessoas realmente acham que a igreja é contra a ciência. Eu discordo… eu vejo a igreja mais como uma entidade que vai contra o que contraria suas crenças. A igreja nunca vai se opor à criação de um novo tipo de feixe de laser, ou de uma nova cura ao câncer… desde que isso não afronte os seus dogmas e crenças. O problema é quando o bem dessa tecnologia que afronta suas crenças poderia ser de um bem inestimável para a humanidade toda, religiosos ou não… por isso o exemplo da pesquisa com células tronco. Mas aí, como vc bem disse, é assunto pra muito debate. Só que esse debate precisa ser sério e idôneo e não baseados em ideologias.

      Abraço

    • Paulo Tenorio:

      Prezado Jonatas,
      Sou assinante desta revista eletronica por muito tempo e, tenho lido muitos comentários sobre as diversas noticias que ela veicula. No entanto, só agora resolvi efetuar um login, porque não poderia deixar de replicar o seu posicionamento.
      Religião, meu amigo, não é mesmo para se discutir. Ou você tem ou você não tem! Se você tem, você é obrigado a seguir todos os preceitos ensinados pela comunidade da qual você faz parte, se não você não poderá se identificar com ela. Por isso existem várias crenças, distribuidas em infinitas igrejas, todas se arvorando a detentoras da verdade divina.
      Você fala de dogmas, no entanto não sabe o que são dogmas. Fala de santos, no entanto não sabe o que são santos. Os dogmas são afirmações de verdades, que surgiram para refutar mentiras, heresias, levantadas contra a Igreja de Cristo e contra o prórpio criador e Seu filho Jesus Cristo. Santos não são pessoas que alcançaram a perfeição divina, são pessoas que doaram sua vida em abandono de sí mesmo em benefício do próximo. Moisés é santo, considerado pelo próprio Deus, no entanto cometeu falhas, assim como Pedro e os outros apóstolos de Cristo, assim como Madre Terteza e outros, canonizados ou apenas beatificados pela Igreja. O que eles fizeram foi simplesmente obedecer a duas ORDENS de Cristo: “Amai a Deus acima de todas as coisa e ao teu próximo como a tí mesmo”. Quem não ama Deus, não pode amar o seu próximo.

    • Jonatas:

      Quer dizer que, como não amo Deus, já que não acredito na existência, eu sou incapaz de amar o próximo? Muito obrigado, agora eu sei o que é um dogma, uma afirmação da verdade, a verdade de uma ceita – uma verdade inventada pra manter-se, desculpe a agressiva conclusão, mas uma grande mentira.

    • Antonigo20121:

      “Se vc não concorda com as BESTEIRAS que os papas dizem sobre camisinha, homossexualismo e outras coisas…” ??????????

      Quem é o PERFEITO para dizer com exatidão quem diz “besteiras” ??? Serão mesmo os papas e os homens da Igreja Católica que dizem “besteiras” ??? Ou seus críticos ??? Arrogante, pretensioso, cheio de soberba, se achando infalível é todo aquele que aponta pra esse ou aquele, afirmando , definindo, como se dono da verdade fosse, quem está certo ou errado…..

  • Marcos Fernando Diebe Frejuello:

    Interessante.

  • Evandro Oliveira:

    Não existe quem não cometa erros ou tenha falhas de conduta entre outros, apesar de muitas das coisas que julgamos ruins nos outros, na verdade é uma visão nossa do que seria ‘moral’.

    O fato é que certamente pudessemos ver com os olhos que tudo vê, certamente encontraríamos muitos defeitos nela, assim como em qualquer outra pessoa. Todavia, isso não prova nada. Mas podemos ver nela o caráter dela, a tendencia dos seus atos, o esforço pela qual ela fazia para cuidar de pessoas jogadas na sargeta, bebadas, pessoas por quem a maioria passaria por alto. Ela, quantas vezes, relata que deixava de comer para poder dar a comida para estes necessitados.

    Todos tem erros, problemas, dificuldades, ninguem é melhor do que ninguem. Mas temos que aprender com as boas lições das pessoas. Reter o que é bom. E certamente, não tenho a menor dúvidas, há muitas pessoas mais gratas a ela pelo o que ela fez por elas, do que pessoas gratas a mim pelo pouco que eu fiz por elas.

  • Tibulace:

    Sinto-me incomodado, com pessoas como essa madre, como irmã Dulce.Eram FANÁTICAS em suas crenças malucas, ADORAVAM aparecer na mídia.O ponto que mais me irritava nelas, é o seguinte:As duas, como cristãs que eram, se portavam com ARAUTOS do mais puro ATRASO:Na cabeça de ambas, era PROIBIDO abortar, assim como REDUZIR a prole das populações pobres.NADA de usar contraceptivos!Depois, passavam a sacolinha no comércio, para arrecadar fundos, para SUSTENTAR ou mitigar, ou remediar as necessidades daqueles miseráveis, que ELAS ENCORAJARAM A NASCER. Gostavam MUITO de fazer mesuras com o chapéu alheio.Acho, que deconheciam COMPLETAMENTE a frase: ” Quem pariu Tadeu, tá doido, que balance!”Dizem, que a ” Nova Ordem Mundial”, é de origem DEMONÍACA.Dizem também, que essa organização, PREGA que a população da Terra, DEVERIA ser de cerca de UM DÉCIMO da que é atualmente.Se essa orientação é do Demônio, devo concordar, TOTALMENTE, que ele deve ser um cara SÁBIO e PRUDENTE.Na minha maneira de pensar, a Humanidade, é o ” câncer da Terra”.Todos os países do mundo,a meu ver, DEVERIAM adotar a política demográfica que a CHINA adota, para reduzirmos paulatinamente a população mundial,ao longo de décadas, para alcançarmos níveis populacionais,mais civilizados.Como já disse o filósofo, o inferno, são os outros, principalmente quando são muitos bilhões.

    • John Cetico:

      Exatamente. A humanidade deve evoluir de forma racional e organizada.
      .
      Controle de natalidade, planejamento familiar, são coisas racionais.
      .
      Jogar filhos no mundo de qualquer jeito é irracionalidade pura.

    • nercilio estevao:

      Tibulace, é prático para o controle da natalidade ou para acabar com a miséria do mundo, então vamos matar! Então em vez de matarmos os indefesos matemos já nascidos o que você acha. É fácil abortar aquele que não tem defesa própria, ele não pediu para ser gerado. Isso é mente diabólica. “Se escolhe matar também morrerás, se escolhe viver também viverás, então viva e deixe viver”. O que está errado não é os nascimento é a cultura do povo, que lhes é tirado pelo poder que cada um de nós fazemos consciente ou não. O erro não está nos fetos que estão condenado e sim num sistema corrupto e desumano, e ganha força cada vez que pessoas como você aderem a idéias diabólicas que eles propõem. “Eu vim para que todos tenham vida e as tenham em abundancia”.

Deixe seu comentário!