Oficiais da Marinha americana dizem que “indivíduos desconhecidos” os fizeram apagar evidências de encontros com OVNIs em 2004

Por , em 19.11.2019

Você já ouviu falar do “Incidente de OVNI do USS Nimitiz”?

Em novembro de 2004, oficiais da Marinha americana – o grupo de ataque “Carrier Strike Group 11”, cujo porta-aviões Nimitz é o carro-chefe – detectou estranhos sinais de radar emanando de um objeto no céu a cerca de 160 quilômetros da costa do sul da Califórnia.

Os sinais não pareciam vir de aeronaves conhecidas, de forma que os oficiais utilizaram caças para tentar observar o OVNI (objeto voador não identificado) mais de perto.

O evento, no entanto, foi totalmente abafado até que um vídeo em preto e branco embaçado do incidente foi divulgado publicamente em 2017.

Agora, alguns dos membros da Marinha que testemunharam o “OVNI de Nimitz” alegaram ao portal Popular Mechanics que “indivíduos desconhecidos” apareceram logo após o avistamento e os fizeram entregar gravações e apagar dados e vídeos.

Os avistamentos

Os sinais vinham de um objeto que mudava rapidamente de altitude, variando de 9.000 a 24.000 metros. Os avistamentos estranhos duraram quase uma semana.

De acordo com um dos oficiais que observou o OVNI, Gary Voorhis, quando os objetos apareciam no radar, ele o observava usando um par de binóculos.

“Eu não conseguia entender os detalhes, mas eles estavam pairando lá e, de repente, em um instante, iam para outra direção e paravam de novo. À noite, emitiam uma espécie de brilho fosforescente e eram um pouco mais fáceis de ver do que durante o dia”, explicou ao Popular Mechanics.

Aeronaves foram usadas para tentar interceptar os objetos, mais tarde descritos como “alongados ou em formato de ‘Tic Tac’”.

O sumiço

Algum tempo depois dos oficiais fazerem gravações do(s) OVNI(s), contudo, duas pessoas apareceram em um helicóptero no Nimitz.

Voorhis conta que, passados 20 minutos da visita misteriosa, seu comandante lhe pediu para entregar os dados e excluir as gravações no navio. “Eles até me disseram para apagar tudo o que estava ali – até as fitas em branco”, afirmou.

Algo semelhante ocorreu com outro membro da Marinha, o suboficial Patrick Hughes, na época apenas um técnico de aviação. Hughes não estava ciente dos avistamentos; sua função era guardar e proteger os discos rígidos do avião E-2 Hawkeye. Segundo o oficial, seu comandante e dois homens desconhecidos pediram que ele entregasse esses discos.

O “controverso”

Há um relato que contradiz essas afirmações, no entanto – o do comandante David Fravor, um dos pilotos da Marinha americana que teve uma visão próxima do OVNI.

Em entrevistas anteriores, Fravor havia dito que os vídeos dos avistamentos desapareceram de forma não intencional quando pessoas gravaram sem querer outro material por cima deles.

Hoje, depois de tantos anos, o mistério permanece – se foi de propósito ou não, muitos dos dados sumiram e os detalhes do que se passou no céu e em terra continuam ambíguos. [LiveScience, PM]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (35 votos, média: 4,54 de 5)

Deixe seu comentário!