O Efeito Thatcher vai dar um nó na sua cabeça

Por , em 12.02.2014

“Efeito” e “Thatcher” são duas palavras bem conhecidas no mundo todo. Mas, quando elas são usadas uma do ladinho da outra, perdem um pouco a fama. O tal “Efeito Thatcher” não é muito famoso, apesar de ser extrema e incrivelmente interessante. Não tem nada a ver com economia, política, muito menos com a história do Reino Unido, mas também um grande potencial para dar um nó na sua cabeça!

O Efeito Thatcher foi assim batizado porque foi demonstrado pela primeira vez com uma foto da primeira-ministra britânica, Margaret Thatcher.

Descoberto em 1980 pelo professor de psicologia Peter Thompson, o chamado Efeito Thatcher demonstra que nossos cérebros “têm, ou aprendem, habilidades muito específicas para processar rostos, suas características e as informações que eles transmitem”. E essas habilidades são ajustadas para trabalhar melhor em rostos verticais.

Quando um rosto é virado de cabeça para baixo, algumas dessas habilidades não funcionam tão bem, especialmente as que traduzem relações espaciais entre as principais partes da face: boca, olhos e nariz. Assim, quando alguma ou todas essas características do rosto estão de cabeça para baixo, é como se essas habilidades ficassem desligadas e, então, nós não conseguimos detectar as esquisitices.

Olha só como funciona na prática:

E como a zoeira não tem limites… Veja algumas celebridades perderem o glamour com o simples giro das fotos: [Gizmodo]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Kelcey:

    Muito louco. Incrível como os personagens de cabeça pra baixo não pareciam ter nada de errado, simplesmente pelo fato dos pontos que usamos como referência do rosto estarem na posição normal.

    P.S.: Grabiela Mateos, longe de mim querer dar uma de Pasquale, mas o advérbio “se quer” na sua assinatura escreve-se junto: “sequer”, e o termo “sem” está repetido… rsrs

    😉

  • Herberti Pedroso:

    A esquisitice, no caso, é que olhos e boca permanecerem corretos mesmo com o rosto de ponta-cabeça. Talvez os olhos e a boca sejam os dois referencias principais que o cérebro usa para avaliar um rosto. Se eles estiverem corretos, ainda que só eles, instintivamente não consideramos o restante estranho.

  • Cesar Grossmann:

    Reptilianos! Reptilianos em todos lugares!

  • ichigomf .:

    Que loko hueaheuhauehauheauheuahe

  • Thiago Corrêa:

    Legal interessante, não conhecia esse efeito.

Deixe seu comentário!